Bleisure é um termo inglês utilizado para caracterizar um tipo de viagem corporativa. Mas o que ele significa e quais as suas vantagens? E como essa tendência funciona na prática?

Resumidamente, é uma iniciativa por parte das empresas para proporcionar viagens que unem trabalho e lazer para os seus funcionários — uma tendência muito comum no cenário internacional que começa a ser implantada nas empresas brasileiras.

Mas, afinal, o que é Bleisure? Entenda os detalhes neste texto.

Entenda o que é Bleisure

O termo Bleisure une as palavras business (negócios) e leisure (lazer), ou seja, uma viagem em que você pode unir o trabalho com momentos de lazer.

Isso significa que uma viagem corporativa não precisa, necessariamente, ser cansativa e tratar apenas de negócios, também é possível curtir a paisagem, conhecer os atrativos turísticos e fazer network.

Na Bleisure, o período de estadia pode ter um ou dois dias a mais, destinados para o turismo, e os horários dos compromissos geralmente são mais flexíveis. É uma boa oportunidade de conhecer o turismo local, vivenciar a cultura e até criar conexões, sejam de trabalho ou pessoais. Outra característica desse perfil de viagem é a presença de familiares ou amigos no período adicional.

Mas para que o Bleisure funcione corretamente, é preciso adaptar bem o período: uma atividade não pode prejudicar a outra. Por exemplo, os colaboradores trabalham nos dias combinados e deixam os dias de “férias” por último, geralmente nos finais de semana.

Saiba quais são as vantagens

Manter os funcionários felizes e empenhados contribui para o crescimento da empresa, gera motivação para bater metas e melhora consideravelmente a produtividade e os resultados de negociações.

Por isso, cada vez mais as empresas estão investindo em seus colaboradores. As viagens que unem trabalho e lazer são um exemplo disso. Essa é uma forma de incentivar os colaboradores, sair à frente da concorrência e melhorar o desempenho diante do mercado de trabalho.

Além da empresa que proporciona Bleisure, outros setores da economia são movimentados, como a rede hoteleira, gastronômica e de transportes. Afinal, durante a sua estadia, o hóspede vai precisar de vários serviços durante o trabalho e o lazer. Outro ponto positivo é que normalmente esses viajantes vão acompanhados, ou seja, o ganho é, no mínimo, o dobro do esperado com um viajante comum.

Para o funcionário beneficiado, as vantagens são ainda maiores. Além do network, negociações com fornecedores e crescimento no mercado de trabalho, ele poderá usufruir do destino com mais liberdade: visitar pontos históricos, interagir com a cultura local, apreciar as paisagens, praticar um idioma e, claro, relaxar. Uma oportunidade de unir o útil ao agradável com custos reduzidos.

Dessa forma, a viagem deixa de ser apenas uma obrigação de trabalho e se transforma em um pacote com obrigações formais e descanso em um lugar bem diferente do ambiente corporativo que se está acostumado.

Portanto, a iniciativa é benéfica para as duas partes: empregador e colaborador. Bastante popular entre os funcionários pelo reconhecimento e satisfação que proporciona, a Bleisure é um investimento para empresas que valorizam o equilíbrio da vida profissional e pessoal. Todos saem ganhando.

Veja os dados estatísticos sobre a tendência

Estados Unidos

A tendência trouxe tantas vantagens que vários institutos de pesquisa estão avaliando o tema e suas variações.

As estatísticas americanas comprovam o crescimento da Bleisure: de acordo com a Travel Weekly’s 2016 Consumer Trends Report, essa modalidade de viagem cresceu 16% desde 2012.

O estudo também aponta que a prática eleva a empresa a um patamar de maior status e aumenta a lealdade do staff. A pesquisa mostrou, ainda, que 78% dos entrevistados afirmaram que adicionar dias de lazer a uma viagem de trabalho é recompensador.

França

A plataforma francesa de viagens de negócios Egencia (do Grupo Expedia) também captou dados sobre o tema. A Bleisure está conquistando diversos profissionais ao redor do mundo.

A prática é comum para 24% dos viajantes corporativos na França, 20% na Alemanha e nos Estados Unidos e 10% na Inglaterra. No Brasil, o número é ainda maior: 25% dos brasileiros adotaram a prática em suas viagens a trabalho.

Outra empresa francesa também investigou sobre o assunto, a Carlson Wagonlit Travel. Ela mostrou uma curiosidade: o período do lazer pode ocorrer tanto no final da viagem quanto no início.

O mais comum é que o descanso ocorra no final da viagem (46%), mas existem casos em que ele acontece no início (34%). Entretanto, em alguns casos especiais, é possível que o lazer aconteça tanto no começo quanto no final (20%).

As vantagens da flexibilidade de dias também são econômicas para a empresa, pois se o funcionário for a uma reunião em uma sexta-feira e retornar no final de semana, as tarifas de passagem, hospedagem e transporte são mais caras. Porém, se for possível estender o período por alguns dias, a passagem aérea pode custar menos em comparação aos dias de grande movimentação.

Mundiais

Outro estudo importante sobre o tema é a The Bleisure Report 2014, levantada pela Bridge Street Global Hospitality, e divulgado em 2015 pela agência Skift. Participantes do mundo todo responderam às questões levantadas sobre viagem a trabalho.

O estudo aponta que 73% dos colaboradores enxergam esse estilo de viagem como um benefício extra, que acompanha várias vantagens ao empregado:

Quando perguntado se a empresa adotava a Bleisure, 14% dos participantes responderam sim, 27% afirmaram que não tinham certeza e 59% disseram não.

Dos que já tiveram a experiência, 78% dos funcionários declararam que se sentiram mais recompensados e, consequentemente, estão mais engajados e satisfeitos com o trabalho.

De acordo com 60% dos entrevistados, normalmente são acrescentados 2 dias de folga à viagem de negócios, que pode ter ou não a presença de um acompanhante. Os números da pesquisa também mostram que a tendência veio para ficar. Veja o que disseram os entrevistados:

  • 79% acreditam que a combinação de trabalho e lazer colabora para o rendimento profissional durante a viagem;
  • 46% já estenderam a viagem de negócios com alguns dias para o descanso;
  • 55% tiveram a companhia de alguém da família durante a Bleisure;
  • 6 de 10 viajantes estão mais dispostos para ter essa experiência hoje do que 5 anos atrás.

A organização de pesquisa especializada na indústria do Turismo Phocuswright trouxe dados interessantes: em todo o mundo, 1 em cada 5 viajantes fazem viagens de Bleisure, o equivalente a 7% de todas as viagens corporativas.

Além disso, metade dessas viagens têm os dias de descanso no final do período, logo após o trabalho. A Phocuswright: Global Travel Market Research Company também apurou que:

  • pelo menos 64% dos viajantes corporativos incluem uma extensão livre nas suas viagens;
  • a média de extensão da viagem é de até 4 dias;
  • desse público, pelo menos, 60% fazem a viagem em companhia de alguém.

A pesquisa aponta, também, que esses números devem subir ainda mais com a inserção de viagens Bleisure nas políticas de viagens entre empresas e colaboradores. Esse conceito de viagem está diretamente relacionado à satisfação, desempenho e produtividade dos colaboradores.

Descubra como o Bleisure contribui para os negócios

Lado empresarial

Engajar equipes para alcançar melhores resultados é uma busca constante dos gestores e líderes corporativos. Na maioria dos casos, a gerência procura transformar o trabalho em algo prazeroso.

Dessa forma, alcançar metas e aumentar a produtividade deixa de ser uma obrigação e passa a se tornar natural. Mas como chegar a esse patamar? Como manter a motivação dos funcionários e extrair suas melhores qualidades mesmo quando o momento não é favorável?

Como os dados anteriores já informaram, empresas que adotam o Bleisure conseguem aproximar-se de seus funcionários e juntos conquistam excelentes resultados. Que tal proporcionar mais flexibilidade e ver como o engajamento pode melhorar as atividades de suas viagens de negócios? E engana-se quem pensa que somente a empresa e o colaborador são beneficiados com isso, na verdade, vários setores da sociedade lucram com essa iniciativa.

A indústria da hospitalidade observou as diferenças nos hábitos de consumo entre o típico hóspede de férias e o viajante a negócios. Eles costumam gastar mais em jantares, concierges e cocktails.

Portanto, eles tornaram-se um público-alvo para os hotéis, com serviços voltados para as suas necessidades e vantagens para aumentar a estadia (pacotes e descontos). Por isso, hotéis, agentes de viagem, companhias aéreas e operadores de turismo estão adaptando-se à novidade

Uma forma de capitalizar essa tendência é a customização dos amenities para atender os viajantes a Bleisure. Serviços como café da manhã personalizado, grab and go e concierge para atender demandas individuais são alguns exemplos.

Em grandes hotéis, conhecidos por receber grandes grupos corporativos, o hóspede pode contar com meeting planners capacitados para assessorar o público corporativo antes, durante e depois do evento, bem como prolongar a sua estada.

Lado profissional

Trata-se de uma oportunidade de trabalho em uma cidade ou até país diferente. O deslocamento e estadia são custeados pela empresa e o profissional só terá de arcar com os custos extras.

O período prolongado pelo colaborador não afeta o seu rendimento, pois, graças à tecnologia, é possível entrar em contato com o ambiente de trabalho instantaneamente caso necessário.

O Bleisure também economiza tempo e dinheiro em lugares onde o profissional tem poucos dias de férias, em que elas não são remuneradas ou nos casos em que a política de dias de férias é progressiva — novatos tem poucos dias de férias no primeiro ano de trabalho.

Além disso, é possível ter um momento de descanso em família. Em vez de pagar por duas passagens (profissional e acompanhante), os viajantes corporativos pagarão apenas uma e podem desfrutar do turismo local.

Confira como manter o controle

Os gastos em uma viagem a trabalho são custeados pela empresa, mas os dias de descanso são de responsabilidade do colaborador. Por isso, é importante criar um planejamento financeiro para esses dias.

Informe-se sobre roaming de dados, moeda local e liste os lugares que deseja conhecer por ordem de prioridade, afinal, são poucos dias e você deve focar no que realmente é importante para você.

Para economizar com deslocamento, use o transporte público (baixe o app moovit) ou recorra a aplicativos de viagem que favorecem a economia compartilhada, como Uber e 99 pop.

Uma boa forma de organizar esse período é utilizando o aplicativo Google Trips. Ele reúne todas as informações sobre a viagem de forma organizada e prática. Faça o acompanhamento do planejamento em tempo real.

Na plataforma online da Etrip, por exemplo, o gestor e o funcionário podem verificar quais são as alternativas mais vantajosas para ambos: tarifas aéreas, hotéis e transporte. O app possibilita o fechamento de pacotes no sistema selfbooking, onde o funcionário cota e faz as próprias compras de viagem.

Saiba como é o Bleisure no Brasil

Apesar de os números mostrarem o contrário, a prática ainda é tímida no Brasil. Isso porque muitas empresas já adotaram o Bleisure, mas não têm uma política de viagens corporativas definida, as negociações são feitas entre o gestor e o profissional.

Porém, cada vez mais as vantagens são conhecidas por ambos e a tendência é que tudo se encaixe, possibilitando um contrato formal, com todos os ônus e bônus.

O documento que rege a Política de Viagens Corporativas é essencial para evitar desentendimentos no retorno ao trabalho, onde são feitos os reembolsos (quando necessário) e os relatórios gerenciais.

Ele indica as responsabilidades das partes e indica os gastos da viagem: o que é pago pela empresa e o que é pago pelo viajante.

Além disso, indica como será feito o atendimento e a assistência emergencial ao viajante, quais são os canais de reserva, como funciona o reembolso de despesas, quais os recursos disponíveis no período de passeio, os fornecedores indicados e demais preferências da empresa, bem como a quem recorrer em casos emergenciais.

Agora que você entendeu o que é Bleisure, pode indicar esse tema na sua próxima reunião de trabalho. Caso ainda não exista essa prática na empresa, será uma oportunidade de conhecer mais sobre essa modalidade de viagem do mundo corporativo, e caso já exista, será uma pauta positiva, pois sempre há algo a ser melhorado nessa experiência, como a compra de passagens aéreas. Você sabia que é possível solicitar o fretamento de uma aeronave? Veja como funciona agora mesmo!