Cansado das alternativas turísticas de sempre? Interessado em conhecer uma cidade não tão óbvia? Se você está em busca de lugares diferentes para sua próxima viagem, temos uma excelente sugestão: compre uma passagem para Ji-Paraná! Conhecida como o “coração de Rondônia”, Ji-Paraná é a segunda maior cidade do estado e tem diversas atrações para quem escolhe visitá-la.

Por ter sido colonizada por povos de diferentes lugares ao longo de sua história, o município desenvolveu uma cultura bastante diversificada e, até hoje, valoriza muito a cena cultural. Além disso, laticínios e pecuária bovina são as principais atividades econômicas da cidade, que investe cada vez mais para fazer a região crescer e tornar-se parada obrigatória para os brasileiros.

Ji-Paraná não para de crescer, e, como vamos mostrar, é fácil chegar lá. Quer saber mais sobre essa cidade rondoniense e tudo o que você pode encontrar por lá, de pratos típicos a lugares para praticar esqui aquático? Então, continue a leitura e comece a preparar o seu roteiro de viagem agora mesmo!

A história de Ji-Paraná

A cidade de Ji-Paraná tem seu nome originado de uma expressão da língua geral setentrional, vertente nortista da chamada língua geral evoluída do tupi antigo que foi falada no Brasil entre o final do século XVII e o início do século XX.

A expressão “jy paraná”, que significa “rio dos machados”, foi escolhida para batizar a cidade por causa da grande quantidade de pedras similares a machados indígenas encontradas no rio hoje chamado de Machado, mas antigamente conhecido justamente como Ji-Paraná.

Já o apelido de “coração de Rondônia” vem da localização de Ji-Paraná, que fica bem no centro do estado, e também por causa de uma ilha cujo formato lembra o de um coração, encontrada na confluência dos rios Machado e Urupá, os dois principais do município.

As raízes indígenas, afinal, são fortes ao longo da história de Ji-Paraná. Até o final do século XIX, a região onde hoje fica a cidade era ocupada por tribos de urupás e jarus. Entre os anos 1877 e 1880, houve uma grande onda migratória para lá por causa da grande seca que assolou o Nordeste nesse período.

Com dificuldade de continuar adiante rumo à Floresta Amazônica e às cachoeiras da região, os nordestinos que tentavam escapar da seca se instalaram às margens do rio Urupá. Esse povoado passou a tirar seu sustento da extração de látex das seringueiras e começou a desenvolver o local.

Ao longo dos anos, novas tecnologias e recursos foram chegando, como a estação telegráfica, construída em 1909 para unir as cidades de Cuiabá e Porto Velho. Depois, com a construção da ferrovia Madeira-Mamoré, que foi integrada à estação telegráfica, o povoado deixou de ser um ponto isolado.

O decorrente crescimento levou ao estabelecimento do atual município de Ji-Paraná. Entretanto, após um período de decadência resultante do declínio do preço da borracha, no início do século XX, a cidade enfrentou anos turbulentos. Foi apenas tempos depois que Ji-Paraná voltou a se desenvolver, graças, principalmente, à descoberta de diamantes na cidade.

A partir da década de 60, migrantes começaram a chegar vindos da região Sul do Brasil. Hoje, os mais de 128 mil habitantes de Ji-Paraná vêm de todos os estados brasileiros, e há, ainda, descendentes de índios e dos antigos seringueiros e garimpeiros que ali atuavam. Com isso, a cultura nortista da cidade, já tão rica por si só, torna-se ainda mais colorida e variada.

Em 2017, a cidade de Ji-Paraná contava com quase 133 mil habitantes. Esse número faz do município o segundo mais populoso do estado, o 16º mais populoso de toda a região Norte e a 210ª cidade com mais habitantes do Brasil. Além disso, Ji-Paraná é a 113ª cidade mais populosa do interior do país!

Onde fica e como chegar ao coração de Rondônia

Como já adiantamos, Ji-Paraná fica bem no centro do estado de Rondônia — mais exatamente, na região Centro-Leste do estado. Sua microrregião é a de Ji-Paraná, e a mesorregião, a do Leste Rondoniense.

É fácil chegar a Ji-Paraná, porque a cidade conta com um aeroporto próprio, que é um dos principais do estado e fica localizado na região nordeste do município. O Aeroporto de Ji-Paraná atende toda a região central de Rondônia, além de alguns municípios do Noroeste do Mato Grosso. Há, ainda, um voo diário para Cuiabá, capital do Mato Grosso.

O clima de Ji-Paraná e a melhor época para visitá-la

Ji-Paraná tem um clima predominantemente tropical úmido. Entretanto, apesar de ser úmido na maior parte do ano, a cidade passa por três meses de seca entre junho e agosto. As temperaturas ficam entre os 23º C e 26º C. As maiores temperaturas costumam acontecer em agosto, quando a máxima pode alcançar os 36º C.

O outono e o inverno não são muito pronunciados, mas, especialmente entre junho e julho, as temperaturas podem baixar para até 16º C, por causa das friagens que ocorrem na região.

Sendo assim, Ji-Paraná pode ser visitada durante o ano todo, mas, se possível, evite os meses de seca. Caso queira fugir do frio mais intenso de outras regiões do Brasil, a cidade pode ser uma boa opção para uma viagem durante o outono ou o inverno.

As atrações que não podem ficar de fora do seu roteiro

Agora que você já sabe um pouco mais sobre Ji-Paraná, que tal começar a montar o seu roteiro para conhecê-la? Veja agora quais são as atrações e lugares que você não pode deixar de visitar por lá!

Museu das Comunicações Marechal Rondon

A cidade vem investindo cada vez mais na evolução de sua área de comunicação. Então, como não poderia deixar de ser, uma das principais atrações de Ji-Paraná é o Museu das Comunicações Marechal Rondon, que fica em um prédio construído originalmente por ele em 1912 para servir de base para a primeira estação de telégrafo da cidade.

Antes de virar museu, o edifício também foi utilizado como agência dos Correios & Telégrafos, tornando-se o Museu das Comunicações depois de ser restaurado, em 1985.

O local reúne diversos instrumentos telegráficos originais usados por Rondon no começo do século XX, além de correspondências recebidas e enviadas nas passagens dele pela região. O acervo de época ainda retrata a história e a influência dos povos indígenas e dos primeiros migrantes que se instalaram em Ji-Paraná.

Rio Machado

A cidade de Ji-Paraná fica às margens do rio Machado, que tem sua nascente na Chapada dos Parecis e alcança a cidade de Ji-Paraná em diversos pontos, além de banhar os municípios de Nazaré, Machadinho e Tabajara.

O rio tem um total de 14 afluentes em sua margem esquerda e mais 14 derivados de sua margem direita. Em sua extensão, há mais de 50 cascatas! O Machado é um rio muito importante para a região por ser navegável e, por isso, transportar grande parte da produção advinda dos agricultores da região.

Prática de esqui aquático

Se você está se perguntando se há opções mais radicais ou para quem quer um contato verdadeiramente intenso com a natureza em Ji-Paraná, a resposta é “sim”! Graças à forte presença da mata e aos diversos rios que margeiam a cidade, Ji-Paraná tem programas para todos os estilos de viajantes.

O esqui aquático pode ser praticado nos rios Ji-Paraná e Urupá. Neles, também é possível pescar e remar ou, simplesmente, caminhar pela mata fechada próxima e curtir a fauna e a flora espetaculares.

Teatro Dominguinhos

O Dominguinhos é o único teatro de Ji-Paraná e, portanto, é a sede dos grandes eventos organizados para promover a cultura na cidade. Com capacidade para receber 200 espectadores, o espaço é bem conservado e oferece todo o conforto necessário para os visitantes aproveitarem a sua programação.

Parque de Exposições Hermínio Victorelli

Você sabia que Ji-Paraná é o lar do maior parque de exposições do Norte e o segundo maior de todo o Brasil? Trata-se do Parque de Exposições Hermínio Victorelli. Além de shows e espetáculos variados, o lugar recebe anualmente a Exposição Agropecuária e Industrial de Ji-Paraná (EXPOJIPA), que recebe um público de cerca de 300 mil pessoas.

A EXPOJIPA acontece ao longo de nove noites, atraindo pessoas e expositores de todo o Brasil para vender produtos agropecuários e industriais, ministrar palestras sobre o mundo agroindustrial e participar de atrações como shows, rodeios e sorteios de veículos e outros prêmios. Essa é a maior feira agropecuária de todo o Norte do Brasil.

Praça da Bíblia

Espaço muito querido pelos moradores de Ji-Paraná, a Praça da Bíblia recebe diversos eventos culturais, artísticos e musicais. Localizada no centro da cidade, sua estrutura conta com palco para shows, pequenos teatros de arena e uma arquibancada. Há, ainda, canteiros e espaços verdes com exemplares da flora local, como buritis, palmeiras-imperiais e paus-brasis.

Os melhores lugares para se deliciar com a culinária da cidade

Como Ji-Paraná é uma cidade da região Norte do Brasil, ela não poderia deixar de ter uma culinária incrível, não é mesmo? Os pratos do município são elaborados principalmente com base nas frutas exóticas e nos peixes encontrados pela região.

Algumas das delícias da cidade incluem maniçoba, doce de cupuaçu, caldeirada de tucunaré, paçoca de banana e caruru. Os temperos e especiarias são grandes aliados de todos os que cozinham em Ji-Paraná! Os preferidos dos moradores são o cheiro-verde, a alfavaca, a chicória e a pimenta-de-cheiro.

Mas aonde ir para experimentar a autêntica culinária ji-paranaense e conhecer outras boas opções para comer na cidade? Descubra agora mesmo!

Caleche

O ambiente moderno, acolhedor e vibrante do Caleche é excelente para qualquer perfil de viajante! Além de pratos mais tradicionais, como pizza, massas e feijoada, o estabelecimento também oferece versões incríveis da culinária típica da cidade.

Baiano Tambaqui

Os melhores pratos feitos com peixe estão no Baiano Tambaqui, que também tem opção de comida a quilo e oferece um ambiente agradável para toda a família. Lugar simples e charmoso, o estabelecimento não pode ficar de fora da sua viagem a Ji-Paraná se você quiser experimentar os peixes típicos da cidade.

Restaurante Mirante Gastronomia da Amazônia

Que tal curtir uma refeição deliciosa em um espaço aberto bem de frente para o Rio Machado? Essa autêntica experiência ji-paranaense pode ser encontrada no Mirante Gastronomia da Amazônia, que tem cardápio variado e atendimento excelente. Definitivamente, uma parada obrigatória na sua viagem.

Lanchonete Riad

Nem só da culinária local vive Ji-Paraná! A Lanchonete Riad é o melhor lugar da cidade para quem quer deliciar-se com pratos da cozinha árabe. Não deixe de experimentar o quibe cru, especialidade da casa, e curta o ambiente agradável e o bom atendimento.

Kanpai Restaurante

O Kanpai Restaurante é um exemplo de como a cidade de Ji-Paraná mescla culturas para criar um estilo só seu. Isso, porque o cardápio desse estabelecimento oferece um pouco de tudo, desde massas até pratos da culinária chinesa, passando por diversos tipos de peixe e de carne. Imperdível!

Panificadora e Confeitaria Ki-Pao

Seja para o café da manhã, para um brunch ou para um lanche à tarde, a Panificadora e Confeitaria Ki-Pao é considerada a melhor padaria e confeitaria de Ji-Paraná.

Restaurante Bem Natural

Como o nome indica, o Restaurante Bem Natural oferece um cardápio leve e saudável com comidas caseiras de qualidade. Portanto, o estabelecimento é uma ótima opção para os dias em que você quiser algo não tão pesado quanto a culinária nortista ou se quiser variar entre uma refeição e outra.

Viu só? A cidade de Ji-Paraná ainda não é uma opção tão popular de turismo, mesmo sendo o segundo maior município do estado de Rondônia. Entretanto, como mostramos aqui, tem muito a oferecer e está trabalhando para crescer cada vez mais!

Seja por sua culinária apaixonante, seja por seus investimentos em cultura ou por sua rica história, comprar uma passagem para Ji-Paraná é algo que você deve fazer. Então, que tal abrir-se para um destino diferenciado e fugir do óbvio com uma viagem para o coração de Rondônia?

Não perca tempo! Se você gostou deste post e das sugestões de roteiro que separamos para você, visite agora mesmo o nosso site e comece a pesquisar as melhores opções de passagens de avião para Ji-Paraná.