Se quiser explorar o mundo em uma viagem internacional, o primeiro passo para você entrar em um avião e voar com tranquilidade é tirar seu passaporte brasileiro. Se tentar embarcar sem um passaporte dentro das condições exigidas, você não passará nem do aeroporto (a não ser que esteja indo para alguns dos destinos que vamos citar mais abaixo).

Então, para começar a sonhar com viagens internacionais fantásticas, é fundamental tirar o passaporte e esclarecer todas as suas dúvidas sobre que países vai poder visitar e que exigências deve cumprir para evitar que seu sonho vire pesadelo.

Por isso, preparamos este artigo para que você tire dúvidas sobre o passaporte brasileiro e conheça os destinos para viajar sem visto. Continue lendo!

1. Como tirar o passaporte brasileiro?

Seguindo com atenção as instruções da Polícia Federal, o processo não é complicado. Primeiramente, quem solicita o passaporte deve preencher certas condições:

  • precisa ser brasileiro;
  • deve ser alistado como eleitor, em casos de obrigatoriedade;
  • precisa comprovar que votou nas últimas eleições, ou então que justificou a ausência ou pagou a multa referente ao não comparecimento às urnas;
  • os homens devem estar em dia com o serviço militar;
  • não ser procurado pela Justiça e nem ter impedimentos para sair do país.

Atendeu às condições? Então junte os documentos solicitados — sempre os originais. Durante a entrevista na Polícia Federal, pode ser que o oficial peça comprovantes adicionais, se houver razão para isso.

Quais são os documentos exigidos para a emissão do passaporte?

O processo de requisição do passaporte ficou bem mais simples desde 2017, já que alguns comprovantes exigidos anteriormente foram substituídos pela consulta direta ao órgão emissor, pela internet.

Na verdade, em teoria, o único documento a ser apresentado seria a carteira de identidade ou seu passaporte anterior, pois já é possível consultar todos os outros dados diretamente no sistema, pelo computador. No entanto, o processo pode ser um pouco diferente na prática.

Vamos ver a documentação com mais detalhes, lembrando que tudo o que for pedido deve estar no original. Cópias não são aceitas.

a) Documento de identidade atual e em bom estado de conservação, podendo ser:

  • a carteira de identidade emitida pela Secretaria de Segurança Pública de seu estado;
  • a carteira funcional de órgão público, desde que seja reconhecida por lei como identidade válida no território nacional;
  • identidade emitida por comando militar, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros ou ex-ministério militar;
  • o passaporte anterior, mesmo com validade vencida;
  • carteira de motorista emitida pelo DETRAN, desde que você apresente também outro documento original comprovando seu lugar de nascimento;
  • identidade emitida por órgão de fiscalização de profissões reconhecidas por lei, como o caso de médicos, por exemplo;
  • sua carteira de trabalho e previdência social.

Caso seu nome tenha sido alterado por qualquer motivo, como casamento, separação, divórcio, mudança de sexo, adoção, reconhecimento de paternidade ou outros, as certidões originais com as devidas averbações serão exigidas, mesmo que haja um passaporte anterior já com o nome alterado.

É fundamental consultar as particularidades de cada situação diretamente no site da Polícia Federal.

b) Comprovação de situação regular como eleitor:

Este é um dos documentos que podem ser dispensados, pois sua situação eleitoral é acessível diretamente no sistema, pelo oficial que te atender na entrevista.

No entanto, é imprescindível que você tenha certeza de que a sua situação está regular na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, terá que apresentar os comprovantes, sempre no original.

c) Comprovação de regularidade com o serviço militar, para os homens:

Também nesse caso, a apresentação do certificado é dispensável, pois a situação pode ser consultada pela internet. Como no caso acima, a recomendação é a mesma: esteja certo de que sua situação perante o serviço militar obrigatório é regular, para não ter que apresentar comprovante ao oficial.

O pagamento da taxa de emissão será consultado pelo entrevistador diretamente no sistema. Se não for o seu primeiro passaporte, não se esqueça de apresentar o anterior. Para os casos especiais, como o de menores de idade, brasileiros naturalizados e indígenas, consulte sempre o site da Polícia Federal.

Só depois de atender a todas as exigências para pedir seu passaporte é que você pode marcar sua entrevista diretamente no site da PF. Os maiores de 18 anos têm direito a um documento com validade de 10 anos.

2. Que tipos de passaporte existem?

No item 1 do nosso artigo, falamos do passaporte brasileiro comum. Existem outros tipos, que você vai conhecer agora:

Passaporte de emergência

Esse tipo é emitido em casos comprovados de urgência, desde que você atenda a todas as condições já citadas acima. Em hipótese alguma ele será fornecido para fins de turismo, e sim em casos comprovados de urgência.

A validade do passaporte de emergência é de apenas um ano e pode ser que ele não seja aceito em alguns países.

Algumas situações enquadradas como emergência são referentes a desastres naturais, guerras, motivos de saúde, necessidade de trabalho ou proteção ao patrimônio, ajuda humanitária ou por interesse da Administração Pública.

É preciso comprovar que o adiamento da viagem causaria graves consequências para o solicitante, que não poderia esperar pela entrega do passaporte comum.

Passaporte para estrangeiro

Esse tipo é concedido a alguns estrangeiros:

  • os apátridas, ou sem nacionalidade definida, desde que comprovem a entrada legal no Brasil;
  • os registrados legalmente no país que precisem sair e retornar mas que não possuem um documento de viagem;
  • os asilados oficialmente reconhecidos pelo governo;
  • os refugiados, igualmente com reconhecimento oficial de sua condição pelo governo.

Laissez-passer

É um documento emitido para o estrangeiro que não tenha um documento de viagem reconhecido ou válido, se for expedido por países com os quais não mantemos relações de diplomacia. As Ilhas Comores, o Reino do Butão e Taiwan são alguns desses lugares.

3. Como é a aceitação do passaporte brasileiro lá fora?

Ao contrário do que muitos possam pensar, sim, o nosso passaporte é bem-visto no exterior e aceito na maioria dos países do mundo.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), em conjunto com a empresa Henley & Partners, divulgou uma pesquisa em 2016 mostrando que o Brasil ocupa a vigésima primeira posição no ranking de aceitação dos passaportes. De um total de 218 países, o nosso é aceito em 153 deles. Estamos na frente da Argentina, Colômbia, México, Uruguai, Equador e muitos outros.

Para satisfazer sua curiosidade, saiba que o primeiro lugar da lista de passaporte mais aceito no mundo está com a Alemanha. O Afeganistão ocupa a última posição.

4. É possível viajar para o exterior sem passaporte e sem visto?

A resposta é sim. Em alguns países você só precisa apresentar sua carteira de identidade original, recente e com foto.

Então, se você ainda não tem passaporte, mas quer sentir o gostinho de uma viagem internacional, comece pelos nossos vizinhos da América do Sul.

Os nove países que você pode visitar mesmo sem passaporte

Argentina

Esse nosso vizinho é farto em atrações. Além da famosa capital Buenos Aires, com seu ar europeu e suas noites de tango regadas a muito vinho e churrasco de excelente qualidade, o visitante pode esquiar em Bariloche, aproveitar as praias de Mar del Plata, conhecer as vinícolas de Mendoza, deslumbrar-se com a Patagônia argentina e ainda ir até o fim do mundo, Ushuaia.

Uruguai

Saindo da Argentina, é só cruzar o Rio da Prata para visitar as atrações do Uruguai. Além da simpática capital Montevidéu, não perca Punta del Este com seus cassinos, Cabo Polônio com o farol e lobos marinhos e a histórica Colonia del Sacramento, Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Paraguai

Além de se esbaldar nas compras em Ciudad del Este, visite o belo lago azul de Ypacaraí e as ruínas de Las Misiones, também Patrimônio da Humanidade da UNESCO.

Chile

A bela capital Santiago, na cordilheira dos Andes, já seria justificativa suficiente para conhecer o país, mas ainda existe Valparaíso, a impressionante região de Atacama, Torres del Paine, a Isla Negra do poeta Neruda e uma infinidade de outros lugares imperdíveis.

Bolívia

Os preços na vizinha Bolívia são um atrativo à parte, para uma viagem econômica. Comece pela capital La Paz, a 3.600 metros de altitude e não perca o Lago Titicaca, a imensidão deserta do Salar de Uyuni e a estrada da morte, em Coroico.

Colômbia

Depois de se encantar com a capital Bogotá, vá descobrir a histórica e colorida Cartagena, cidade entre muralhas. De lá, voe até a ilha de San Andrés, para mergulhar na imensidão azul do Caribe.

Equador

Pensou nas ilhas Galápagos, não foi? Sim, são um destino incrível, mas há outros lugares imperdíveis no Equador, como o centro histórico da capital Quito, a cidade colonial de Cuenca e a vista impressionante do alto do vulcão Quilotoa.

Peru

Nem discutimos que Machu Picchu é a atração número um do vizinho, mas prestigie também a capital Lima com seu centro histórico e as cidades de Arequipa, na cordilheira dos Andes, e Iquitos, na região amazônica, onde não há estradas e só se chega de avião ou barco.

Venezuela

Mesmo com a séria crise política e econômica, esse país continua atraindo turistas em busca de férias mais baratas, devido à desvalorização do bolívar frente ao real. O principal destino é a ilha Margarida, no Caribe venezuelano. Lembrete importante: o Itamaraty recomenda atenção redobrada quanto à sua segurança na Venezuela.

5. Para onde viajar com passaporte, mas sem visto?

Primeiro, é preciso entender duas situações diferentes: quando é preciso pedir visto com antecedência e quando você recebe a permissão de entrada no próprio aeroporto de chegada ao país.

Pedindo com antecedência

Alguns países, como os Estados Unidos da América, exigem que você peça o visto ainda no Brasil, comparecendo pessoalmente na embaixada ou consulado americano e apresentando a documentação necessária.

O tempo de duração do visto depende do tipo. Ainda tomando os Estados Unidos como exemplo, um turista pode receber um visto com duração de até 10 anos. No entanto, isso não significa que é permitido ficar por lá legalmente esse tempo todo, e sim que você poderá entrar várias vezes durante esse período.

O tempo de permanência será determinado pelo oficial do setor de imigração do aeroporto, quando você chegar, e o máximo concedido costuma ser de 6 meses.

Recebendo a permissão no aeroporto de chegada

Mesmo nos países que não exigem visto de brasileiros, a autorização para entrar não é automática. Ao chegar no setor de imigração do aeroporto, você será entrevistado e pode ser convidado a apresentar documentos como a passagem de volta, reserva da acomodação, comprovante de vínculo com o Brasil, voucher do seguro etc.

Ou seja: o fato de o país não exigir visto prévio não é garantia total de que o visitante terá permissão de entrar. Então, antes de viajar, consulte o site do consulado de cada local e veja quais documentos podem ser pedidos na imigração, para não ter problemas.

Os países onde é possível entrar sem visto, mas com passaporte

Consultando o Portal Consular, do Itamaraty, encontramos a informação dos países onde os portadores de passaporte comum não precisam pedir visto prévio. Veja a lista abaixo.

Albânia, África do Sul, Alemanha, Andorra, Antígua e Barbuda, Antilhas Francesas, Argentina, Armênia, Áustria, Bahamas, Barbados, Bélgica, Bolívia, Bósnia, Botsuana, Guiana, Bulgária, Cazaquistão, Chile, Chipre, Cingapura, Colômbia, Coreia do Sul, Costa Rica, Croácia, Dinamarca, Dominica, El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Fiji, Filipinas, Finlândia, França, Geórgia, Granada, Grécia, Guatemala, Haiti, Honduras, Holanda, Hong Kong, Hungria, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Jamaica, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau, Macedônia, Malásia, Maldivas, Malta, Marrocos, México, Micronésia, Mônaco, Montenegro, Namíbia, Nauru, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Palestina, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia, Rússia, Samoa Ocidental, San Marino, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Seychelles, Sérvia, Suécia, Suíça, Suriname, Tailândia, Trinidad e Tobago, Tunísia, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Vaticano e Venezuela.

O Itamaraty recomenda sempre entrar em contato direto com o órgão diplomático do país a visitar, uma vez que as decisões sobre entrada e permanência são passíveis de mudança sem aviso prévio.

Agora que tirou suas dúvidas sobre o passaporte brasileiro e sabe para quais destinos você pode viajar sem visto, faça seu planejamento com bastante antecedência, pois a Polícia Federal interrompe ocasionalmente a emissão do documento por motivos técnicos ou operacionais.

Depois, é só escolher a melhor companhia aérea e voar sem medo para explorar o mundo. Mas, antes, assine a nossa newsletter para não perder as novidades Azul!