Quando o assunto é turismo no Brasil, geralmente os primeiros destinos que vêm à mente são cidades litorâneas, com belas praias e muito sol, como municípios do Rio de Janeiro, Espírito Santo e do Nordeste. Mas o interior do país também oferece variadas opções turísticas, tanto para moradores quanto para visitantes.

Um bom exemplo disso é Centro-oeste brasileiro, região formada pelos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, incluindo o Distrito Federal. Berço das águas que alimentam as bacias do Amazonas, Paraná e São Francisco, esse território está repleto de nascentes, cachoeiras, cânions e corredeiras.

Mas, além do turismo de natureza e aventura, a região ainda se destaca pelo turismo cívico, já que abriga a nossa capital federal, Brasília. A presença indígena é bastante forte no Centro-oeste e as reservas e parques nacionais abrigam inúmeras aldeias.

Motivos não faltam para visitar essa região do país. Para convencer você de uma vez por todas a viajar para o Centro-oeste, neste post vamos apresentar 11 cidades e o que elas têm de melhor. Assim, é possível montar um roteiro completo. Confira!

1. Jataí

Com pouco mais de 94 mil habitantes, Jataí (GO) está localizada a 327 quilômetros de Goiânia, capital do Estado de Goiás, e é um dos destinos perfeitos para os turistas que gostam de aventura na natureza e de se banhar em águas termais.

A cidade tem dois grandes clubes aquáticos, o Thermas Park Jatahy e o Hotel Thermas Bonsucesso, além de rios, trilhas, parques e lagos — como o Bom Sucesso, onde é possível andar de jet ski.

Em Jataí, o turista vai encontrar áreas de camping, locais para a prática de esportes aquáticos e de pesca esportiva (Rio Claro), bem como de rapel, tirolesa, canoagem e rafting. Para completar, você pode curtir um banho de cachoeira nas águas das Cachoeiras do Lajeado e do Bom Sucesso.

Saindo um pouco da natureza, a Casa do Artesão, o Museu de Arte Contemporânea e o Memorial Juscelino Kubitschek valem uma visita. O Memorial é uma homenagem ao ex-presidente do Brasil e as exposições que ele abriga mostram um pouco da relação que JK tinha com o município de Jataí.

Outro bom programa é dar uma volta pela cidade, que ainda tem ruas de paralelepípedos e réplicas de carros de boi em vários jardins, praças e museus. O acesso a Jataí, de ônibus ou carro, é feito pela BR-060.

2. Caiapônia

É outro bom destino para quem busca aventura, mas também para quem deseja simplesmente contemplar a natureza. Caiapônia, distante 318 quilômetros de Goiânia (Goiás), é uma cidade conhecida por suas belas cachoeiras, como a da Samambaia, da Abóbora, do Rio Bonito e da Jalapa.

Mas não são só as quedas d’água que colocam Caiapônia na rota do turismo no Centro-oeste. O Morro do Gigante Adormecido, monumento natural que lembra um rosto humano de perfil, é parada obrigatória de quem passa pelo município.

Entre as principais atividades de ecoturismo realizadas pelos visitantes, estão:

  • rapel nas cachoeiras;
  • mountain bike;
  • trilhas no Morro do Gigante Adormecido;
  • banhos no Balneário do Lajeado.

A cidade tem clima tropical, com temperatura média 23,5ºC e poucas chuvas ao longo do ano. Para quem vai de carro ou ônibus, saindo de Goiânia, deve pegar a Rodovia dos Romeiros até o município de Iporá e depois acessar a rodovia GO-221.

3. Caldas Novas

Um dos destinos mais famosos de Goiás, Caldas Novas ganhou fama não só no Brasil, mas também internacionalmente, por contar com o maior manancial hidrotermal do mundo. A cidade, que fica a 171 quilômetros de Goiânia, conta ainda com uma ampla infraestrutura hoteleira, mais de 20 parques aquáticos e 200 piscinas hidrotermais que atraem milhões de turistas de todas as idades por ano. As águas termais brotam do chão com temperaturas entre 43° e 70°C e têm propriedades terapêuticas e medicinais.

Apesar de essas serem as atrações mais conhecidas, Caldas Novas tem outros pontos turísticos que podem ser visitados durante um passeio pelo município. Conheça alguns dos que se destacam:

  • lago da Represa de Corumbá;
  • Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, com trilhas e cachoeiras;
  • Santuário de Nossa Senhora Salete, localizado no Morro do Capão, de onde é possível ter uma bela vista de toda a cidade. Muitas pessoas procuram o local para reflexão e meditação;
  • Jardim Japonês, planejado de acordo com a tradição budista.

A cidade é palco do Caldas Country, um dos maiores festivais de música sertaneja do Brasil, realizado todos os anos geralmente no mês de novembro. Também fazem parte do calendário de Caldas Novas o Carnaval da Família, eventos durante a Semana Santa, o Arraiá das Águas Quentes e a Magia do Natal.

Além do acesso de carro ou ônibus pelas rodovias BR-060 e GO-139, Caldas Novas conta ainda com um aeroporto para quem preferir chegar até lá de avião.

4. Pirenópolis

Localizada a 128 quilômetros de Goiânia, o acesso a essa cidade é feito pela GO-431. Ela ainda preserva características do período colonial e, graças ao seu grande patrimônio, Pirenópolis é tombada desde 1990 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Possui casarões do século XVIII, fazendas tombadas, além da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, construída em 1727, que é o maior e mais antigo monumento histórico da região Centro-oeste do país. Além do seu importante centro histórico, o município tem atrações naturais, como:

  • o Parque Estadual Serra dos Pireneus, com trilhas em paisagens incríveis;
  • o sítio arqueológico Cidade de Pedra;
  • as cachoeiras Abade, Lázaro, do Rosário, da Fumaça, Meia Lua e dos Dragões.

5. Goiânia

A capital de Goiás tem apenas 80 anos. Embora seja uma cidade ainda bem jovem, ela se destaca no cenário nacional e internacional com a sua arquitetura marcada pelo conceito Art Déco, muito utilizada na década de 1930 quando o município foi planejado. Goiânia é uma mistura de centro cosmopolita de negócios com o jeito hospitaleiro do goiano.

Com ruas arborizadas, parques urbanos, vários hotéis, restaurantes e centros de convenções, é um dos destinos turísticos mais importantes do Brasil. A cidade se destaca também pela riqueza cultural, vida noturna agitada e diversas opções de restaurantes e lazer.

Goiânia é famosa pelos bares nas calçadas, ótimos para um bom happy hour. Entre os pontos turísticos, estão: o Mercado Central, o Parque Vaca Brava, o Bosque dos Buritis, o Teatro Goiânia, o Centro Cultural Oscar Niemeyer, o Museu do Cerrado, Museu de Arte Moderna (MAM) e Museu de Arte Contemporânea (MAC), entre outros.

6. Brasília

Com apenas 57 anos, além de ser o centro da política nacional, Brasília também é um importante destino do turismo no Centro-oeste. A cidade, planejada com traços modernos e considerada uma das obras-primas de Oscar Niemeyer, é um exemplo de arquitetura para o mundo.

O roteiro dos visitantes pela capital federal contempla os monumentos espalhados pelas quadras planejadas da cidade e vários pontos turísticos que são paradas obrigatórias:

  • Congresso Nacional;
  • Praça dos Três Poderes;
  • Esplanada dos Ministérios;
  • Catedral de Brasília;
  • Parque Nacional de Brasília;
  • Jardim Botânico;
  • Panteão da Pátria;
  • Santuário Dom Bosco;
  • Memorial JK.

7. Cuiabá

Fundada em 1719, a capital do Mato Grosso tem hoje cerca de 575 mil habitantes e é a porta de entrada para dois importantes atrativos nacionais: a Chapada dos Guimarães (a 69 quilômetros de distância) e o Pantanal (parte Norte, distante cerca de 100 quilômetros).

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães tem uma área de 3.300 km² formada por paredões de arenito, grutas, mirantes e um total de 487 cachoeiras — a Véu de Noiva é a principal delas, com uma queda d’água de 86 metros.

Já o Pantanal, maior planície alagada do mundo, é dividido com o Mato Grosso do Sul, além dos países vizinhos Bolívia e Paraguai. O bioma brasileiro, considerado Patrimônio Natural da Humanidade, é um convite a se conectar com a natureza. A região conta com centenas de rios e afluentes e uma riquíssima biodiversidade (fauna e flora) que atrai visitantes do mundo inteiro.

8. Nobres

Menos famosa e com preços mais acessíveis, a cidade de Nobres, no Mato Grosso, é um ótimo destino para mergulho e flutuação. A região encanta turistas com os seus rios cristalinos cheios de peixes, grutas e cachoeiras.

Veja as principais atrações do município:

  • Lago das Araras;
  • Cachoeira da Serra Azul;
  • passeios de boia;
  • flutuação no Rio Triste e no Aquário Encantado, que tem uma coloração azul e peixes coloridos.

9. Campo Grande

Mesmo sendo a capital do Mato Grosso do Sul, com uma população de aproximadamente 853 mil habitantes, Campo Grande ainda mantém um certo ar de cidade do interior. É a porta de entrada para o Pantanal Sul e a Serra da Bodoquena.

Passeando pela cidade, é possível contemplar vários prédios decorados com pinturas da temática pantaneira. Algumas marcas desse importante bioma brasileiro aparecem na gastronomia. A culinária tem influência de imigrantes paraguaios, bolivianos e japoneses que vieram para a capital. Destacam-se os pratos:

  • sobá, receita japonesa que mistura macarrão com omelete desfiada, caldo de peixe e cheiro-verde. Também pode levar caldo de carne, molho shoyu, creme de gengibre e carne de frango, de porco ou de boi;
  • sopa paraguaia que, na verdade, é uma torta salgada cujo ingrediente principal é o milho;
  • Tereré, um mate gelado, outra tradição paraguaia em Campo Grande.

Os turistas podem aproveitar para fazer o passeio no Trem do Pantanal, que liga a capital ao município de Miranda. Também podem fazer caminhadas e ver capivaras, araras, tucanos e até jacarés no Parque das Nações Indígenas. Outra opção é visitar a Casa do Artesão, que reúne peças de mais de mil artistas locais, como miniaturas de animais do Pantanal, além de licores de pequi.

10. Bonito

Bonito, no Mato Grosso do Sul, está distante cerca de 300 quilômetros da capital Campo Grande. Também é um dos destinos mais procurados por turistas brasileiros e do mundo inteiro. A cidade pode ser visitada o ano todo, mas a época ideal para conhecê-la é entre os meses de dezembro e março, no período das chuvas.

Conheça algumas das diversas atrações de Bonito, que, como o próprio nome já diz, tem cenários belíssimos:

  • Praia da Figueira: formada por uma lagoa de água doce de águas cristalinas, é um dos pontos em Bonito para quem quer sossego e tranquilidade;
  • Gruta do Lago Azul: dentro da gruta, o viajante se surpreende com um lago natural de cor azul, que dá nome ao local. No chão e no teto, podem ser vistas lindas estalactites e estalagmites. O número de visitantes diários no atrativo é controlado;
  • Lagoa Misteriosa: fica dentro da caverna considerada a sétima mais profunda do país. Atrai muito as pessoas que gostam de mergulhar e praticar flutuação para observar os peixes e as algas que vivem nas águas cristalinas da lagoa;
  • Abismo de Anhumas: é uma caverna com 72 metros de altura. A melhor forma de acesso é por rapel (descida com cordas). Ao chegar à base, o turista encontra um deque flutuante, construído sobre um lago com mais de 80 metros de profundidade.

11. Bodoquena

Esse município, localizado a cerca de 70 quilômetros de Bonito, conta com a cachoeira mais alta do Mato Grosso do Sul: a Boca da Onça, com 156 metros de altitude. A trilha até esse paraíso é feita por um caminho que inclui outras cachoeiras. No local, é possível se banhar nas suas águas límpidas.

A cidade abriga a Serra da Bodoquena, que tem atrativos naturais como as águas cristalinas dos rios Betione e Campina, balneários, grutas, trilhas e cachoeiras.

Viu só como o Centro-oeste do Brasil é repleto de atrações turísticas? Aposto que depois de ler este texto e conhecer um pouco dessas cidades, você concorda que elas merecem a sua visita, não é mesmo? E esses são só alguns dos destinos da região, que é muito rica em atrações naturais e culturais!

Se você gostou de conhecer melhor o turismo no Centro-oeste do nosso país, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais. Assim, os seus amigos também vão descobrir como se divertir e se encantar com as belezas naturais ao viajar para essa região!