Você sabia que existem diferentes nomenclaturas para o bilhete de avião? Dependendo do tipo de viagem que você vai realizar, a passagem aérea pode ter um nome diferente.

Por exemplo, existem as passagens de acordo com a classe do voo — econômica e primeira classe —, com a quantidade de destinos na mesma reserva, de um único trecho e com ida e volta, para estudantes e até para dar a volta ao mundo.

São variados os termos, e, muitas vezes, eles causam estranheza em quem vai realizar a sua primeira viagem de avião. No entanto, até quem viaja com frequência pode confundir essas expressões utilizadas pelos funcionários e tripulantes de companhias aéreas.

Entender o significado desse vocabulário é importante tanto para comprar corretamente as passagens aéreas quanto para aproveitar melhor os benefícios de cada tipo de bilhete de avião. Se você tem dúvidas ou nunca parou para pensar nisso, confira o nosso mini e prático dicionário de bordo.

Você vai descobrir o que significam esses termos, quais as principais características e benefícios de cada bilhete de avião e até se informar sobre os tipos de assentos no voo. Dessa forma, será mais fácil escolher a poltrona ideal para fazer uma viagem tranquila e confortável e chegar ao destino com tranquilidade.

Já está na expectativa? Então, leia este conteúdo e saiba como aproveitar melhor todos os benefícios do transporte aéreo, principalmente sobre os bilhetes e os assentos de avião.

Diferentes tipos de bilhetes

A seguir, conheça as opções de passagens que podem ser reservadas e entenda as especificidades de cada uma.

One way/round trip

Essa é a nomenclatura mais conhecida porque é a mais comum. Traduzindo para o português, esses termos equivalem, respectivamente, à passagem de um único trecho e à de ida e volta. Em alguns momentos, um tipo pode ser mais econômico do que o outro, por isso, vale a pena pesquisar as duas formas antes de concluir a compra da sua passagem.

Nos dois casos, há a possibilidade de encontrar passagens com descontos, ter presença de escalas e conexões e de somar milhas aéreas. Veja as diferenças a seguir.

One way

A passagem one way é aquela que você compra partindo de um lugar com destino a outro, ou seja, um único trecho ou passagem de ida, como é popularmente chamado no Brasil. Normalmente quem opta por esse tipo de bilhete leva em consideração se o voo é direto ou se a tarifa é promocional.

Eis uma boa notícia: periodicamente, as companhias aéreas fazem promoções por trechos. As ofertas são bastante atrativas e podem render uma boa economia. No entanto, vale comparar a soma dos trechos de ida e volta comprados separadamente com a passagem de ida e volta e verificar qual é a opção mais vantajosa.

Outra razão para comprar apenas a passagem de ida é quando os voos que melhor se encaixam na sua disponibilidade de tempo estão disponíveis em companhias aéreas diferentes. O preço final pode não ser tão vantajoso, mas é uma opção válida, devido à comodidade da viagem.

Alguns turistas preferem adquirir passagens por trecho, criando as próprias conexões, para economizar, mas nem sempre isso é possível. Além do mais, esse tipo de bilhete aéreo geralmente acumula menos milhas do que a passagem de ida e volta.

As passagens só de ida podem ser muito proveitosas em algumas ocasiões, veja:

  • quando surgem promoções com tarifas econômicas;
  • em casos de viagem com o tempo de estadia indefinido dentro do Brasil;
  • se houver necessidade de utilizar outro meio de transporte para seguir a ida ou a volta.

Ou seja, se você for realizar parte da viagem em um cruzeiro ou em uma road trip, basta comprar um único trecho. No caso de utilizar o transporte aéreo apenas para a volta, tenha o cuidado de reservar a passagem com, no mínimo, 45 dias de antecedência da data de retorno, pois a probabilidade de encontrar melhor opções de voos e de tarifas é maior.

Com o avanço da tecnologia, você pode utilizar sites e aplicativos para reservar uma passagem a partir de qualquer lugar do mundo, bem como monitorar as alterações nas tarifas e criar alertas de passagens. Essa ferramenta é muito utilizada por pessoas que se deslocam com tempo de viagem indefinido, como os mochileiros e grupos que fazem roteiros intuitivos.

Um cuidado muito importante que você deve adotar é a leitura de todas as regras de utilização desse tipo de bilhete e as normas para viagens de avião. Essa é a melhor forma de ficar respaldado sobre seus direitos e deveres em casos de check-in, taxas, trocas e cancelamentos.

Round trip

Este é outro tipo de bilhete tradicional: quando o passageiro adquire as passagens de ida e volta com a mesma companhia aérea. É muito popular, porque o viajante prefere realizar busca, pesquisa e pagamento de uma vez só do que realizar esse processo em mais de um momento, comprando separadamente os trechos de ida e volta.

A passagem round trip é vantajosa tanto para o cliente quanto para a empresa aérea. Para o cliente, por fazer uma única compra — geralmente, com tarifas mais acessíveis — e, para a empresa, por proporcionar um melhor planejamento de voo.

Isto é, com ida e volta definidas, a companhia tem mais controle da saída e do retorno dos seus passageiros, o que facilita a tomada de decisões internas, como a organização das tripulações, a disponibilidade de aviões e a logística de passageiros. Dessa forma, o cronograma de voos ganha em eficiência e os passageiros são melhor assistidos pela empresa aérea.

Já quando o cliente prefere realizar a viagem por trechos, a companhia não tem precisão do retorno, e isso interfere diretamente no planejamento de voos, na logística e nos custos de manutenção, como um número reduzido de pessoas no avião. Coincidência ou não, na maioria das vezes, as tarifas de ida e volta costumam ser mais atrativas para o cliente do que as tarifas de voos com apenas um trecho.

Além disso, essa forma é mais favorável para o acúmulo de milhas aéreas, devido à distância percorrida ser maior do que a de um único trecho. Também é comum encontrar passagens promocionais para esse tipo de viagem.

Em viagens internacionais, a passagem round trip é a mais recomendada, porque normalmente a imigração exige que o passageiro tenha a passagem de volta. A ausência dela pode dificultar a entrada em alguns países. Mesmo que esteja viajando a turismo, é importante apresentar uma data de retorno, pois as nações estrangeiras podem desconfiar de que o passageiro não respeite as regras de permanência no país.

Outro motivo são os custos com passagens para o exterior, que são mais altos do que em viagens nacionais. Há várias taxas inclusas que elevam a cotação de voos, e pagá-las separadamente, com passagens por trecho, pode sair bem mais caro do que você imagina. Em alguns casos, passagens one way podem custar o dobro da passagem round trip.

Também é normal encontrar dificuldades para adquirir passagens one way para fora do país. Alguns sites e agências de viagens dificultam esse tipo de venda. Então, antes de adquirir o seu bilhete para o exterior, pesquise bastante e avalie as vantagens e desvantagens dos dois tipos de viagem: one way e round trip.

Até quem viaja sem previsão de volta, como pessoas que vão viajar pelo mundo por um período sabático ou devido a trabalho ou estudo por um longo período, costumam comprar passagens round trip. Lembre-se de que o bilhete de avião tem validade de 1 ano e podem ser realizadas alterações junto à companhia aérea, como a data de retorno.

Passagem aérea para estudante

Por falar em viagem para o exterior, você sabia que estudantes têm descontos em passagens aéreas? Essa tarifa é válida para pessoas que vão estudar por pelo menos 2 semanas no destino e tenham entre 12 e 34 anos. Os descontos variam de acordo com a companhia aérea, mas, geralmente, ficam em torno de 25% em relação à passagem com tarifa normal.

Para isso, é preciso apresentar o comprovante de matrícula do curso e realizar a compra da passagem por meio de uma agência de intercâmbio, pois as companhias aéreas brasileiras não oferecem a tarifa para estudantes.

Dependendo do período escolhido para a viagem (alta ou baixa estação), a agência pode encontrar opções de voos ainda mais acessíveis. Além disso, você pode incluir a acomodação no mesmo pacote e pagá-lo em parcelas.

Então, isso significa que você não pode comprar a passagem aérea por conta própria? Não exatamente. Algumas companhias, como a TAM e a Ibéria, não vendem as passagens para estudantes diretamente aos clientes, mas outras, como a Air France e a KLM, oferecem esse serviço por meio do call center. De toda forma, para realizar a reserva, é preciso apresentar a carta de matrícula da escola, documento fornecido pela própria instituição de ensino.

Algumas empresas têm simuladores online, para que o passageiro pesquise diferentes datas e voos ao procurar uma tarifa que caiba no seu bolso. Uma das mais conhecidas é a Student Universe, que tem parceria com várias companhias aéreas e também oferece descontos em tours e hospedagens.

Vantagens

Por mais que a passagem aérea comum tenha preços e condições mais favoráveis do que a estudantil, elas têm regras rígidas, como a validade de 1 ano e cobranças de taxas para remarcação — aproximadamente 100 dólares. Já as passagens para estudantes têm maior flexibilidade para alterar datas e o prazo estendido entre os voos de ida e volta, sem cobranças extras.

Outra vantagem é a possibilidade de comprar uma passagem com Stopover e deixar a sua viagem ainda mais proveitosa. Você conhece esse termo? Confira o próximo tópico e saiba mais detalhes.

Stopover

A passagem com Stopover é aquela que inclui uma parada longa em uma cidade de conexão, permitindo que o turista desembarque e visite aquele destino sem precisar pagar nada a mais por isso. Ou seja, você pode conhecer dois lugares diferentes com a mesma passagem aérea.

Esse tipo de bilhete é mais comuns em voos de longa distância para o exterior. A parada pode durar entre 24 horas e 3 dias, mas também existem viagens com conexões e escalas com pausas mais longas, com mais de 15 horas de duração. Apesar de não ser muito tempo, dá pra fazer um pequeno passeio na cidade.

Por exemplo, se você pretende ir para Paris, ao pesquisar por passagens para esse destino, pode encontrar opções de voos com stopover em outras cidades europeias, como Amsterdã, Frankfurt, Lisboa e Londres. Com sorte, é possível adquirir bilhetes com até 3 paradas, uma verdadeira tour!

Essa é uma ótima opção para quem gosta de economizar com passagens e fazer o valor investido na viagem render. Além de aproveitar mais de um destino com apenas uma passagem, o viajante também pode ter descontos de hospedagem, transporte e passeios nas cidades da conexão. Por isso, informe-se com a companhia aérea sobre as vantagens e condições desse tipo de passagem.

Passagem de volta ao mundo

Quem nunca sonhou em dar a volta ao mundo? Conhecer diferentes destinos, conectar-se com outras culturas, praticar idiomas, saborear pratos típicos e admirar belas paisagens sem pressa para voltar… um sonho, não é mesmo? Mas que pode se tornar realidade!

Para quem opta pelo avião como meio de transporte para embarcar nessa aventura, existem dois tipos de bilhetes disponíveis: a passagem de volta ao mundo e a volta ao mundo por trechos. Conheça as características e vantagens de cada uma.

Bilhete de volta ao mundo

Trata-se de um pacote de passagens aéreas chamado Round The World Ticket, ou bilhete de volta ao mundo. Para utilizá-lo, basta criar um roteiro que comece e termine no mesmo país, seguindo o mesmo sentido: ocidente-oriente ou vice-versa.

Além disso, o RTW tem um limite mínimo e máximo de trechos e de tempo. Como a viagem é personalizada, o valor total depende das preferências do passageiro. Mas, para ter uma ideia, uma passagem com 6 trechos internacionais custa aproximadamente R$ 7 mil por pessoa. As empresas que oferecem esse serviço são a SkyTeam, a Star Alliance e a One World.

Volta ao mundo por trechos

Para quem não quer ficar preso a um roteiro, é possível fazer a volta ao mundo por trechos. Nesse caso, será necessário pesquisar e comprar os tickets avulsos. Economicamente pode não ser tão viável, devido às variações de tarifas, conforme a demanda. Mas, para quem é acostumado a procurar passagens aéreas promocionais, pode ser um bom negócio.

A maior vantagem de dar a volta ao mundo dessa forma é a liberdade para escolher os destinos e a flexibilidade de tempo para cada estadia. Mas vale lembrar que, para deixar a viagem personalizada do jeito que você gosta, é preciso ter uma maior disponibilidade de tempo para investir no planejamento.

Passagem aérea multidestinos

Pessoas que vão fazer um tour por vários destinos podem adquirir um único bilhete. Em vez de comprar várias passagens por trecho, é possível obter uma passagem aérea multidestinos. Ou seja, o passageiro inclui mais que duas cidades de destino e origem.

Por exemplo, você pretende sair do Rio de Janeiro para passar 10 dias nos Estados Unidos. No seu roteiro, estão as cidades Nova York, Chicago e São Francisco. Então você pode adquirir as passagens da seguinte forma:

  • Rio de Janeiro — Nova York;
  • Nova York — Chicago;
  • Chicago — São Francisco;
  • São Francisco — Rio de Janeiro.

Tudo em um único bilhete de avião. Para isso, você pode procurar as opções em buscadores de viagem, como o Google Flights, e selecionar a opção “várias cidades”. A compra pode ser realizada direto no site da companhia aérea ou por uma agência de viagens.

É importante conferir se aparece apenas um número de e-ticket/localizador. Se for gerado mais de um, significa que os trechos escolhidos estão em bilhetes diferentes e, nesse caso, não são considerados multidestino.

Se essa for a sua preferência de viagem, faça várias simulações para encontrar a melhor tarifa. Uma viagem multidestinos pode ser muito mais econômica do que traçar um roteiro e comprar as passagens por trechos. Por isso, veja todas as possibilidades para aproveitar melhor as vantagens da passagem aérea multidestinos, como a chance de usar a mesma franquia de bagagem do voo inicial.

Open Jaw

A passagem Open Jaw é muito semelhante a multidestinos, mas oferece mais opções para o passageiro. Enquanto a multidestinos tem origem e retorno para a mesma cidade, a Open Jaw tem o retorno para a mesma cidade de origem ou tem trechos em cidades completamente diferentes. Veja as possibilidades.

Open Jaw simples

É quando o passageiro escolhe fazer o retorno por uma cidade diferente da cidade de origem, ficando responsável pelos trajetos intermediários. Por exemplo, imagine que o viajante quer conhecer a Europa e lista pelo menos três destinos.

Em vez de comprar uma passagem de ida e volta para Paris, ele pode comprar a ida para Paris e o retorno para a última cidade que ele deseja conhecer na Europa. Assim, ele fará um único tour e não precisará voltar para o primeiro destino do roteiro apenas para pegar o voo de retorno. Veja uma simulação:

  • trecho 1: São Paulo — Paris (ida);
  • trecho 2: Roma — São Paulo (volta).

Note que o passageiro deverá estar em Roma para retornar a São Paulo. Para isso, ele precisa usar outro meio de transporte para se locomover entre Paris e Roma. Portanto, essa é uma opção para quem deseja viajar com tipos de deslocamentos diferentes, como ônibus, trem, road trip etc.

Open Jaw com trecho intermediário

Nesse caso, o passageiro continua com cidades diferentes na origem, desembarque e retorno, mas opta por um trecho intermediário para conectar os destinos da viagem. Veja um exemplo:

  • trecho 1: Belo Horizonte — Barcelona (ida);
  • trecho 2: Barcelona — Porto (trecho intermediário);
  • trecho 2: Porto — Belo Horizonte (volta).

Note que o itinerário continua com destinos diferentes, no entanto, o segundo trecho funciona como uma conexão entre as cidades de chegada e partida. Nesse caso, não será necessário utilizar outro meio de transporte para se locomover, pois as cidades dos voos de ida, parada intermediária e volta estão interligadas.

Open Jaw duplo

Essa opção é mais específica, com origem e destinos diferentes tanto no trecho de ida quanto no de volta. É utilizada por pessoas que têm maior disponibilidade de tempo e de outros meios de transporte ou desejam incluir um destino extra na viagem.

Por exemplo, um viajante que mora em Cuiabá e viajará em um cruzeiro pela América do Sul, com partida em Santos (SP) e destino final em Montevidéu (Uruguai). No entanto, ele não vai retornar para a sua cidade de origem.  Veja como ele pode programar os voos:

  • trecho 1: Cuiabá — Santos;
  • trecho 2: Montevidéu — Rio de Janeiro.

Passagens de acordo com a classe de voo

Após escolher a companhia aérea para realizar a viagem, você precisa selecionar a classe do voo. Normalmente, as aeronaves são divididas em três categorias: classe econômica, classe executiva (negócios) e primeira classe. Em alguns casos, as empresas incluem uma classe intermediária, como a econômica flexível. Mas qual a diferença entre elas?

Econômica

É a básica e com tarifas mais acessíveis. O viajante tem as seguintes comodidades: assentos reguláveis, com encostos para a cabeça, os braços e as pernas, serviço de bordo com refeições em horários programados, de acordo com a duração do voo, e serviços de entretenimento para voos longos.

Executiva

Essa classe costuma ser selecionada por executivos em viagens a negócios, por isso o nome. Mas também pode ser utilizada por pessoas que viajam a turismo. As cabines são mais confortáveis, com poltronas ergonômicas — reclinável na posição horizontal — e maior espaço entre os assentos.

Além disso, o passageiro pode contar com um salão especial nos aeroportos, com comidas e bebidas à disposição, chuveiros e estações de trabalho com tomadas e conexão Wi-Fi. Na classe executiva, os limites de bagagem são maiores, bem como a milhagem por voo.

Primeira Classe

Privacidade e atendimento de excelência são as principais características da primeira classe. Os assentos são luxuosos e se transformam em camas, com lençóis de alta qualidade. As refeições são criadas por chefs renomados internacionalmente, e bebidas de alto padrão são servidas à vontade.

Nos aeroportos, os passageiros contam com mais comodidade e serviços em salas VIP, além de ter atendimento prioritário no check-in e programa de milhas especiais, como o programa de pontos da Azul.

Tipos de assentos no avião

Além do tipo de bilhete, uma das principais dúvidas ao comprar uma passagem aérea é o tipo de assento: janela ou corredor? Para escolher o assento ideal, você deve levar em consideração a sua preferência entre curtir a vista da viagem ou a facilidade em se deslocar para o banheiro e a saída do avião.

Se for indiferente, o assento do meio é o mais indicado. Também existem bancos com mais espaço entre as pernas, como aqueles localizados em uma área privilegiada do avião e na área de emergência — vale lembrar que este espaço tem regras restritas.

Agora que você já sabe tudo sobre bilhete de avião, suas escolhas serão mais assertivas e você saberá aproveitar melhor as vantagens de cada tipo de passagem aérea, seja no Brasil, seja no exterior. Com isso, você vai encontrar mais opções para as suas viagens e poderá garantir uma boa economia. Ou seja, quanto mais você aprende sobre voos, mais chances tem de explorar o mundo!

Gostou deste artigo e quer fazer o seu bilhete de avião render mais? Então aprenda ainda mais com o nosso post “Como economizar comprando passagens aéreas utilizando milhas“!