Quando falamos sobre a Bahia, logo nos vêm à cabeça as praias paradisíacas, o Carnaval de Salvador e as diversas belezas naturais do Nordeste, não é mesmo?

Entretanto, esse importante estado da história brasileira tem muito mais a oferecer. Ao longo do território baiano, você encontra diversas cidades ricas em cultura e repletas de belos cenários.

Uma delas é Valença, um município baiano localizado a menos de 300 km da capital, Salvador, e uma das belas cidades do Nordeste do nosso país.

Quer conhecer mais sobre esse destino antes de comprar a sua passagem para Valença? Então, acompanhe a leitura!

Quais são as origens de Valença?

Antes do descobrimento do Brasil por parte dos portugueses, a região onde hoje fica a cidade de Valença era habitada pelos pacíficos índios tupiniquins. Após o Rei de Portugal, Dom João III, dividir o território brasileiro em capitanias hereditárias, essas terras passaram a pertencer à capitania de Ilhéus e ficaram sob a jurisdição da Vila de Nossa Senhora do Rosário de Cairu.

Uma das grandes personalidades que ocupou o território foi Sebastião Pontes, um homem poderoso e abastado que já tinha a posse de dois engenhos de açúcar na região do Recôncavo Baiano. Uma das suas empreitadas foi construir um curral em frente a ilha de Tinharé, que ficou conhecido como Ponta do Curral.

Além disso, Sebastião também ergueu um engenho nas proximidades da embocadura do Rio Uma, onde outros moradores estabeleceram fazendas de cana. Apesar das virtudes que o levaram ao status de líder do povoado, Sebastião de Pontes fez várias inimizades, graças ao seu gênio forte e indomável. Por isso mesmo, foi punido e terminou seus dias encarcerado.

Após o afastamento do líder, o povoado se desorganizou e foi invadido pela tribo dos Aimorés, que causou a debandada dos habitantes de Valença para as ilhas mais próximas, já que os nativos não dominavam a arte de navegação.

Após esse episódio, a colonização do território de Valença foi interrompida por vários anos. Somente no século 18, quando João Amaro Maciel Parente, um bandeirante paulista, expulsou os indígenas Aimorés da região, o local retomou o ritmo de desenvolvimento e acabou por se tornar, no ano de 1849, o status de cidade, com o nome de Industrial Cidade de Valença.

No passado, o município também teve participação efetiva na história bélica do Brasil. Em 1624, a região onde hoje se localiza Valença sofreu com os ataques provenientes da invasão holandesa ao território brasileiro. Anos depois, participou ativamente das batalhas pela Independência do Brasil e, em 1823, abrigou a esquadra do Lord Cochrane, que comandava a Armada Imperial Brasileira e ajudou a combater os portugueses durante a guerra.

Mais adiante, já no período da Segunda Guerra Mundial, a cidade de Valença foi novamente palco de guerra, quando submarinos germânicos atacaram os navios Itagiba e Irará, na sua costa.

Na atualidade, Valença é considerada a maior cidade da Costa do Dendê, sendo um importante polo comercial e de serviços desse pedaço da Bahia. O município é um dos principais pontos turísticos do Baixo Sul da Bahia, servindo também como porta para a entrada a outros belos locais da região, como Morro de São Paulo, Gamboa e Boipeba, que pertencem à cidade de Cairu.

Além de ser rica em belezas naturais, Valença é detentora de um valioso patrimônio histórico, cultural e arquitetônico brasileiro. Algumas das ruas da cidade, por exemplo, ainda mantêm as pedras irregulares do calçamento original. As igrejas, por sua vez, guardam imagens dos séculos 18 e 19 e os sobrados coloniais tiveram suas estruturas preservadas.

A cidade também conta com belíssimas paisagens, rios, praias e cachoeiras.

Quais são as principais atrações turísticas e culturais?

A seguir, você confere as melhores e mais famosas atrações turísticas para você curtir Valença com a sua família.

Cachoeira da Água Branca

Os turistas que buscam se refrescar e curtir a natureza encontram, nas proximidades de Valença, a primeira atração do município: a Cachoeira da Água Branca. Além disso, no caminho até a queda d’água, os visitantes são agraciados com uma bela vista panorâmica da cidade e do Canal de Taperoá com o oceano.

Para chegar até a Fazenda da Água Branca (propriedade particular que abriga a cachoeira), o único caminho é a estrada rural que dá acesso à Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), com mais de 100 hectares de área. A partir da sede, todo o percurso é feito a pé.

Já próxima da cachoeira, a trilha atravessa uma mata densa, com grande diversidade de fauna e flora, de onde é possível ouvir o som da queda d’água de 30 metros de altura, formada pelo Rio Gereba.

Nos arredores, também existe uma ilha fluvial, onde foi erguido um quiosque que proporciona aos visitantes uma ótima forma de apreciar o cenário ao redor.

O passeio tem duração de, aproximadamente, 2 horas, sendo 30 minutos somente do percurso de caminhada. Então, pode ser uma boa ideia levar um tênis confortável e, de preferência, com solado antiderrapante, para evitar quedas durante a descida.

Serra do Abiá

O ponto mais alto da cidade de Valença é a Serra do Abiá. O morro, com cerca de 900 m de altura, já foi palco de vários campeonatos de asa-delta, sendo ótimo para a prática de voo livre e um passeio muito indicado para quem está em busca de aventura.

A serra está localizada às margens da BR-101, e, para chegar até o mirante, é necessária uma caminhada de 5 km. Uma coisa é certa: todo esforço será recompensado, pois a vista lá de cima é deslumbrante. Por isso, não se esqueça de separar a sua máquina fotográfica ou o seu smartphone antes de iniciar a caminhada até o topo.

Na volta, você também vai encontrar algumas vendinhas ao pé do morro. A maioria dos artesanatos vendidos ali são feitos de palha, e a visita é uma ótima oportunidade para você comprar algumas lembrancinhas para familiares e amigos que não puderam desfrutar do passeio com você.

APA do Candengo

A Área de Proteção Ambiental (APA) do Candengo está localizada a menos de 10 km da sede municipal da cidade. Criada pela prefeitura de Valença, essa APA conta com uma cachoeira de quatro quedas d’água, e a maior delas tem altura máxima de 5 metros.

Além da cachoeira, a área é composta por uma densa e praticamente intocada vegetação de Mata Atlântica, que é lar de diversas espécies de plantas e animais. Por fim, também faz parte da APA do Candango o local onde funcionou a primeira hidrelétrica do Brasil. As ruínas da usina, que aproveitava as águas da Cachoeira para gerar energia, é uma das grandes atrações da APA e fornecia energia para a fábrica têxtil da cidade.

As ruínas são cobertas por vegetação e compostas por vestígios de barragem, pontes e alicerces. Uma parada obrigatória para quem gosta de história e quer apreciar um dos marcos da industrialização baiana.

APA de Guaibim

A APA de Guaibim, localizada entre a Ponta do Curral e o Rio Jiquiriçá, foi criada por um decreto do governo da Bahia e é regida por uma lei especial, com zonas definidas e regulamentadas pela legislação do estado.

A área de proteção abrange uma superfície de, aproximadamente, 20 km² e mais de 20 km de praias. É caracterizada por ser uma longa e extensa planície, extremamente rica em ecossistemas de restinga e manguezais, além de abranger belas praias, brejos e vestígios de Mata Atlântica, com uma fauna composta por diversas espécies silvestres.

Para chegar até lá, basta seguir rumo ao norte de Valença por aproximadamente 18 km.

A costa de Guaibim é dividida em três partes: Taquari, Guaibinzinho e Guaibim. Todas elas são indicadas para banhos de mar revigorantes, caminhadas e prática esportes náuticos. Inclusive, na praia de Guaibim, principalmente durante as cheias, as condições do mar são excelentes para a prática do surf.

Ponta do Curral

Esse nome se justifica porque o local é a praia onde as primeiras cabeças de gado desembarcaram em território brasileiro. Localizada de frente para a extremidade norte da Ilha de Tinharé, a Ponta é agraciada com uma vista fantástica do Farol do Morro de São Paulo.

Por se tratar de uma praia a mar aberto, a Ponta do Curral tem ondas moderadas, ideais para surfistas. Devido a isso, o local é, inclusive, palco de campeonatos de surf durante o ano.

Para quem não leva jeito com a prancha, mas, ainda assim, não abre mão de sentir o gostinho de aventura, no período das cheias, a travessia dos riachos é a grande atração do local. Outro ponto alto da Ponta do Curral é a possibilidade de ver os processos do beneficiamento da piaçava, folha utilizada na fabricação de vassouras.

A praia não oferece nenhum tipo de estrutura de apoio ou quiosques. Por isso, não se esqueça de separar uma mochila com água e mantimentos para o passeio.

Para chegar até a praia, você pode ir tanto de barco quanto de carro ou até mesmo a pé, partindo de Guaibim.

Corredeiras de Sarapuí

O pequeno povoado de Sarapuí, fundado no século 18 e rodeado por uma mata densa e virgem, é repleto de belas corredeiras. Ao todo, são sete cachoeiras, e a principal delas tem uma queda d’água de 20 m de altura.

Nas proximidades das corredeiras, também vale a visita às ruínas de um antigo engenho de cana-de-açúcar e sua capela.

Para chegar até lá, você deverá seguir de carro pela BA-001, no trecho Valença-Ituberá. Na altura do Km 5, próximo ao povoado de Boca da Mata, você terá de virar à direita, em uma estrada de cascalho, e seguir por 12 km até alcançar o povoado de Sarapuí.

Ilhas do Conde e da Esperança

Localizadas às margens do Rio Piau, as ilhas do Conde e da Esperança são ótimos lugares para banho e pesca. Para chegar até elas, existe um acesso feito por passarelas de madeira erguidas sob o rio.

Se der fome, na Ilha do Conde você vai encontrar um bar e um restaurante para almoçar com a família. Partindo de Valença, o caminho mais rápido é sair em direção à estrada estadual BA-542 e percorrer 8 km de uma estrada de terra que liga o balneário ao município.

Como é o clima da cidade?

O município de Valença está situado em uma região caracterizada pelo clima tropical atlântico. Nessas condições climáticas, de modo geral, a temperatura varia entre 20 °C e 32 °C e quase nunca vai além desses dois extremos.

Por outro lado, a temperatura média anual em Valença é de 24.6 °C, um valor relativamente alto, principalmente se comparada a outros municípios do estado. Durante o verão, a estação mais quente do ano, os termômetros atingem podem passar de 31 °C.

Já durante o inverno, as máximas do dia costumam ficar abaixo de 29 °C, e o mês mais frio do ano é agosto, quando as temperaturas giram entre 20 ºC e 28 ºC.

O período chuvoso atinge a cidade de Valença nos meses entre fevereiro e julho, mas, durante abril, a precipitação é muito mais frequente. No outro sentido, a estação seca do município vai de agosto a janeiro, sendo o mês de outubro o que menos chove durante o ano.

O que a culinária de Valença oferece?

Se você pretende incluir Valença como o seu mais novo destino de férias, provavelmente deve estar ansioso para desvendar os sabores da tão famosa e marcante culinária baiana.

Situada em uma das mais belas regiões de toda a Bahia, Valença é um dos principais centros da Costa do Dendê, e a cidade oferece bem mais do que belas paisagens e praias paradisíacas.

O município tem lugar especial no cenário gastronômico da Bahia, já que é considerada a terra do camarão, do dendê e do cravo. Portanto, se você é fã dessas iguarias, com certeza estará viajando para o lugar certo!

Como você já viu neste post, Valença é um lugar repleto de belezas naturais, história e boa comida. Então, não deixe essa oportunidade passar. Reserve agora a sua passagem para Valença e aproveite o que tem de melhor na Bahia!