A Ásia, maior continente do mundo tanto em área quanto em população, faz jus ao seu tamanho com uma identidade cultural riquíssima, que atrai milhões de turistas todos os anos.

Embora as atrações turísticas se espalhem por diversas cidades, são as capitais que reúnem boa parte dos templos, monumentos e palácios que encantam os visitantes e figuram nos cartões-postais.

Já pensou em incluir as capitais asiáticas no seu próximo roteiro de viagem? Seja sozinho, com amigos ou com a família, esses destinos merecem a sua visita. Confira!

Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos

Se prepare para muito calor ao visitar a região de Abu Dhabi: a sensação térmica no verão chega aos 57 graus! Por isso, é recomendado marcar sua viagem para o inverno, entre os meses de novembro e março, quando as temperaturas caem um pouco e permitem mais passeios ao ar livre.

A cidade chama a atenção por seus contrastes: os tradicionais mercados árabes e as mesquitas convivem lado a lado com os hotéis e prédios luxuosos e as atrações tecnológicas.

Entre os principais passeios que agradam os visitantes, estão:

  • conhecer o maior parque indoor do mundo, o Ferrari World, construído ao lado do Circuito de Fórmula 1 e que ostenta a montanha-russa mais rápida do mundo;
  • visitar a Sheik Zayed Grand Mosque, uma mesquita com capacidade para 40 mil fiéis e que esconde em seu interior o maior tapete persa do mundo;
  • tomar um drink ou almoçar no Emirates Palace, o hotel mais famoso da cidade;
  • fazer um safári no deserto, que termina com um jantar no estilo beduíno e tatuagens de henna para os mais ousados;
  • tomar sol nas praias da avenida de Corniche — prestando atenção aos avisos, já que existem seguranças para garantir o cumprimento das regras;
  • curtir a noite nos bares e clubes mais famosos das capitais asiáticas, como o Zenith Nightclub e o Cinnabar.

É importante lembrar que existem algumas regras de comportamento e vestimenta que devem ser respeitadas em Abu Dhabi: as roupas não podem ter decotes ou transparências e demonstrações públicas de afeto, como beijos e abraços, são proibidas.

Cabul, Afeganistão

A capital do Afeganistão é repleta de pontos turísticos e atrações interessantes, como parques, locais religiosos, ruínas históricas e museus. Alguns lugares que devem entrar no seu roteiro de viagem ao conhecer Cabul são:

  • a Galeria Nacional do Afeganistão, que reúne a história do país e seus conflitos e guerras;
  • a Mesquita Abdul Rahman Mosque, uma construção imponente que conta com um jardim interno amplo e bem cuidado;
  • o Museu de Cabul, que guarda uma coleção impressionante de tesouros afegãos e retrata a história cultural e religiosa do país;
  • o Palácio de Darul Aman, atualmente em ruínas após as guerras que assolaram o país;
  • o Palácio de Taj Beg, que servia como casa de campo para a família real afegã;
  • o Parque Babur Gardens, que oferece um verdadeiro espetáculo na primavera, com jardins vistosos e uma arquitetura impressionante;
  • o Parque Band-e Amir, um conjunto de 6 lagos de águas claras que foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco;
  • o Parque Bibi Mahroo, localizado no alto de uma colina com uma vista panorâmica da cidade;
  • o Parque Zarnegar, o maior espaço verde aberto ao público em Cabul, que foi revitalizado em 2006;
  • o Zoológico de Cabul, com cerca de 500 animais de diversas espécies, entre eles leões, raposas, macacos, lobos e flamingos.

Apesar de ser considerado um destino perigoso, as agências que organizam viagens para Cabul seguem medidas rígidas para garantir a segurança dos turistas, e mantém contato constante com as autoridades locais para identificar áreas de risco a serem evitadas.

Jerusalém, Israel

Na hora de escolher a hospedagem em Jerusalém, um dos critérios mais importantes é a localização.

Como a maioria das atrações fica na Cidade Velha, é possível visitar vários pontos turísticos caminhando, sem precisar de táxi ou carro alugado — que nem são permitidos nessa região.

Outro fator que deve ser considerado é a época da viagem: em feriados religiosos a cidade fica cheia e os passeios são mais disputados, e no inverno, a chuva e as baixas temperaturas podem atrapalhar o turismo.

Na hora de organizar seu roteiro de viagem, não esqueça de incluir:

  • a Igreja do Santo Sepulcro, local sagrado para o cristianismo por representar o lugar onde Jesus teria sido crucificado;
  • a Torre de Davi, de onde se pode ter uma vista panorâmica da cidade;
  • o Domo da Rocha, lugar sagrado para o islamismo, de onde Maomé ascendeu aos céus;
  • o Mercado Mahane Yehuda, que vende temperos, comidas típicas e bebidas;
  • o Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado do judaísmo, onde os visitantes podem colocar nas rachaduras pedaços de papel com seus pedidos;
  • o Museu de Israel, que possui o maior patrimônio arqueológico bíblico do mundo;
  • o Museu do Holocausto, que documenta a história do povo judeu por meio de fotos, filmes, documentos e objetos pessoais das vítimas;
  • o Parque Arqueológico de Jerusalém, para observar as ruínas dos templos.

Uma boa ideia para aproveitar ainda mais os passeios por Jerusalém e outras capitais asiáticas é contratar um guia especializado, que pode enriquecer ainda mais as visitas aos locais históricos.

Nova Déli, Índia

Passeios e atrações para todos os gostos dividem lugar nessa capital asiática, que mescla tradição e modernidade e atrai visitantes de todo o mundo.

Monumentos históricos, retiros espirituais, festas badaladas e shoppings que vendem de tudo: o que você procura em Nova Déli?

Se estiver de passagem por lá ou se dedicar alguns dias para conhecer o que tem de melhor na cidade, não deixe de visitar:

  • a Jama Masjid, a maior mesquita de toda a Índia, construída no século XVII;
  • o Chandni Chowk, um mercado de artigos indianos com preços atrativos;
  • o Forte Vermelho, uma construção do século XVII feita de pedras que já abrigou 11 palácios;
  • o Memorial de Gandhi, que abriga um jardim e um museu que conta a história do maior líder da Índia, assassinado no mesmo lugar;
  • Old Déli, a parte antiga da cidade, que concentra boa parte dos mercados tradicionais que vendem flores, temperos, chás e especiarias;
  • o Palácio Presidencial, chamado de Rashtrapati Bhavan, que funciona como a residência oficial do presidente da Índia;
  • o Portão da Índia, onde estão gravados 85.000 nomes de soldados mortos na Primeira Guerra Mundial e nas Guerras Afegãs;
  • o Templo de Akshardham, o maior templo hindu em todo o mundo, que abriga diversas esculturas em ouro, pinturas e objetos históricos;
  • o Templo de Lótus, no formato da famosa flor, criado para se tornar um espaço onde pessoas de todas as religiões podem praticar sua espiritualidade;
  • o Túmulo de Humayun, o mausoléu que serviu de inspiração para o Taj Mahal e foi declarado patrimônio mundial da Unesco.

Durante os passeios, é fundamental se manter atento e tomar cuidado com os veículos, já que o trânsito indiano costuma ser caótico. Uma curiosidade interessante de Nova Déli é a convivência pacífica de pessoas e animais nas ruas da cidade: é comum encontrar, entre os carros e tuk tuks, as mais variadas espécies; vacas e cachorros a cabras, porcos, ovelhas e até macacos.

Pequim, China

Uma das cidades mais populosas do mundo, Pequim é também uma das capitais asiáticas mais visitadas por brasileiros, e não faltam atrações para preencher os dias de viagem. Se você está pensando em viajar para o outro lado do mundo, confira o que você pode fazer por lá:

  • conhecer os pontos turísticos mais famosos:
    • a Cidade Proibida, um palácio imperial construído durante a Dinastia Ming;
    • a Grande Muralha da China, parada quase obrigatória para os turistas, que soma mais de 6.000 quilômetros de extensão e 7 metros de altura;
    • o Ninho do Pássaro, o estádio nacional construído para os Jogos Olímpicos de 2008;
    • o Templo do Céu, onde os adeptos da religião taoista pediam bençãos para a plantação e agradeciam à colheita;
  • fazer um passeio de barco pelo Lago Kunming e visitar o Palácio de Verão Yiheyuan;
  • participar de uma cerimônia do chá;
  • ver as demonstrações de kung fu realizadas por monges Shaolin em praças e parques públicos;
  • experimentar comidas exóticas, como os espetinhos de escorpião ou de grilo, no Mercado Noturno Donghuamen ou na Wangfujing Snack Street;
  • fazer compras e pechinchar no Silk Market;
  • praticar exercícios ou participar das atividades — como ping pong, dança e jogos tradicionais — no Ditan Park;
  • fazer um passeio noturno pelos hutongs, becos formados por ruas estreitas repletos de bares, restaurantes e clubes;
  • explorar o bairro artístico chamado de 798, que concentra galerias de arte, exposições, lojas, cafés e barracas de comidas típicas;
  • visitar o Zoológico de Pequim, morada de vários ursos panda;
  • passear pelo controverso Parque de Diversões de Pequim, onde todos os personagens e cenários são cópias não autorizadas dos grandes estúdios;
  • assistir um dos muitos shows acrobáticos chineses que combinam coreografias, música e jogos de luzes.

A cidade de Pequim é conhecida como o coração da China, e com mais de três mil anos de história, consegue mesclar tradição e modernidade, preservando suas raízes e abraçando o futuro.

Seul, Coreia do Sul

A mais organizada das capitais asiáticas abriga um povo simpático, aberto e comunicativo, que costuma receber muito bem os turistas que chegam de todos os cantos do mundo.

Se estiver de passagem por Seul, confira algumas atividades que merecem entrar no seu itinerário:

  • apreciar um banho medicinal ou uma sauna temática nas casas de banho tradicionais de Seul;
  • aprender sobre a cultura budista e participar de uma cerimônia do chá no Templo Bongeunsa;
  • comprar cosméticos, roupas e acessórios em Myeongdong;
  • conhecer um dog ou cat café, cafeterias onde a atração principal são os cachorros ou gatos que circulam livremente pelo estabelecimento;
  • descobrir a medicina tradicional coreana no Mercado Medicinal de Seul;
  • fazer um tour pela DMZ, a zona desmilitarizada na fronteira entre as Coreias do Norte e do Sul;
  • passear pelo Bukchon Hanok Village, um vilarejo tradicional coreano que concentra lojas, galerias de arte e as famosas casas de chá;
  • provar a comida de rua, com sabores marcantes e apimentados como o japchae, um macarrão de batata-doce com carne e legumes;
  • ter um vislumbre do passado no parque temático Dongdaemun History & Culture Park, que reúne no mesmo local as ruínas de um acampamento militar e exposições repletas de recursos tecnológicos futuristas;
  • visitar o Gyeongbokgung Palace e acompanhar a troca da Guarda Real Coreana.

A cidade conta com transporte público eficiente e a melhor conexão de internet do mundo, dois fatores importantes para os turistas.

Tóquio, Japão

Tóquio merece destaque entre as capitais asiáticas pela variedade de atrações turísticas: entre lugares para conhecer e atividades para fazer, os viajantes podem se manter ocupados por vários dias e ainda ir embora com a sensação de não ter visto tudo.

Quando estiver na metrópole mais populosa do mundo, inclua na sua lista de coisas a fazer:

  • passear pelo Parque Ueno, repleto de cerejeiras e que conta ainda com um jardim zoológico e vários templos;
  • degustar diversas iguarias japonesas numa depachika, uma loja que vende grande variedade de petiscos e lanches rápidos;
  • atravessar o Shibuya, o cruzamento mais movimentado do mundo, retratado em vários filmes gravados na cidade;
  • conhecer o Santuário Meiji Jingu, um templo xintoísta onde se celebram casamentos tradicionais aos domingos;
  • passear por Harajuku, o local de encontro dos jovens japoneses que praticam cosplay;
  • visitar os jardins do Palácio Imperial;
  • provar os doces japoneses e chocolates com sabores exóticos;
  • comer yakitori, um prato típico de frango preparado em fogareiros a carvão e vendido em barracas de rua no Piss Alley;
  • conhecer o centro financeiro em Marunouchi, um dos mais poderosos do mundo;
  • curtir a vida noturna nos bares e clubes no bairro Golden Gai ou cantando em um bar de karaokê;
  • comprar roupas e artigos vintage no bairro Shimokitazawa;
  • subir na Tokyo Tower, que oferece uma vista panorâmica da cidade em duas plataformas de observação — a 145 e 250 metros de altura.

Há muito o que fazer na cidade que sediará os próximos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020, e conhecer de perto a cultura japonesa é uma experiência inesquecível para turistas de todas as idades.

E você, já está planejando uma viagem para conhecer as capitais asiáticas? Então, confira algumas estratégias para economizar e aproveitar ao máximo o seu roteiro!