Para explicar o que é rapport vamos começar com um exemplo: você já percebeu que quando interagimos socialmente com alguém ou com um grupo de pessoas, sempre existem aquelas com quem nós nos identificamos mais, logo a partir do início da conversa?

Pois bem. Isso acontece a todo tempo e é perfeitamente natural. O que a maioria das pessoas não sabe é que existe um nome para tal situação e que, mais do que isso, você pode utilizar dessa circunstância para aprimorar tanto a sua vida pessoal como a sua vida corporativa.

O nome desse conceito ou técnica é rapport e é exatamente sobre ela que vamos falar neste artigo. Por isso, se você quer saber o que é rapport e entender como pode se beneficiar dela, acompanhe a leitura!

O que é rapport?

Antes de entender o que é rapport, primeiro vamos conhecer um pouco sobre a sua origem. O termo é derivado da palavra francesa “rapporter” que, em seu sentido literal, quer dizer “criar uma relação”.

Portanto, essa palavra é utilizada para descrever a capacidade de um indivíduo de se colocar no lugar da outra pessoa com quem está mantendo o diálogo, relaxando-a, gerando empatia e permitindo uma sincronização. Dessa forma, se proporciona o estabelecimento de uma relação harmônica e confiável.

Ao desenvolver as habilidades de rapport, você vai poder transmitir confiança mais facilmente para a pessoa com quem você está se relacionando. Assim, produzirá maior interação e menor resistência na conversa, melhorando o seu marketing pessoal.

Entretanto, é válido frisar um ponto em que a maior parte das pessoas se confunde bastante: rapport, não necessariamente, consiste em concordar em gênero, número e grau com a outra pessoa. Trata-se de garantir que o interlocutor sinta a sensação de que está sendo 100% escutado e compreendido, mesmo que tenha opiniões divergentes das suas.

Em outras palavras, rapport é, basicamente, saber ser receptivo às outras pessoas e gerar o sentimento de que elas são compreendidas quando conversam com você. Com certeza, em algum momento da sua vida, você já deve ter sentido isso e pensado: “essa pessoa realmente me entende”. Pois bem, é exatamente disso que se trata o rapport.

No que consiste esse conceito?

Por mais que possa parecer algo de difícil compreensão, o conceito de rapport é exatamente o oposto. Aliás, ele é algo completamente natural e que está sempre acontecendo. Tanto é que você já deve ter passado por situações em que “o santo bateu” com a outra pessoa sem nem mesmo saber o que é rapport.

Entretanto, mesmo que seja uma coisa natural, todos são capazes de induzir esse tipo de sentimento e provocar boas sensações utilizando o rapport como ferramenta nas relações interpessoais. Para isso, você vai precisar entender alguns conceitos fundamentais do rapport. Confira!

Acompanhar

Quando queremos facilitar a conexão com outra pessoa utilizando o rapport a nosso favor, é preciso compreender que, antes de trazê-la para o nosso mundo e dar as cartas do jogo, é necessário entrar no universo dela.

Você somente vai conseguir gerar rapport com alguém a partir do momento em que demonstrar o interesse genuíno na outra pessoa e mergulhar no mundo dela. É preciso fazer isso ao ponto de ela se sentir tão segura ao seu lado que pode, enfim, se deixar levar pelo seu mundo, aceitar as suas sugestões e seguir o que você diz.

Quando a fase de acompanhar está fluindo de acordo com os seus planos, você atingirá o chamado “ponto de equilíbrio” da relação, isto é, você não vai precisar mais pensar conscientemente em acompanhar o interlocutor. A conversa vai fluir de forma natural e a pessoa não só sente que você a entende, mas também está “sincronizada” a você, desde o tom de voz até a postura física.

Ao atingir esse ponto, chegou a hora de passar para a segunda parte!

Conduzir

Um dos maiores desafios de aplicar as técnicas de rapport nas relações interpessoais é saber o momento certo de começar a conduzir a interação. Isso porque grande parte das pessoas acaba se dando por satisfeita pela conexão criada na fase anterior e prefere não dar um passo adiante.

Não que isso seja algo errado. Mas, se você quiser tirar o máximo proveito do rapport, você vai precisar saber conduzir a interação e isso é mais simples do que parece.

Se você ainda não tem certeza se está no “ponto de equilíbrio”, faça o seguinte: no momento em que você perceber as semelhanças entre o seu comportamento e o comportamento do seu interlocutor, provoque alguma leve mudança. Pode ser no tom de voz, na linguagem corporal ou na velocidade da fala. Faça isso e veja se a outra pessoa o acompanha.

Caso ela siga a sua mudança, meus parabéns: você já está conduzindo a interação. Nesse momento, você automaticamente se torna influente para as outras pessoas e é aqui que você vai tirar proveito do rapport.

Agora, você já está no ponto de vender a si mesmo, a sua ideia ou o seu produto para o seu interlocutor. Nessa hora, você vai perceber como a aceitação se torna mais simples para novas ideias com o uso do rapport.

O que influencia no rapport entre duas pessoas?

Ao aprofundar mais nos conceitos de psicologia que englobam o funcionamento do rapport, podemos perceber que alguns fatores são preponderantes para que seja estabelecida uma conexão profunda entre duas pessoas.

Esses fatores, que são denominados “níveis de intensidade”, pouco têm a ver com a intensidade do sentimento, mas com os níveis neurológicos dos seres humanos. Veja quais são eles!

Ambiente

O ambiente, basicamente, é o espaço físico, as coisas externas que circundam você e o seu corpo, onde você estiver: seja seu trabalho, seja seu carro, seu banco, o condomínio onde vive, ou até mesmo os lugares que costuma visitar frequentemente.

Se, por acaso, você encontrar pessoas que têm algo em comum no seu ambiente, automaticamente, já pode ser percebida uma tendência para a existência do rapport. Basta perceber que as pessoas do seu trabalho, quase todas, frequentam o mesmo happy hour. Não é coincidência.

Comportamento

Qual é o seu comportamento no dia-a-dia? Que tipo de coisas você costuma fazer? Saiba que tudo que você faz o aproxima de certas pessoas e, ao mesmo tempo, o afasta de outras.

Gente que tem costume de fazer as mesmas coisas que nós são aquelas com quem temos um melhor potencial de conexão.

Habilidades

Se você vive em grandes centros econômicos, como São Paulo, já deve ter presenciado uma conversa entre dois economistas ou dois trades do mercado financeiro. Na grande maioria das vezes, para não falar em sua totalidade, mesmo acabando de se conhecer, os dois se fecham na conversa para discutir sobre a atual situação econômica do país ou quais são as melhores oportunidades do mercado.

É assim com todas as profissões. Pessoas que têm os mesmos dons ou exercem as mesmas profissões, tendem, por natureza, a produzir conversas muito mais agradáveis do que duas pessoas de trabalhos antagônicos.

Valores

Os valores compõem o (provavelmente) mais intuitivo dos níveis. Pessoas que tenham as mesmas crenças e defendem os mesmos ideais e valores do que nós são exatamente aquelas que queremos por perto.

Como usar o rapport na prática?

Agora que você entendeu o que é rapport e conheceu um pouco dos seus conceitos básicos, chegou a hora de colocar os conhecimentos em prática. Assim sendo, a seguir, vamos explicar algumas das principais técnicas para melhorar conscientemente a sua habilidade de interagir com as pessoas. Confira!

Espelhar

Conhecida como técnica do espelhamento, ela é a mais conhecida para gerar conexões de forma mais simples com outras pessoas. Como o próprio nome diz, essa técnica consiste em “ser um reflexo” do seu interlocutor.

Pense por um instante. Você está parado na frente do seu espelho, e de repente, cruza os braços. O que a sua imagem refletida no espelho vai fazer? Obviamente, cruzar os braços. É nisso que se baseia a técnica do espelhamento: em seguir os movimentos (de forma discreta) para gerar empatia.

Vale lembrar que espelhar é completamente diferente de imitar. Existem diversas maneiras delicadas de espelhar os movimentos de outra pessoa, mas, com certeza, nenhuma delas consiste em fazer exatamente as mesmas coisas do que ela.

Lembre-se sempre de que imitar é uma tremenda falta de etiqueta, independentemente do ambiente. Você pode acompanhar, de maneira sutil, vários aspectos do interlocutor, como a sua linguagem corporal, gestos, expressões faciais, respiração, movimentos dos pés, dos olhos etc.

São infinitas opções e detalhes que, caso sejam reproduzidos por você de maneira discreta, têm um enorme potencial de criar rapport. O segredo dessa técnica é a prática. Quanto mais você se dedicar, mais vai se tornar ciente das enormes possibilidades de espelhamento. Apenas lembre-se de ser sutil.

Caso você não se sinta tão convencido de que a técnica do espelhamento funciona, tente o seguinte: na sua próxima reunião de negócios, escolha duas pessoas e espelhe-as durante 10 minutos. Você vai se surpreender com os resultados.

Combinar

Essa tática também é bastante utilizada para gerar rapport e é muito parecida com a técnica do espelhamento. Entretanto, ambas se diferenciam em, principalmente, um aspecto: o timing.

Enquanto a técnica de espelhar consiste em acompanhar, de forma discreta, os gestos e a linguagem corporal de uma pessoa de maneira simultânea, a tática de combinar envolve um fator de “atraso” no espelhamento.

Por exemplo, caso alguém esteja gesticulando delicadamente enquanto estabelece o seu argumento, você pode aguardar pacientemente e prestar atenção em cada detalhe da linguagem corporal dessa pessoa.

Quando você tiver a oportunidade de falar, vai poder fazer o seu comentário e transparecer a sua posição fazendo os mesmos gestos ou movimentos similares. Dessa forma, você vai criar rapport com aquela pessoa, mesmo que as suas ideias sejam divergentes.

Quais são os benefícios do rapport em um ambiente empresarial?

Não é novidade para ninguém que a convivência em um ambiente empresarial nem sempre é um mar de rosas, não é mesmo? Afinal de contas, em um lugar com tantas pessoas, é altamente provável que muitas delas pensem diferente. Em um ambiente cercado pelo estresse e pela pressão por resultados, muitas vezes essas diferenças afloram mais facilmente do que em lugares tranquilos.

Por isso, se você começar a utilizar o rapport em suas interações, vai perceber uma melhora significativa nas relações interpessoais com seus funcionários e colegas de trabalho. Além disso, vai estabelecer confiança mais facilmente, melhorar a comunicação e a compreensão de suas ideias.

Portanto, o rapport é o melhor caminho para quem quer ganhar credibilidade e se tornar uma pessoa mais amigável e inspiradora, independentemente da posição em que você se encontra.

Como o rapport influencia em reuniões corporativas?

No mundo dos negócios, ter reuniões é uma prática bastante comum. Seja com fornecedores, seja com compradores ou com os próprios funcionários, esses encontros se resumem a um só objetivo: você conseguir o melhor para a sua empresa, que pode ser a melhor venda, a melhor compra ou um melhor desempenho.

No caso de você estar a caminho de uma reunião corporativa da sua própria companhia, gerar rapport com os seus funcionários não só vai fazer com que eles assimilem melhor as suas ideias, mas também vai fazer com que eles o enxerguem como um bom líder e uma referência dentro da empresa.

Isso é extremamente necessário para você fazer uma boa gestão, aumentar a produtividade do seu negócio ou conseguir a aprovação do conselho da empresa para aprovar um novo projeto.

Por outro lado, ao se preparar para uma reunião com clientes ou algum evento corporativo que envolva fornecedores, tenha uma coisa em mente: para gerar rapport de forma eficaz, você precisa entender que representa a sua empresa, e não a si mesmo, como em relações interpessoais comuns.

O seu cliente, seja ele quem for, precisa se identificar com as ideias da sua companhia, os valores, o produto ou o serviço que ela oferece e não necessariamente com você.

Então, para gerar rapport eficientemente, lembre-se sempre de que a camisa que você veste é a marca da sua empresa, o produto ou serviço que ela oferece e é com isso que o seu cliente precisa se familiarizar.

Utilizar-se de ferramentas para aprimorar os seus relacionamentos pessoais e profissionais é uma tática que requer bastante treinamento e esforço.

Entretanto, o rapport, se bem desenvolvido, sem sombra de dúvidas vai mudar a forma com a qual você interage e, principalmente, a forma com a qual você é visto por outras pessoas. Para uma pessoa de negócios, isso pode ser o divisor de águas entre o seu sucesso e o seu fracasso.

Você finalmente descobriu o que é rapport e percebeu o quanto esse conceito pode ser útil nas suas relações interpessoais? Então, compartilhe agora este artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos a se desenvolverem nessa área!