ponte aérea Rio – São Paulo é a rota mais famosa do Brasil e a 5ª mais movimentada do planeta. E não é para menos, pois o trecho de 380 quilômetros que separa as duas capitais é percorrido em apenas 1 hora e 10 minutos em viagem de avião. Além disso, o voo proporciona mais conforto e comodidade, com uma vista magnífica do alto da Cidade Maravilhosa e da capital paulista.

Neste texto, você vai entender tudo sobre essa rota: como funciona, qual a sua origem, como chegar aos aeroportos, opções da rede hoteleira e outras particularidades. Aproveite a leitura!

Características gerais

ponte aérea Rio – São Paulo

O trajeto feito entre os aeroportos Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP) é a melhor opção para quem tem compromissos corporativos ou deseja aproveitar melhor o tempo no destino. Como as duas cidades movimentam o turismo de negócios e de lazer, as estradas costumam ter congestionamentos, tornando a viagem mais demorada — a estimativa de ônibus é de 6h30; de carro, 5h30.

A ponte aérea Rio – SP também facilita o acesso a cidades do interior do estado. Por exemplo, os paulistanos podem aproveitar a viagem para conhecer a fantástica Região dos Lagos e seus destinos paradisíacos, como Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo ou as charmosas cidades de Paraty, Petrópolis, Resende e Penedo.

Já os cariocas têm diversas opções culturais e gastronômicas na capital paulista e inúmeras possibilidades no interior do estado: ecoturismo, turismo histórico, turismo de aventura e um litoral de águas cristalinas. Entre os destinos mais conhecidos, estão Ilhabela, Ubatuba, Campos do Jordão, São José dos Campos, Cunha e Holambra. Também há dois parques incríveis: o PETAR e o da Serra da Bocaina.

A rota mais movimentada das Américas

De acordo com o levantamento do site Routes Online, a ponte aérea Rio – São Paulo é a maior do país e do continente americano. Em seguida, vêm os trechos Cidade do México – Cancún, no México, e Nova York – Los Angeles, nos Estados Unidos.

Outra pesquisa que comprova o potencial da rota foi realizada pela OAG, uma companhia britânica que reúne e analisa dados do setor aéreo. Ela constatou que a rota brasileira é a 5ª do mundo em fluxo de voos. Além disso, a empresa observou que o trecho é o quarto mais pontual, com 80% dos voos saindo no horário previsto.

Origem da ponte aérea Rio – SP

As viagens aéreas conectando Rio de Janeiro e São Paulo começaram nos primórdios da aviação comercial brasileira. No entanto, a frequência só se intensificou depois da Segunda Guerra Mundial, pois a oferta de aviões tornou-se maior e mais barata. A diferença é que tratava-se de uma viagem avulsa, como qualquer outra.

Início

Ponte Aérea Rio – São Paulo só foi oficializada no dia 5 de julho de 1959, em um acordo entre as companhias aéreas que operavam o voo: Varig, Cruzeiro do Sul e VASP. Essas empresas ofereciam várias frequências diárias entre os aeroportos Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo.

Contudo, esses voos não eram regulares e, muitas vezes, saíam praticamente no mesmo horário, o que resultava em alguns aviões lotados e outros vazios. Para evitar prejuízos e dar mais opções aos passageiros, as companhias aéreas se uniram e organizaram os voos de forma mais inteligente.

As empresas decidiram coordenar seus voos entre os aeroportos para não se sobreporem umas às outras, com partidas acontecendo a cada 60 minutos. Além disso, elas passaram a aceitar entre si os seus bilhetes. Ou seja, o passageiro poderia embarcar em qualquer um dos voos delas. Por exemplo, era possível comprar uma passagem aérea São Paulo – Rio de Janeiro pela VASP e viajar em um avião da Cruzeiro do Sul.

A prática se tornou ainda mais forte entre as décadas de 70 e 80, pois o único tipo de avião a operar na ponte aérea foi o Electra, da Varig. Ou seja, as companhias não só compartilhavam o bilhete entre si, como o modelo de avião.

Essa estratégia visava concorrer com a companhia aérea mais agressiva da época, a Real Aerovias. E com os resultados positivos, as empresas adotaram a prática de forma oficial, dando sentido ao termo “ponte aérea”.

Mudanças

Nos anos 90, a competitividade entre as empresas voltou e gerou mudanças no serviço. As companhias investiram em inovações para conquistar os clientes e deixaram de aceitar bilhetes de outras operadoras. Então, a verdadeira “ponte aérea”, que permitia comprar o bilhete com uma companhia e voar no avião de outra, acabou.

Esse termo, portanto, perdeu o significado, mas ainda é usado para designar a rota Rio – São Paulo. Atualmente, quatro companhias operam o trecho e oferecem mais possibilidades aos passageiros: são mais de 120 voos diários conectando as duas cidades mais populares do país, com frequência a cada 15 minutos, das 6h30 até as 22h.

Como não perder tempo na ponte Rio – SP

ponte aérea Rio – São Paulo

Normalmente, os passageiros que adquirem a passagem aérea São Paulo – Rio de Janeiro prezam pelo conforto e agilidade do serviço. No entanto, existe um fator ainda mais importante: o tempo. Afinal, tanto quem viaja a trabalho quanto quem viaja a passeio quer aproveitar o destino dentro da sua programação pessoal e evitar atrasos.

Por isso, além de observar o tempo do trajeto, é preciso atentar para as atividades realizadas antes e depois do voo, como deslocamentos, escolha do assento e procedimentos de embarque. Para facilitar esse processo, reunimos 10 orientações que ajudarão você. Veja:

  1. na hora de comprar a passagem, certifique-se de que o trecho realmente é Rio – São Paulo, e não outro voo que tenha uma conexão antes de chegar ao destino final;
  2. reserve um assento na frente da aeronave, para sair do avião com mais rapidez;
  3. ao escolher a poltrona, preze por um assento confortável e que garanta mobilidade — se você for alto, o assento no corredor é o ideal;
  4. se deseja aproveitar a viagem para apreciar a paisagem, opte por um assento na janela. Assim, você já vai curtindo o destino, mesmo que do alto. Apenas tenha cuidado para não ficar ao lado das turbinas, pois as asas podem atrapalhar a sua visão;
  5. a saída de emergência ou os assentos do tipo “mais conforto” são uma boa opção para quem precisa trabalhar durante o voo, pois têm mais espaço do que as poltronas comuns;
  6. para evitar filas, leve apenas a bagagem de mão. Com isso, você não só economiza tempo no embarque, como custos com despacho de bagagem;
  7. faça check-in online no site ou aplicativo da companhia aérea;
  8. confira o portão de embarque e certifique-se de que não houve nenhuma mudança. Se houver, dirija-se ao portão correto o quanto antes.
  9. veja as estimativas do trânsito e saia com antecedência;
  10. pense em um transporte para levá-lo do aeroporto para o seu local de destino com rapidez e agilidade, como traslado ou aluguel de carro.

A melhor forma de sair e chegar desses aeroportos

ponte aérea Rio – São Paulo

O deslocamento para o aeroporto é um dos principais cuidados que se deve ter ao adquirir uma passagem aérea. Se o voo tiver conexão, é importante observar se o bilhete indica troca de aeroporto e se a companhia disponibiliza esse traslado, pois, caso contrário, você terá que responsabilizar-se por esse trecho. Portanto, antes mesmo de comprar as passagens, veja todas as possibilidades e opte pela que for mais viável para você.

A ponte aérea Rio – SP tem dois aeroportos fixos, o Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo. Cada um tem as suas particularidades, e é importante conhecê-las para planejar-se. Veja a seguir.

Santos Dumont — Rio de Janeiro

Sem dúvidas, esse é um dos aeroportos mais bonitos do mundo, devido à vista privilegiada para a Cidade Maravilhosa. Tanto na decolagem quanto no pouso, o passageiro contempla o mar da Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar, dois cartões-postais. A paisagem encanta tanto de dia quanto à noite, mas, se tiver oportunidade, escolha um voo durante o nascer ou o pôr do sol: é uma experiência única e inesquecível. Para aproveitá-la, não esqueça de escolher o assento da janela.

Esse aeroporto foi construído nos anos 30, quando o Rio de Janeiro ainda era a capital federal do Brasil, e foi o primeiro aeroporto civil do país. Ele foi idealizado pelo urbanista francês Alfred Agache e tem belíssimos painéis de arte e o busto do aviador que deu nome ao aeroporto. Ou seja, além de toda a beleza ao redor, o aeroporto tem grande importância histórica.

Outra grande vantagem é sua localização, próxima da zona hoteleira e de negócios. Fica perto das atrações históricas do Centro, como os bairros boêmios Santa Teresa e Lapa, e do Terminal Rodoviário Novo Rio. Os pontos turísticos e praias da Zona Sul também ficam próximos: cerca de 15 minutos para a Praia de Copacabana e 25 minutos para o Parque Lage, Jardim Botânico, Lagoa Rodrigo de Freitas e Leblon.

Por essas características, criou-se o ditado popular “na dúvida, vá para o Santos Dumont”, afinal, ele reúne boa localização e vista panorâmica. O aeroporto tornou-se o queridinho dos cariocas e de muitos brasileiros. Não é à toa que ele opera a principal ponte aérea do país e a 5ª do mundo. Mas como chegar e sair desse terminal?

Primeiro de tudo, você precisa ter em mente que, como ele fica no meio da cidade, é preciso programar-se com antecedência na chegada e na saída, para evitar atrasos. Depois, observe o seu local de destino e faça simulações em plataformas como o Waze e o Google Maps para verificar a estimativa do tempo de deslocamento entre o aeroporto e o seu local de destino. Veja as opções disponíveis

Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e Metrô

VLT Rio começou a operar em junho de 2016, ligando o Aeroporto Santos Dumont ao Centro do Rio de Janeiro. Ele é uma boa opção para quem viaja sozinho ou com pouca bagagem e com destino a Centro, Tijuca e Zona Sul da cidade, porque oferece fácil conexão ao metrô.

As estações são novas e bem sinalizadas. Do salão de desembarque do aeroporto, são apenas 2 minutos de caminhada. O percurso entre o aeroporto e a estação Cinelândia é feito em apenas 7 minutos. A estação de metrô de mesmo nome fica ao lado do local de desembarque. Há um elevador e escadas no centro da praça para acessar o metrô.

O VLT funciona diariamente, das 6h à 0h, e o intervalo entre os trens é de 15 minutos em dias úteis e de 20 minutos aos finais de semana e feriados. A passagem custa R$ 3,80. Já o bilhete do metrô custa R$ 4,60.

Ônibus executivo

Quem viaja com malas e preza pelo conforto pode contar com o ônibus executivo da Viação Real, também chamado de “frescão”. O transporte conecta o Aeroporto Internacional do Galeão à Barra da Tijuca — Terminal Alvorada e à Zona Sul. Ele tem bagageiro para guardar as malas, como um ônibus de viagem comum. Também faz paradas ao longo da Zona Sul. A tarifa varia entre R$ 8 a R$ 15.

Transporte privado

Se você não gosta de esperar e deseja um trajeto mais rápido, vale a pena chamar um táxi, no portão de acesso principal, ou usar um aplicativo de economia compartilhada, como o Uber, que permite fazer a simulação do valor pelo site ou pelo app. E se você prefere algo mais personalizado, que tal alugar um carro e dirigir diretamente para o seu destino? Há diversas locadoras à disposição dos passageiros.

Congonhas — São Paulo

O Aeroporto de Congonhas tem ótima localização, fica na Zona Sul de São Paulo, no bairro Vila Congonhas, exatamente no meio da cidade. O endereço, na Avenida Washington Luís, tem acesso facilitado por diversos meios de transporte e ligação com as avenidas Bandeirantes e Vinte e Três de Maio.

Para quem tem compromissos na Zona Sul ou Oeste de São Paulo, o terminal é o ideal. No entanto, devido às suas ofertas de voos e por estar na área de interesse dos próprios paulistanos, o trânsito de veículos é intenso. Vale a pena comparar diferentes trajetos e meios de transporte para encontrar a melhor solução para o seu deslocamento.

Para chegar e sair do Aeroporto de Congonhas utilizando o transporte público, é preciso pegar um ônibus para o metrô, pois a estação fica a 5 quilômetros de distância do terminal. Quem prefere utilizar um único modal pode escolher o transporte privado, que tem várias opções de veículos.

Um dos mais comuns é o Airport Bus Service, que realiza o trajeto entre o Aeroporto de Congonhas e o Aeroporto de Guarulhos, realizando paradas em importantes regiões da cidade: Tietê, Praça da República, Avenida Paulista e Barra Funda. O ônibus funciona 24 horas por dia e a tarifa custa R$ 50 por pessoa.

Outra opção são as cinco locadoras de automóveis do terminal, que têm atendimento presencial e online. Já para quem gosta da união entre tecnologia e mobilidade, os aplicativos de economia compartilhada, como Uber, Cabify e 99 Pop, são boas opções, pois têm tarifas reduzidas e aceitam o pagamento com cartão de crédito ou dinheiro.

Para os passageiros mais tradicionais, há opções de táxi comum e especial nos principais pontos de desembarque do aeroporto. E se preferir deixar o seu carro no próprio aeroporto, Congonhas tem um estacionamento próprio, com capacidade para 3.350 veículos. Além disso, existem outros estacionamentos particulares nas vias próximas ao terminal.

Hotéis e opções de passeio próximos aos aeroportos

ponte aérea Rio – São Paulo

Além de escolher a forma de deslocamento, é importante definir bem a hospedagem, para aproveitar melhor as atrações do destino. Confira os bairros que apresentam melhor infraestrutura e sugestões de hotéis próximos dos aeroportos de cada cidade.

Santos Dumont — Rio de Janeiro

O Aeroporto Santos Dumont fica perto do Centro e da Zona Sul, áreas de maior interesse dos turistas, seja a lazer, seja a trabalho. Há diversas opções de hospedagem com qualidade na região, com facilidade de acesso aos bairros mais famosos do Rio de Janeiro, como Copacabana, Ipanema, Leblon, Lapa, Santa Teresa e Botafogo.

Para quem gosta de lugares históricos, os hotéis localizados no Centro e na Lapa são uma ótima escolha. Já para quem dá prioridade à praticidade e gosta de modernidade, o bairro Botafogo é uma boa opção. Os viajantes econômicos vão encontrar melhores opções na Glória e no Catete. E para quem não dispensa uma vista privilegiada, a poucos passos da praia, vale a pena fica no Leblon, Ipanema ou Copacabana.

O Prodigy Santos Dumont, por exemplo, é integrado ao aeroporto. Ou seja, poucos passos separam a área de embarque e desembarque do hotel. Essa infraestrutura é ideal para quem viaja a negócios ou a lazer, pois reúne conforto, segurança, praticidade e tranquilidade.

Agora, se você prefere ficar na cidade mesmo, há inúmeras opções. Veja as mais buscadas:

  • Hotel Ibis Santos Dumont;
  • Novotel Santos Dumont;
  • Windsor Guanabara;
  • Othon Aeroporto;
  • Diamond Hotel;
  • Golden Park Hotel Rio de Janeiro;
  • Hotel Atlântico Business Centro;
  • Intercity Porto Maravilha;
  • Pousada Casa Cool Beans.

Opções de passeio

ponte aérea Rio – São Paulo

O Rio de Janeiro não leva o título de Cidade Maravilhosa à toa: são inúmeras belezas naturais, arquitetônicas e culturais. Quem visita a capital carioca sempre volta, pois o Rio tem muitos atrativos e é praticamente impossível conhecer tudo de uma vez só. Por isso, listamos alguns lugares que valem a visita para ajudar você a compor o roteiro, veja:

  • Cristo Redentor;
  • Pão de Açúcar;
  • Mirante Dona Marta;
  • Quinta da Boa Vista;
  • Bondinho Santa Teresa;
  • Museu de Arte Moderna;
  • Lagoa Rodrigo de Freitas;
  • Praias da Zona Sul;
  • Teatro Municipal;
  • Jardim Botânico;
  • Parque Lage;
  • Arpoador;
  • Lapa.

Quem tiver mais tempo no destino pode aproveitar para ir até a Região dos Lagos ou Angra dos Reis. Vale lembrar que o Rio também tem vários parques nacionais e estaduais, cidades históricas e uma cultura efervescente. Confira a programação local e explore ao máximo as atrações cariocas!

Congonhas — São Paulo

Como você viu no início deste texto, o aeroporto de Congonhas fica em uma região privilegiada de São Paulo, próximo da Avenida Paulista, Parque do Ibirapuera, Jardim Botânico, Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini e estação de metrô São Judas. Para quem viaja a trabalho, ficar perto do aeroporto é uma ótima opção, pois o terminal fica exatamente na área de negócios, com fácil acesso às zonas Sul e Oeste.

O viajante pode escolher entre um hotel corporativo, de luxo, lazer ou econômico. Também existem outras modalidades de hospedagem disponíveis, como flats, pousadas e hostels. Ou seja, independentemente do seu estilo de viagem e do quanto esteja disposto a investir, você pode escolher uma estadia próxima de Congonhas.

Veja quais são os hotéis mais procurados:

  • Nobile Suites Congonhas;
  • Ibis São Paulo Congonhas;
  • Bourbon Convention Ibirapuera;
  • Blue Tree Premium Congonhas;
  • InterCity Premium Ibirapuera;
  • Estanplaza Ibirapuera;
  • Tsue The Palace Flat;
  • Slaviero Slim Congonhas;
  • Transamerica Executive Congonhas.

Opções de passeio

São Paulo é uma cidade multicultural, com áreas verdes, vida noturna agitada e muitas opções de serviços. O desafio não é que atrações escolher para o roteiro, e sim o que deixar de fora para a próxima viagem, pois, certamente, você vai ficar com vontade de voltar para explorar outras áreas. Confira algumas das opções mais clássicas entre os turistas:

  • Parque do Ibirapuera;
  • Mercado Municipal;
  • Avenida Paulista;
  • Centro Histórico;
  • Vila Madalena;
  • Bairro da Liberdade;
  • Estádios e Museu do Futebol;
  • Ruas 25 de março e Oscar Freire;
  • Museu de Arte de São Paulo — MASP.

O melhor é que o transporte público funciona bem, e, dependendo da época do ano, caminhar também é uma boa opção para os passeios. Outra ponto fundamental: confira a programação cultural da cidade, pois sempre tem eventos, peças de teatro, shows e exposições acontecendo — muitas vezes, gratuitos.

Agora que você já sabe tudo sobre a ponte aérea Rio – São Paulo, seus voos entre essas cidades serão mais produtivos. Quando for se deslocar entre elas, use este texto como um guia. Fique à vontade para salvá-lo ou consultá-lo novamente sempre que achar necessário. E, independentemente do estilo da viagem, aproveite os destinos mais desejados do país.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite para encontrar as melhores ofertas de voos entre as capitais Rio de Janeiro e São Paulo.