Quem viaja ao redor do mundo sabe que conhecer a cultura de um país pode fazer toda a diferença na hora de agendar um passeio, finalizar uma compra ou até fechar um contrato, no caso de viagens corporativas

Muito além da linguagem verbal, conhecer o significado de gestos com as mãos pode ajudar a estabelecer, de imediato, uma conexão positiva com o interlocutor. Da mesma forma, pode dificultar a negociação, caso uma das partes não esteja atenta para o que determinado gesto pode representar em uma cultura ou nação.

Neste post, abordamos a importância de se conhecer os costumes do país para onde se vai viajar e elencamos uma série de gestos que têm diferentes significados pelo mundo. Continue a leitura para saber mais!

Pesquise sobre o país para onde vai viajar

Dois especialistas em linguagem corporal, Allan e Barbara Pease escreveram uma série de livros sobre a importância desse componente na hora em que nos comunicamos. Segundo os autores, em uma interação, até 90% da opinião alheia é formada nos primeiros quatro minutos, e 60% a 80% dessa impressão é não verbal.

Isso explica por que é tão importante pesquisar sobre o país de destino muito antes de entrar no avião. Se você está a trabalho, provavelmente, pretende voltar da viagem com contratos firmados, bons contatos, parcerias em vista ou problemas resolvidos. 

Nesse caso, a comunicação corporal pode ser a diferença entre um resultado positivo ou não. Além disso, as possibilidades de network em viagens corporativas podem se tornar muito mais amplas ao entender os hábitos das pessoas com quem você vai negociar.

Para quem viaja a turismo, vale o mesmo raciocínio. Pode parecer óbvio, mas conhecer a cultura do país de destino pode ajudá-lo a evitar furadas, falar algo ofensivo ou acabar caindo em excursões que nada têm a ver com seu estilo de viagem. 

Ainda, isso mostra respeito e sociabilidade aos habitantes do país e enriquece a sua viagem, pois você terá contato prévio com informações sobre os pontos turísticos que visitará, a gastronomia típica e as manifestações culturais locais.

Conheça a história e o significado de gestos ao redor do globo

Nem todo mundo tem tempo de estudar os hábitos de um país antes de cada deslocamento, especialmente se você costuma viajar a trabalho. Por isso, elencamos alguns gestos comuns do dia a dia, que, para nós brasileiros, podem ter significados distintos das práticas de outras culturas. Confira!

Sinal de positivo (ou joinha)

No Brasil, levantar o polegar é entendido como sinal de positivo, ok, confirmação de que “está tudo certo”, e vale o mesmo para Reino Unido, África do Sul e Coreia do Sul. 

Já em outros países, como Alemanha, Áustria e Suíça, ele pode indicar apenas o numeral “um”, já que, nesses locais, se começa a contar a partir do polegar. Mas dificilmente isso será entendido como ofensa nesses países. Por outro lado, no Irã e no Iraque, o joinha é visto como uma ofensa, similar a mostrar o dedo no meio aqui no Brasil.

Sinal de ok com os dedos em “O”

Menos usual no Brasil, o sinal de formar um O com a ponta do indicador e do dedão tem significados dúbios. Ao mesmo tempo em que pode ser considerado como positivo, muitas vezes, é interpretado como um gesto obsceno. 

Nos Estados Unidos, significa apenas OK, enquanto, no Japão, significa dinheiro e, na França, “algo que não tem valor”. Por isso, antes de usá-lo, vale prestar atenção se é um gesto comum ou não entre os participantes da conversa.

Sinal de “Paz e Amor”

O sinal de dois com a palma da mão virada para fora remete ao V de Vitória, utilizado em guerras como algo positivo, de que a batalha foi ganha. Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a Segunda Guerra Mundial, ajudou a disseminar o sinal, pois costumava fazê-lo após vitórias sobre as forças alemãs. 

Depois, nas décadas de 1960-1970, o gesto foi assimilado pelo movimento hippie nos Estados Unidos como um sinal de vitória da paz sobre a Guerra do Vietnã. Exprime algo positivo em diversas culturas, inclusive a brasileira. Ao ser usado ao contrário, pode significar ofensa (veja abaixo).

Fazer um V ao contrário

O V com o dorso da mão virado (que seria uma variação do Paz e Amor norte-americano) é visto como um insulto na Inglaterra. Segundo a história, arqueiros ingleses utilizavam esse gesto para indicar que eram uma ameaça na Batalha de Agincourt, uma luta decisiva ocorrida na Guerra dos Cem Anos, no século XV, entre França e Inglaterra. Esse gesto também é visto como ofensa na Austrália, Nova Zelândia e África do Sul.

Sinal de ‘pare’

Estender a palma da mão em direção a outra pessoa é lido como “pare”, sendo, inclusive, utilizado por guardas de trânsito no Brasil. No entanto, há países em que o gesto é entendido como uma forte ofensa. 

Na Grécia, costuma ser interpretado como uma forma de xingamento, sinônimo de algo como “esfregar excremento na cara das pessoas”. Esse sentido agressivo seria uma alusão a um antigo costume do Império Bizantino, quando as pessoas esfregavam fezes no rosto de prisioneiros em sinal de desgosto.

Cruzar os dedos

Você provavelmente já viu alguém torcendo para que algo desse certo cruzar os dedos indicador e médio. Aqui no Brasil, esse gesto significa um desejo de sorte. Também pode ser feito para si mesmo, ao contar uma mentira, como uma forma de “não ser punido” pela mentira. 

Na Croácia, é algo sem valor ou um “não”, mas, para China, Japão, Grécia, Ucrânia, Turquia, Indonésia e Rússia, pode ser considerado um insulto que fere a honra.

Chamar alguém com o dedo indicador

Embora seja comum no Brasil, esse gesto pode ser bastante ofensivo em outros países. Nas Filipinas, é utilizado apenas com cachorros. Assim, tentar chamar alguém nesse país com o dedo indicador fará com que você seja interpretado de forma negativa.

Qual destino combina mais com você?Powered by Rock Convert

Uso da mão esquerda

Em países muçulmanos, a mão esquerda é considerada a mão de uso para “coisas sujas”, como higiene íntima ou mesmo durante as relações sexuais. Por isso, não se deve cumprimentar ou presentear alguém com essa mão. Use a mão direita ao se comunicar com seu interlocutor.

Hang Loose

O Hang Loose é um gesto bastante típico das tribos de surfe e significa “está tudo bem”. Conta a lenda que o sinal surgiu no Havaí, onde um pescador teria perdido os três dedos do meio da mão, e seu aceno passou a ter apenas o polegar e o dedo mínimo. 

Dificilmente esse gesto terá algum tipo de conotação negativa, mas, como é bastante informal, não deve ser utilizado em reuniões de trabalho ou outras ocasiões mais solenes.

Outros gestos típicos de cada país

Além dos gestos acima, que são mais comuns, os gestuais típicos de cada cultura também têm muito a dizer. Veja abaixo!

Alemanha

Na Alemanha, encostar o dedo na cabeça, na altura das têmporas, serve para dizer: “Você está louco”, em resposta a uma afirmação sem sentido de outra pessoa. Já o “Boa sorte!” dos alemães é bastante diferente: é transmitido por meio do gesto de fechar os dois punhos com os polegares dentro das mãos e bater em uma superfície. 

Os alemães também têm outro gesto bastante comum: mexer a mão na frente do rosto, com a palma virada para si, significa “Você é insano”, ou seja, uma variação mais intensa de “você é/está louco”.

França

Qualquer francês preocupado com algo ou estressado por algum motivo pode demonstrar esse sentimento por meio do gesto de juntar as mãos e os dedos com as pontas dos dedos viradas para cima. 

Quando alguma ação for fácil de ser executada, por outro lado, os franceses costumam levantar dois dedos em direção às narinas, querendo dizer “É fácil como isso”. Já encostar o dedo indicador embaixo do olho significa “Eu não acredito em você”.

Itália

Ao comer em um restaurante com um italiano, você talvez se depare com o seguinte gesto: colocar o dedo na bochecha depois da refeição. Isso significa que o prato está delicioso. Outros dois clássicos gestos italianos são juntar as palmas das mãos, mexendo para cima para baixo, o que representa indignação diante do que foi dito; e bater com as costas da mão no queixo, em direção ao interlocutor, que representa algo como “Estou pouco me lixando”.

Estados Unidos

Dois significados de gestos bastante comuns nos Estados Unidos são: cruzar o dedo médio e o indicador e levantar a mão para desejar boa sorte, e fazer um círculo com o indicador e o polegar, levantando os outros dedos — o famoso “ok”. Por conta da alta difusão da cultura norte-americana, aqui no Brasil, esses dois gestos são geralmente percebidos com o mesmo significado. 

Um cumprimento nos Estados Unidos é esticar o antebraço para encostar no antebraço de outra pessoa. Vale lembrar que só é utilizado em ocasiões informais.

Rússia

Se quiser convidar um russo para tomar uma cerveja, é fácil: basta bater de leve na garganta com seu dedo indicador. O gesto indica “vamos tomar um drinque”. Passar o polegar na garganta, por outro lado, significa algo como “Basta” ou “Chega disso”. Esticar a mão esquerda atrás da cabeça e encostar na orelha direita pode ser interpretado como “Isso está ficando muito complicado”.

Japão

O gesto de “paz e amor”, isto é, dedos indicador e médio para cima, tem uma conotação a mais no Japão. Pode ser utilizado em fotos para mostrar que se está feliz, pois, geralmente, os japoneses não sorriem nas fotos. Outro sinal bastante comum no país é apontar para o nariz com o dedo indicador, para fazer referência a si mesmo. Os japoneses também cruzam os braços diante do corpo para indicar que algo não é permitido.

China

Na China, posicionar a mão sobre o coração significa fazer uma promessa sincera. Outro gestual característico desse povo é fazer um círculo com o polegar e o dedo médio, descansando-o no queixo e em seguida passando o indicador na bochecha. Significa “você deveria se envergonhar”. Juntar os dedos mínimos com os punhos para frente representa selar um acordo.

Peru

O Peru conta com alguns gestos bastante significativos em sua cultura. Balançar o dedo na frente do nariz, por exemplo, indica que a pessoa de quem se está falando é rica e bonita. Apontar para uma pessoa e depois para a porta é entendido como uma piada bem-humorada, significando “ele já foi embora”. E encostar a mão na testa com os dedos juntos quer dizer “não entendi”.

México

Se algum mexicano bater com a palma da mão no cotovelo do outro braço, ele provavelmente estará te chamando de pão-duro. Levantar o braço com a palma da mão virada para o rosto quer dizer obrigado. E juntar os dedos das mãos, virá-las para cima e balançá-las representa “muito” de alguma coisa.

Gana

Nesse país africano, coçar a palma da mão esquerda significa “dinheiro“. Bater na barriga com a mão direita e levantar a mão em seguida mostra satisfação. Já balançar a mão para cima com a palma para baixo é um gesto utilizado para chamar alguém.

Nepal

O país asiático é conhecido por gestuais bastante sutis. Juntar as mãos à frente do peito, por exemplo, em postura de oração, é lido como um cumprimento formal. Também é comum utilizar o queixo para apontar para alguém ou algo, em vez do dedo. 

Para sinalizar “não”, os nepaleses posicionam uma das mãos à frente, com a palma virada para si, e giram o pulso. É equivalente a mexer a cabeça, no Ocidente.

Entender o significado de gestos ao redor do mundo é fundamental para uma viagem de sucesso, seja ela a turismo ou a negócios. As pessoas são muito influenciadas pela cultura de seu país de origem, e conhecer previamente os costumes de uma nação ajudará você a entender comportamentos, comunicar-se com maior eficácia e aproveitar melhor sua jornada.

Agora que você já conhece o significado de gestos em diferentes países, que tal compartilhar este conteúdo em suas redes sociais?