Viajar a negócio é sempre complicado, não é mesmo? Depende! Se você é organizado, gosta de se planejar e consegue se manter fiel às metas traçadas, parabéns, está no caminho certo. Com as ideias que daremos a frente, você vai se tornar um expert em viagem de negócios.

Mas se você é um pouco (ou muito) desorganizado, não se dá bem com planejamento nem segue metas, não se preocupe: também está no caminho certo. É só continuar lendo este texto e seguir as sugestões. Com certeza, você verá que viajar a negócios pode ser muito produtivo e prazeroso.

Ah, antes de continuar, lembre-se: algumas das 15 ideias que apresentaremos agora podem funcionar pra você e outras não. Analise seu perfil para saber o que pode atender melhor às suas necessidades e te ajudar a ser mais produtivo durante uma viagem de negócios. Vamos lá!

1. Planejamento é essencial

Quem passa boa parte do tempo em viagens aéreas sabe: planejamento é imprescindível para que tudo aconteça da forma mais perfeita possível. Uma viagem de negócios nunca se limita apenas ao trabalho. Afinal, se deslocar de um ponto ao outro exige muitos processos.

Defina a agenda de compromissos com antecedência, anotando horários de reuniões e calculando o tempo e a distância entre os locais onde você precisa estar.

Nunca se sabe ao certo como vão estar as condições de trânsito na cidade de destino, por exemplo. De nada adianta conseguir pegar o voo certo e se atrasar no caminho entre o aeroporto e algum compromisso.

Procure planejar o mínimo de compromissos possíveis no dia anterior da viagem. Uma agenda mais tranquila nos dias que a antecedem contribui para a correção de eventuais problemas que possam surgir, além de poupar suas energias para o que realmente importa: os negócios.

2. Momento de ócio é bônus

Já ouviu falar em ócio criativo? Ócio significa tempo livre. Para os gregos, era no ócio que os homens pensavam e filosofavam sobre as atividades da cidade e da política. Já o conceito de ócio criativo foi criado na década de 90 por um sociólogo italiano e se trata da junção entre trabalho, estudo e lazer.

Simplificando, ócio criativo significa fazer algo produtivo e prazeroso no tempo livre.

Quanto tempo ocioso você já teve antes, durante e após as viagens de negócios? Se pararmos para calcular, veremos que muitos desses momentos são mal aproveitados. Então, a partir de hoje, ócio só se for criativo. Use os momentos livres para atividades leves que podem desafogar seus compromissos.

Por exemplo, já pensou em aproveitar o tempo de conexão nos aeroportos para responder e-mails e enviar mensagens?

Sabe aquele tempinho que sobra entre uma reunião e outra ou quando alguém atrasa para um compromisso? Pois bem, ele pode ser utilizado para terminar alguns cálculos, ensaiar um discurso, finalizar os slides da apresentação, entre outras tarefas simples para as quais nunca arranjamos tempo.

Muitas vezes saímos do aeroporto e passamos bons minutos e até horas dentro de um táxi. Que tal usar esse tempo para fazer ligações urgentes e falar com a família para matar a saudade?

3. Alimentar-se bem é imprescindível

Sempre que possível, opte por horários de voos que não vão te obrigar a pular refeições, afinal, nem todas as companhias aéreas oferecem alimentação durante a viagem.

Pular refeições afeta negativamente todo o organismo e compromete a produtividade, em especial se for combinado com a mudança causada pelo fuso horário diferente. Algumas pessoas ficam irritadas e estressadas quando estão com fome, e nesse estado, a mente não consegue focar em outra coisa a não ser comida.

Em voo de longa duração, não dependa apenas das refeições oferecidas pelas companhias. Primeiro, coma antes da viagem — tome um café reforçado, almoce ou jante, dependendo do horário.

E sempre leve um lanche: pode ser uma barra de cereal, uma fruta, amendoins ou um sanduíche natural. Lembre-se também de nunca ficar mais de três horas sem se alimentar e beba bastante água.

4. Não abusar da alimentação é sábio

Ainda falando sobre a alimentação, outro vilão dos viajantes de negócios é a gastronomia desconhecida. Não é em todos os países que encontramos com facilidade aqueles alimentos que temos o costume de comer.

Se você não está familiarizado com o cardápio, vá pelo básico: coma os legumes, a salada e a proteína aos quais você já está acostumado. É bom também saber se você tem alguma alergia ou intolerância. Passar mal em uma viagem de negócios, além de desagradável, é um prejuízo.

5. Restaurante é mais saudável que fast food

Prefira restaurantes a estabelecimentos de fast food. A rapidez do atendimento não compensa a falta de nutrientes que você precisa para se manter bem.

Outra vantagem em relação ao restaurante é que nele você se alimenta melhor pelo mesmo valor (ou até por menos) de uma refeição em um fast food. Enquanto está comendo batata frita e hambúrguer e refrigerante, poderia estar desfrutando daquele velho e conhecido arroz com feijão e uma bela proteína de verdade.

6. Descansar é tão importante quanto comer

Não é só se alimentar direitinho e achar que vai suportar bem várias horas de voos e reuniões seguidas. Descansar é tão importante quanto manter uma boa alimentação.

De forma simples, você pode fazer isso durante o voo. Relaxar, escutar música, ler um livro ou dar um cochilo, qualquer dessas opções vai ajudar seu cérebro a se recuperar e a se preparar para a jornada que está prestes a enfrentar. Então coloque um bom par de fones de ouvido e máscara de dormir na sua bagagem de mão.

7. Dormir bem é requisito básico

Na noite anterior da viagem, durma bem, pelo menos oito horas. Com mudanças no fuso horário e muitas atividades, o descanso pode ficar comprometido.

Se você vai passar muitos dias no destino, planeje bem o tempo para dormir. Não marque compromissos à noite. Nem sempre é possível, mas quando for, siga a sugestão: dormir cedo para acordar disposto.

Se for viajar à noite, procure não dormir de dia e aproveite o tempo da viagem para fazer isso. Dormir durante a tarde tira o seu organismo da rotina à qual ele está acostumado e causa sensação de cansaço, dores de cabeça e stress.

Mas não é só durante o sono que se descansa. Nos intervalos entre as atividades, tire uns minutos para uma pausa, tome um café. Procure evitar rotinas longas demais, parar para recuperar as energias físicas e mentais faz com que o trabalho seja produtivo.

8. Ter um hobby também é essencial

Pelo bem de sua sanidade mental, coloque um hobby na sua agenda. Se for uma atividade física, melhor ainda. O importante é que você intercale horas de trabalho com algum tempo para o lazer.

Um momento de distração ou de diversão pode ser comparado a uma boa noite de sono. Momentos assim arejam a cabeça e mostram que a vida não é feita apenas de compromissos profissionais.

Muitas vezes, viajamos para lugares deslumbrantes, mas a rotina de trabalho não nos permite aproveitar. Separe na agenda alguns momentos para conhecer um ponto turístico, sair para jantar ou conversar com alguém (só não vale falar o tempo todo de trabalho ou vai se saturar do assunto).

9. Postura nos momentos de lazer é um segredo

Momentos de lazer podem servir para ampliar a rede de contatos, conhecer novos fornecedores, compradores, investidores… Só não se esqueça de que a postura nessas horas de descontração é muito importante, afinal você está sendo avaliado a todo instante.

Baladas podem ser uma atração e tanto para quem quer um pouco de diversão. Mas lembre-se: você está viajando a trabalho. Evite baladas noturnas, por mais tentadoras que elas sejam. Não faltarão oportunidades para você voltar àquele destino em uma viagem puramente de turismo.

10. Definir horários de trabalho é organização

Alimentar-se bem, descansar o suficiente e ter momentos de lazer, como já vimos, é essencial para manter a produtividade durante uma viagem de negócio. Mas definir um horário de trabalho também é essencial.

Trabalhar o tempo todo é prejudicial e trabalhar em horários não definidos também é. Se você quer ser superprodutivo, precisa manter a organização.

Fixe horários (dentro do período considerado comercial) para fazer reuniões, visitar clientes ou fornecedores e para ler e responder e-mails.

Se você precisa desempenhar algum papel muito importante, defina um horário especial para se preparar, com bastante silêncio e um lugar confortável e propício para a concentração.

Estimular metas é uma boa estratégia para manter a agenda em andamento e ser mais produtivo.

Isso não quer dizer que você não possa fazer horas extras ou ampliar a jornada de trabalho para cumprir o deadline. Só não faça disso sua rotina. Longas jornadas acumulam stress, cansaço e isso compromete o rendimento nos dias posteriores.

11. A tecnologia é um anjo da guarda

Para qualquer uma das ideias listadas acima, é possível encontrar um programa, software ou aplicativo que facilite a tarefa. Na correria do dia a dia dos viajantes, uma agenda online pode ajudar muito com os compromissos.

Procurar um hotel, um restaurante, táxi ou mesmo promoções de passagens aéreas pode ser muito mais rápido e fácil utilizando a internet. Lembretes para ligar para a família, entregar um relatório ou marcar uma reunião também podem dar aquela forcinha para a memória.

Tablet, smartphone, kindle, notebook, todos esses dispositivos podem se tornar boas ferramentas para manter a produtividade em alta durante as viagens. Basta saber a hora ideal de usá-los!

12. Salas VIP são um conforto válido

A maioria dos aeroportos conta com salas VIP. Em alguns casos, o investimento vale pelo sossego que elas oferecem. Nesses espaços, é possível ter silêncio, tomar um bom café, descansar, encontrar tomadas disponíveis para carregar o celular ou o notebook ou mesmo assistir TV e se inteirar do que acontece no mundo.

Procure as melhores ofertas de salas VIP e torne seu tempo ainda mais produtivo. Geralmente essas salas são destinadas a clientes especiais de cartão de crédito ou para participantes de programas de fidelidades de companhias aéreas. Vale a pena dar uma pesquisada nisso!

13. Viagem de negócio significa levar o essencial

Uma viagem de negócio já tem processos e atividades demais para você se preocupar com excesso de bagagem e pagamento de taxas. Lembre-se: você não está indo a turismo ou de mudança, e sim a negócios.

Além disso, você pode aproveitar de outras maneiras melhores o tempo que gastaria para arrumar muitas malas.

Comece pelas roupas, leve apenas o necessário para os compromissos profissionais e algumas peças para os demais momentos. Muitas vezes, é melhor comprar uma camisa ou bermuda durante a viagem do que levar muitas roupas e ter que desembolsar a mais por isso.

Depois de fazer a checklist das roupas, observe os equipamentos eletrônicos que você está levando. Pense bem e verifique se apenas o seu celular é capaz de suprir as suas necessidades ou se realmente é preciso levar vários dispositivos.

Não leve livros demais nem muito material de estudo. Dificilmente você terá tempo para ler ou estudar em uma viagem de negócios.

14. Checklist é a salvação

Como disse no início deste texto, uma viagem de negócios requer muitos processos que às vezes nos escapam. Faça uma checklist ou um roteiro de viagens de negócios e procure ser o mais fiel possível a eles.

Com todos os processos registrados, é mais provável que você não se esqueça de nada e não tenha complicações durante a viagem.

15. Aprender com os erros é inteligente

Por mais que você roteirize sua viagem, alguma coisa sempre vai sair do planejado. Não se irrite, faça disso um aprendizado e nunca cometa o mesmo erro novamente.

Uma boa forma de aprender com os erros é registrando-os na checklist. Sempre que for se preparar para uma viagem, você vai se lembrar deles e dos transtornos que causaram.

Então, viu que não é tão difícil se organizar para uma viagem de negócios? Seguindo algumas das sugestões apresentadas, seu tempo será muito proveitoso e suas viagens mais produtivas.

Quer ver outros conteúdos interessantes como este? Siga nossos perfis nas redes sociais. Pode ser no Facebook, Instagram, YouTube ou Twitter, não faltam meios de se tornar mais produtivo durantes as viagens!