Conhecer os aeroportos de Nova Iorque faz parte do passeio de quem visita a metrópole norte-americana. Ao mesmo tempo, muitos turistas têm dúvidas sobre o que esperar de cada um deles, como chegar e sair e quais são as opções de entretenimento e alimentação disponíveis.

Pensando nisso, elaboramos um guia explicando melhor sobre cada um dos três maiores aeroportos internacionais de Nova Iorque: JFK, LaGuardia e Newark. Além disso, também vamos falar um pouco sobre os dois menores, MacArthur e Teterboro. Confira!

John F. Kennedy International Airport — JFK

O Aeroporto Internacional John F. Kennedy é o mais movimentado da região metropolitana de Nova Iorque, com quase 60 milhões de passageiros transportados em 2017. Mais de 90 companhias aéreas operam no JFK, com voos diretos para todos os seis continentes.

Mais conhecido pelo código JFK, o aeroporto está no Queens, a 30 km do centro de Manhattan. Ele foi inaugurado em 1948 com o nome de Aeroporto Internacional de Nova Iorque e em 1963 foi renomeado em memória ao presidente norte-americano John F. Kennedy, que foi assassinado no mesmo ano.

O JFK conta com 6 terminais ativos, mas que são numerados de 1 a 8, saltando o 3 e o 5, que foram destruídos em 2013 e 2011, respectivamente. Nesses 6 terminais existem 128 portões de embarque.

Para dar conta do alto fluxo de aeronaves, o JFK tem 4 pistas de pouso e decolagem, a maior delas com 4.423 km de concreto. Além disso, o aeroporto conta com mais de 40 km de pistas de circulação para que as aeronaves se movimentem pelo complexo e 4 helipontos.

O JFK fica relativamente distante da principal área turística de Nova Iorque, mas sobram opções de transporte para chegar em Manhattan.

Para quem quer conforto e praticidade, é possível optar por um táxi. Eles estão disponíveis em todos os terminais e o custo da viagem até Manhattan, com taxas, pedágio e gorjetas é próximo de US$60.

Outra opção conveniente é buscar um serviço de motorista particular, sendo que existem opções exclusivas de transfer em Nova Iorque para brasileiros, que vão esperar pelo passageiro na área de desembarque com uma placa com seu nome. Naturalmente, essa é uma opção mais cara.

Para quem quer economizar, é possível pegar o NYC Airporter, um ônibus que custa US$17 e para nas principais estações de Nova York, como a Penn Station e a Grand Central. Esses ônibus só funcionam entre 5h e 23h30.

Outra opção econômica é o transfer compartilhado, também chamado de shuttle, que leva o turista direto ao hotel e custa em média US$20. Eles estão disponíveis 24h e o único contratempo é que, como levam muitos turistas por vez, a espera em terminais do aeroporto e as paradas em muitos hotéis podem fazer com que o trajeto seja muito longo.

Ainda mais barato é ir até Manhattan de metrô: para isso, basta pegar o AirTrain, que é o trem interno do aeroporto, descer nas estações Howard Beach ou Jamaica e a partir daí pegar os trens A e E que vão para Manhattan. A viagem é relativamente longa, podendo chegar até 2h e para quem leva muitas malas pode ser complicado, mas o custo total de todas tarifas não chega a US$9.

Um pouco mais confortável e bem mais rápido que o metrô é o trem de superfície, que faz o trajeto entre o aeroporto e a Penn Station, Manhattan, em aproximadamente 30 minutos. Para pegar, também é preciso antes ir de AirTrain até a estação do trem. O custo total é de US$15 e o principal contratempo é que se o hotel do turista não ficar próximo da Penn Station, pode ser preciso tomar outro meio de transporte até lá.

E para quem vai passar um tempo no JFK esperando um voo ou conexão, é fácil passar o tempo. Espalhados pelos terminais estão restaurantes que vão desde os famosos hambúrgueres do Shake Shack no Terminal 4 até o luxuoso La Vie, um bistrô no Terminal 5, passando por todo tipo de lanchonete e rede de fast food.

Além disso, que esqueceu de algo na hora de fazer compras em Nova Iorque pode recuperar o tempo perdido em lojas como Michael Kors, Victoria’s Secret e muitas outras.

LaGuardia Airport — LGA

O aeroporto de LaGuardia fica no Queens e é o mais próximo de Manhattan: 15 km de distância. Menor que o JFK e o Newark, ele não deixa de ser bem movimentado, com quase 30 milhões de passageiros transportados em 2016.

Ele começou como um aeroporto particular em 1929 com o nome de Glenn H. Curtiss, em homenagem a um pioneiro da aviação da região. Pouco depois, foi renomeado como North Beach Airport e em 1939 foi renovado e aberto ao público geral como o New York Municipal Airport.

Em 1953 foi rebatizado como LaGuardia, em homenagem a Fiorello La Guardia, que foi o prefeito de Nova Iorque entre 1934 e 1945.

Mais utilizado para voos domésticos, o LaGuardia conta com 4 terminais e duas pistas de decolagem e aterrissagem. Não existem voos diretos do Brasil até o LaGuardia.

O preço de táxis para o LaGuardia não é fixo e uma corrida até Manhattan varia entre US$25 e US$50. Já a contratação de um serviço de transfer particular pode ter um valor bem variável, mas certamente um pouco mais caro. O trajeto é feito de carro em aproximadamente 40 minutos.

Já no caso do transfer compartilhado, o preço é de algo US$20 para a viagem até Manhattan, mas como já foi dito, pode levar mais tempo do que o esperado.

Por fim, existe a opção do Ônibus do NYC Airporter, que custa US$13 nesse trajeto e faz o caminho em cerca de 1h.

E no quesito alimentação, o LaGuardia, que já teve uma má reputação, evoluiu muito nos últimos anos e hoje conta com opções bem atrativas como o popular Artichoke Pizza na praça de alimentação do Terminal C e o surpreendente Bisoux no Terminal D, um restaurante dos chefs Lee Hanson e Riad Nasr, ex-Balthazar e Pastis.

Em relação às opções de compras, o LaGuardia não oferece muito como o JFK e Newark, mas é possível encontrar itens mais comuns como algumas maquiagens, perfumes e acessórios para eletrônicos. Só não deixe para comprar nada especial no fim da viagem.

Newark Liberty International Airport — EWR

Apesar de estar localizado em Nova Jersey, o Newark é um dos principais destinos de quem embarca em voos para Nova York. Ele fica a 25 km do centro de Manhattan e recebe mais de 30 milhões de passageiros anualmente, com destaque para rotas internacionais como Londres, Tel Aviv, Toronto e Cancún.

Mais de 50 companhias operam voos a partir de Newark, utilizando a estrutura de 3 pistas de decolagem e aterrissagem e 3 terminais de passageiros, com 121 portões de embarque no total.

Ele é um dos aeroportos mais antigos da região, inaugurado em 1928 como o primeiro aeroporto de grande porte atendendo a metrópole de Nova Iorque. Chegou a ser o aeroporto mais movimentado do mundo até 1939, o LaGuardia se tornou aberto ao público e assumiu essa posição. Hoje, ele é apenas o 42º aeroporto mais movimentado do mundo em número de passageiros.

A opção do táxi a partir de Newark até Manhattan é um pouco cara e pode passar dos US$90, com taxas e gorjetas incluídas. Os transfers particulares cobram um pouco mais que isso, mas é preciso reservar com antecedência.

Por outro lado, o transfer compartilhado custa algo como US$21 dólares entre Newark e hotéis na região da Times Square, o que pode ser uma boa opção para quem não tem pressa.

Já o Newark Airport Express, ônibus executivos que partem de Newark rumo a Manhattan, funcionam entre 6h45 e 23h15 e custam US$16. Eles param em três locais: Port Authority Bus Terminal, Bryant Park e Grand Central Terminal. A viagem leva aproximadamente 1h.

E também é possível ir até Manhattan pelo transporte público da metrópole, pegando o Airtrain no aeroporto e descendo Newark Liberty Airport Station. A partir daí, é possível seguir o caminho com NJ Transit até a Penn Station.

Como era de se esperar, o aeroporto de Newark também conta com uma extensa gama de opções de alimentação. Quem estiver com mais tempo pode experimentar frutos do mar no Philip’s Seafood, no Terminal A, enquanto os viajantes com mais pressa podem pegar gyozas e outros lanches rápidos de inspiração nipônica no Wabi-Sabi, que tem duas lojas no terminal C.

E como qualquer outro grande aeroporto internacional dos Estados Unidos, existe uma infinidade de lojas nos 3 terminais de Newark, o que é excelente para quem deixou alguma compra para o fim da viagem ou se lembrou de um item de última hora.

Outros aeroportos de Nova Iorque

Além dos três principais aeroportos de Nova Iorque que recebem centenas de voos todos os dias, a metrópole norte-americana também é abastecida por outros dois menores: o Aeroporto de Teterboro e o Aeroporto MacArthur de Long Island.

Por serem de menor porte, esses dois aeroportos atendem uma demanda bem menor que a dos outros três e é improvável que um turista brasileiro vá parar em algum deles quando estiver viajando para a Big Apple. Mas vale a pena conhecer mais um pouquinho sobre cada um deles.

Aeroporto MacArthur de Long Island

Apesar da distância de 97 km até Manhattan, o Aeroporto MacArthur de Long Island foi designado como um aeroporto oficial da metrópole de Nova Iorque em 2011 pela Federal Aviation Administration (FAA), órgão que administra a aviação civil nos Estados Unidos.

Desde então, serve como uma alternativa aos congestionados LaGuardia, JFK e Newark, especialmente para quem vai para os condados de Nassau e Suffolk, em Long Island.

O MacArthur conta hoje com dois terminais, o primeiro com 9 portões equipados com ponte de embarque e o segundo com dois portões com ponte de embarque e um número de portões por embarque remoto que varia de acordo com a demanda.

Hoje apenas três companhias operam voos comerciais no MacArthur: American Eagle, Frontier Airlines e Southwest Airlines, para destinos como Baltimore, Filadélfia, Orlando, Tampa e Fort Lauderdale, com voos sazonais para Miami, Detroit, Chicago, Atlanta e outros.

Desde 2017 o estado de Nova York iniciou um esforço para a instalação de alfândegas e outros requisitos necessários para que o MacArthur se torne um aeroporto internacional. A expectativa é de que em 2019 ele passe a receber voos de outros países.

O nome do aeroporto é uma homenagem ao General norte-americano Douglas MacArthur, que foi o comandante das forças aliadas que derrotaram o Império do Japão na Segunda Guerra Mundial.

A construção do aeroporto foi iniciada apenas 4 meses após o ataque em Pearl Harbor e originalmente seu nome seria Aeroporto de Islip. Mas, após as notícias da dramática fuga de Douglas MacArthur das Filipinas, furando um bloqueio japonês com lanchas e seu filho de 4 anos a bordo, a cidade de Islip, onde fica o aeroporto, decidiu homenagear o general, que já era um oficial condecorado da Primeira Guerra Mundial e se consagraria ainda mais após a vitória no pacífico e o comando da reconstrução do Japão.

Aeroporto de Teterboro

Operado pela autoridade portuária de Nova Iorque e Nova Jersey, o Aeroporto de Teterboro é relativamente pequeno e suas pistas de aterrissagem e decolagem suportam um peso máximo de 45 toneladas, o que faz com que ele seja inviável para a aviação comercial.

Por outro lado, como ele fica apenas a 19 km da área central de Manhattan, ele é bem popular na aviação executiva e particular, sendo, inclusive, a sede de empresas de aviação executiva que operam tanto em voos domésticos como em internacionais.

O aeroporto de Teterboro é o mais antigo operando na região de Nova Iorque: sua primeira decolagem foi em 1919. E os amantes da aviação podem acabar conhecendo o aeroporto pelo fato de que nele está o Museu e Hall da Fama da Aviação de Nova Jersey, com aeronaves, equipamentos, fotografias e até equipamentos espaciais em exposição.

Gostou de aprender mais sobre os aeroportos de Nova Iorque? Aproveite então para compartilhar este artigo com seus amigos nas redes sociais!