Com 54 países e 30.370.000 milhões de km² de extensão, sobram opções de turismo na África. O segundo maior continente do mundo, atrás apenas da Ásia, oferece opções que vão desde as majestosas pirâmides egípcias, até as deslumbrantes Cataratas de Vitória.

Quem sonha em ver leões, elefantes e girafas de perto e fora do zoológico pode também fazer safaris inesquecíveis nas savanas da região central do continente, ou então curtir as praias suntuosas de Madagascar.

Diversa em culturas, etnias e idiomas, é impossível desvendar a África em uma única viagem. Mas, neste artigo, vamos tentar elencar algumas das principais atrações no continente e mostrar por que vale a pena ir pelo menos uma vez para a região.

Boa leitura!

Egito — muito mais que pirâmides

As pirâmides de Gizé, nos arredores de Cairo, é uma das atrações mais visitadas e talvez o ponto turístico mais antigo.

Popular como destino de viajantes desde a antiguidade, o complexo inclui a famosa Grande Pirâmide de Gizé, a Pirâmide de Quéfren e as pirâmides menores de Miquerinos, além da Grande Esfinge.

Construídas como tumbas reais para os faraós Quéops, Quéfren, e Miquerinos em 2550 a. C., elas foram listadas como uma das sete maravilhas do mundo pelo escritor grego Antípatro de Sídon em 140 a. C. Desde então, já foram o destino de muitos turistas — até o Imperador brasileiro Dom Pedro II tirou fotos com elas.

As pirâmides já justificam uma visita ao Egito e a África, mas não são a única atração do país. Outros complexos arqueológicos como o Vale dos Reis e o Templo de Luxor também merecem ser conhecidos, assim como Abu Simbel, que são templos escavados na rocha que estão no sul do país, quase na fronteira com o Sudão.

E para os religiosos, também pode ser interessante conhecer o Monte Sinai, sagrado para o judaísmo, cristianismo e islamismo. Outros passeios que valem a pena no Egito incluem o Oásis de Siuá e Elefantina, uma ilha no Rio Nilo.

Zâmbia e Zimbabwe — conheça as Cataratas de Vitória

As Cataratas de Vitória são uma das quedas d’água mais deslumbrantes do mundo. E assim como as Cataratas do Iguaçu ficam entre Brasil e Argentina e as Cataratas do Niágara estão entre Estados Unidos e Canadá, as impressionantes Cataratas de Vitória estão na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabwe, com parques nos dois países.

No lado da Zâmbia, é possível visitar as cataratas a partir de Livingstone. O principal atrativo é uma formação conhecida como Devil’s Pool, uma piscina natural que fica no alto de uma das maiores quedas das cataratas que pode ser visitada na época de seca e permite uma experiência (e fotos) incríveis.

No lado do Zimbabwe, é possível se hospedar na cidade de Victoria Falls e curtir os parques com lindas vistas das cataratas, além de saltos de bungee jump na Victoria Bridge.

Além dos passeios nas cataratas, os dois países contam com uma herança cultural envolvente e possibilidades experiências gastronômicas inusitadas, como comer carne de elefante.

Marrocos — excursões em desertos e mercados

No Brasil, Marrocos é mais famoso pela novela O Clone, mas no resto do mundo o país é lembrado por uma outra produção audiovisual: Casablanca, o filme clássico que toma emprestado o nome da capital do país.

Entre os passeios, vale a pena conhecer a Medina de Marrakech, a cidade fortificada fundada em 1071 que serviu como influência para todas outras nações islâmicas. Além disso, o país também é famoso pelas excursões no deserto e também roteiros guiados em mercados, onde é possível comprar e conhecer temperos de todo tipo.

Uma outra cidade que vale a pena ser conhecida é Fez, que é conhecida como a capital cultural do país. Repleta de mesquitas tradicionais e museus, é um local que merece, pelo menos, um dia inteiro de viagem para ser explorado.

Quênia — prepare-se para safaris incríveis

Com diversos parques nacionais, o Quênia é o destino para quem quer ver, de uma vez só, leões, rinocerontes, leopardos, girafas, elefantes e búfalos. O parque mais famoso é o Masai Mara, que fica a 220 quilômetros da capital Nairóbi.

Lá é possível ver animais como zebras e gnus em manadas imensas, como era antes do crescimento da atividade humana no planeta. Além deste, existem diversas outras opções de parques e safaris no país.

Já no parque nacional do Amboseli, além de animais, o destaque é a vista para o Kilimanjaro, que fica na fronteira com a Tanzânia.

Dali é possível realizar excursões para escalar o monte, mas é importante saber que não é um passeio para qualquer um e leva, pelo menos, três dias de caminhada, para chegar na altitude de 5895 metros acima do nível do mar.

Tanzânia — de Zanzibar ao Kilimanjaro

Do outro lado do Monte Kilimanjaro está a Tanzânia, um país que, assim como o Quênia, é rico em natureza e repleto de atrações para quem é fascinado por animais como leões, tigres e zebras.

Mas além de safaris e excursões no Kilimanjaro, a Tanzânia também se destaca pela ilha de Unguja, conhecida como Ilha de Zanzibar, por ser a principal do arquipélago de mesmo nome.

Além de praias sensacionais que não perdem em nada para o Caribe ou o Havaí, Zanzibar também tem atrações como o Velho Forte Árabe, os banhos persas de Hamani, o mercado de Darajani e muitas outras opções.

África do Sul — entre o Atlântico e o Índico

Conhecida dos brasileiros pela Copa do Mundo de 2010, a África do Sul é considerada um dos destinos na África com mais estrutura para safaris e passeios em regiões selvagens. Além disso, viajar para o país de Nelson Mandela não é tão caro e existem promoções regulares para o destino.

Entre as principais atrações estão os parques, como o Parque Nacional Kruger, o mais famoso deles, que tem cerca de 20.000 km². Na África do Sul é possível também conhecer os raríssimos leões brancos — restam apenas 12 deles em liberdade no mundo.

Por fim, as praias da África do Sul são atrações à parte e vale a pena conhecer em especial a Cidade do Cabo, que fica na divisão entre o oceano Atlântico e o oceano Índico. Além dos dois mares, a cidade conta com a Table Mountain, uma montanha com o topo plano que é conectado com o a base por bondinhos turísticos.

Quem visita a África do Sul também deve aproveitar a oportunidade para conhecer as vinícolas da região, que estão entre as mais famosas do mundo.

Libéria — fundada por escravos libertos

Apenas a história da Libéria já vale uma visita ao país. A nação foi fundada por escravos libertos nos Estados Unidos que foram enviados de volta para a região, em vez de serem repatriados as nações em que seus antepassados foram retirados.

A Libéria era uma colônia dos Estados Unidos, mas foi o primeiro país colonizado na África que declarou sua independência em 1847. Sua bandeira e constituição são inspiradas nos Estados Unidos e sua capital, Monróvia, faz homenagem ao quinto presidente norte-americano, James Monroe.

Além dos museus que contam melhor essa história, a Libéria também se destaca por praias como a Ce Ce Beach e o Sapo National Park, o único parque nacional do pequeno país, que é casa de mais de 500 elefantes e diversos hipopótamos.

Angola — conheça a África em Português

Assim como o Brasil, Angola foi colônia de Portugal e, por isso, são um dos poucos países em que o idioma é falado. Com culinária fortemente influenciada pela portuguesa, a capital Luanda vale a visita para quem quer entender como é uma grande cidade africana sem precisar conversar em outro idioma.

Uma curiosidade especial para os brasileiros é a estátua de Cristo Rei na cidade de Lubango, uma espécie de Cristo Redentor. Outro tipo de passeio que remete aos brasileiros é a Fortaleza de São Miguel, um antigo Forte português como os que ainda existem em muitas praias do país.

Também em Lubango, existe a Fenda da Tundavala, uma formação rochosa com uma vista de tirar o fôlego.

Madagascar — a ilha continente

Localizada na costa de Moçambique, a extensa ilha de Madagascar é mais uma região da África em que é possível se encantar com praias incríveis, natureza exuberante, gastronomia única e cultura envolvente.

A floresta de pedras de Tsingy, formada pela corrosão da chuva na pedra calcária, é um dos passeios inusitados da ilha, junto as visitas em parques onde é possível avistar animais como lêmures e fossas.

Outra atração única de Madagascar são as Baobás, árvores imensas que vivem até 1000 anos e são consideradas as árvores nacionais do país.

Com praias paradisíacas por todos os lados, é difícil eleger uma favorita em Madagascar, mas a Ilha Sainte-Marie, que fica ao leste da ilha principal, é um dos destinos favoritos dos turistas.

Moçambique — banhada pelo Oceano Índico

Assim como Angola, Moçambique também foi colonizada por portugueses e lá a língua é falada, em meio a diversos outros idiomas e dialetos. Além disso, muitos elementos da cultura brasileira fazem sucesso no país africano, como futebol, novelas da Globo e até artistas como Ivete Sangalo e Zeca Pagodinho.

Mas além das similaridades com o Brasil, Moçambique é um país que se destaca pelos seus 2.500 quilômetros de praias, banhadas pelo Oceano Índico. E sua principal atração é o arquipélago de Bazaruto, um grupo de ilhas na costa do país que formam um destino de férias dos sonhos.

Com a fronteira da África do Sul ao sul e a Tanzânia ao norte, Moçambique também é lar de diversos dos animais que podem ser vistos em seus vizinhos mais famosos e também tem safaris que valem a pena.

Ruanda — o país dos gorilas

Ruanda é conhecida por ser um dos países onde é possível ver gorilas em seu ambiente natural. O Parque dos Vulcões, um dos mais antigos da África, é o santuário de cerca de 880 desses animais e, por isso, só pode ser visitado com guias e em grupos pequenos, de no máximo 8 pessoas.

Outro parque que merece ser visitado é o Parque Nacional de Akagera, que conta com uma das maiores populações de hipopótamos do mundo, além de elefantes, zebras, girafas e outros animais.

E a capital Kigali encanta os turistas pelo seu clima agradável e gastronomia única, que inclui a famosa uragawa, a cerveja de banana.

Botswana — tours pelo Deserto do Kalahari

Com mais de 50 mil km², o deserto do Kalahari é uma área vasta e pouco explorada, mas um dos principais atrativos do Botswana, que é um país africano ao norte da África do Sul. Na região, existe um deserto de sal intocado pela ação humana que tem partes que podem ser visitadas pelos turistas.

Além do deserto, o Botswana se destaca também pela diversidade de vida selvagem, assim como seus vizinhos África do Sul. E o principal local para ver todo tipo de animal é o Delta do Okavango, uma região alagada de planícies com hotéis e campings que é relativamente pouco conhecida em relação aos principais roteiros de safaris no Quênia e na África do Sul.

O Botswana também fica relativamente próximo das Cataratas de Vitória e é possível, em uma mesma viagem, conhecer também o Zimbabwe e a Zâmbia.

Etiópia — a origem do café

Conhecido por ser o país de onde se originou o grão de café, a Etiópia é uma das nações mais antigas da África e a única que continuou independente durante a partilha do continente pelas potências europeias.

Além da oportunidade de provar um café tradicional em Adis Abeba, a capital do país, é recomendável dedicar alguns dias de viagem para visitar atrações etíopes como a cidade fortaleza de Gondar, que foi a última capital do Império da Etiópia, as ruínas do Reino de Axum, que existiu na região durante a idade média e o Lago Wonchi, que fica no fundo de vulcão extinto, 3380 metros acima do nível do mar.

Outra recomendação imperdível é conhecer o fóssil de Lucy, o exemplar de ossos humanos mais antigo encontrado por arqueólogos. Lucy viveu há 3,2 milhões de anos e repousa hoje no Museu Nacional da Etiópia, em Adis Abeba.

E agora que você já conhece uma pouco mais das diversas opções de turismo na África, aproveite para saber como deixar sua viagem longa de avião até lá mais confortável!