Viajar é muito bom, mas já pensou em acrescentar uma aventura incrível ao roteiro? Andar nas melhores montanhas-russas do mundo, saltar de bungee jumping, fazer trilhas, conhecer cachoeiras e admirar os canyons de um local privilegiado são algumas opções. Se você se identificou com essas atividades, preste atenção, pois selecionamos 7 destinos para viagens de aventura que proporcionam muita adrenalina e frio na barriga.

São diferentes regiões que pedem muita coragem e espírito aventureiro. Além das atrações naturais, você pode praticar diversas modalidades de esporte ao ar livre: montanhismo, rapel, mergulho, travessias, saltos e muito mais. Prepare o passaporte, as malas e comece a organização, pois esta lista vai te conquistar!

1. BASE jumping na montanha Kjerag — Lysefjord, Noruega

BASE jumping já é um esporte muito radical, mas fica ainda melhor se praticado em um visual exuberante. Aí é possível curtir o momento como se fosse uma eternidade!

A Noruega é um país muito indicado para aventuras, já que as estradas sinuosas em torno das cordilheiras de montanhas são um convite à prática de esportes radicais.

Lysefjord é um dos lugares mais belos e requisitados para esse esporte. Caso você ainda não tenha coragem ou a experiência necessária, vale a pena ir até o local para admirar a paisagem ou assistir aos saltos.

Descubra como explorar essa região.

Kjeragbolten

Para os profissionais mais experientes, praticar BASE jumping na montanha Kjerag, que fica a 3,5 mil metros de altura acima da entrada do mar entre as montanhas, é uma das melhores sensações de liberdade.

Na trilha que vai até Kjeragbolten, encontra-se a famosa pedra suspensa, localizada no condado de Rogaland. A rocha é um depósito glacial de 5m³ na fenda da montanha, suspenso no profundo abismo de 984m. Esse é um dos pontos mais fotografados do país e rende boas imagens aos viajantes.

Para acessar a pedra, não é necessário equipamento de escalada. A vista é espetacular e faz valer todo o esforço até a chegada.

Além de ser destinado à prática de BASE jumping, o local também é propício para outros esportes radicais, como bungee jumping e alpinismo.

Percurso

A trilha até o topo da montanha Kjerag dura cerca de 5 horas e tem grau de dificuldade elevado, com trechos de subidas íngremes. Por isso, é importante utilizar vestimentas e calçados apropriados, além de levar suprimentos, como água e lanche. Ao chegar ao planalto, o trajeto fica mais tranquilo.

Ter um bom preparo físico ajuda bastante, mas mesmo assim é preciso realizar alongamentos antes de começar o trajeto. A volta pode ser pelo mesmo caminho — estrada  Lysevegen — ou é possível ir até a comunidade de Sirdal e pegar uma balsa.

BASE Jumping

BASE é o acrônimo dos lugares utilizados pelo base-jumper para realização dos saltos: Building, Antenna, Span e Earth. Em português: edifícios, antenas, pontes e terra (esta última, se referindo a montanhas e falésias). É considerado um dos esportes mais perigosos do mundo. Devido à alta taxa de mortalidade, sua prática é proibida em diversos países, inclusive em algumas regiões dos Estados Unidos.

O BASE jumping proporciona uma das experiências mais buscadas pelo homem: a de voar com o próprio corpo. É uma mistura de liberdade, medo da morte e muita adrenalina. Basta assistir a alguns vídeos de pessoas saltando para ficar sem ar! Consegue se imaginar fazendo a mesma coisa em uma das suas viagens de aventura? Explicamos a seguir como funciona o salto.

Sobre o esporte

No BASE jumping, o participante utiliza um paraquedas, que pode ser externo ou acoplado ao próprio corpo: o wingsuit — uma espécie de macacão com “asas”. Quando vestido com o equipamento, a aparência do saltador se assemelha à de um pássaro, e o voo é livre. Após saltar, o base-jumper abre o paraquedas e realiza o trajeto de braços e pernas abertos. Como é praticado em locais de baixa altitude, o esporte requer muito cuidado, pois cada segundo é fundamental na hora do pulo.

O equipamento permite que o base-jumper realize várias manobras, permanecendo por mais tempo no céu, voando como um pássaro. Apesar de oferecer uma aventura convidativa, não é qualquer pessoa que pode praticar a atividade. Para iniciar no BASE, é necessário ter pelo menos 100 saltos de paraquedas registrados. Em alguns lugares, pede-se 300 saltos.

Há uma escola de paraquedismo no Rio Grande do Sul que ministra o esporte, mas é obrigatório que o aluno seja experiente no paraquedismo. Além disso, o praticante precisa ter rapidez em seus reflexos, pois meia fração de segundo em uma manobra mal-desempenhada pode custar a vida.

2. Cliff Diving no La Quebrada Cliffs — Acapulco, México

La Quebrada é um precipício que está a 45m de altura do nível do mar. Desde 1934, é uma das principais atrações da cidade de Acapulco, no sudeste do México. Em La Quebrada, os praticantes do cliff diving — que significa “queda livre” — são chamados de “clavadistas”, termo espanhol que significa “mergulhadores de penhasco”.

O esporte começou quando os nativos de Acapulco aprenderam a lançar-se do precipício em direção às ondas. Sem treinamento profissional, eles foram desenvolvendo a habilidade e atualmente ocupam lugar de prestígio.

Os clavadistas começam os saltos na infância e treinam na parte mais baixa do penhasco. Conforme vão ganhando experiência e confiança, avançam nos saltos até chegar ao ponto mais alto.

O salto requer muita preparação: deve ser realizado no surgimento de uma onda, sendo que a queda dura apenas 3 segundos. As ondas altas determinam o momento ideal para entrar na água, que tem no total 5 segundos. Ou seja, os clavadistas têm uma margem de erro de apenas 2 segundos. A profundidade da água não chega a 5m. O salto é um verdadeiro espetáculo para quem curte viagens de aventura!

Diariamente, 5 clavadistas se apresentam ao público, como atração turística.

As apresentações noturnas são as mais emocionantes, pois os clavadistas se lançam do penhasco, levando uma tocha em cada mão. Pode-se assistir ao espetáculo no mirante público, contribuindo com gorjeta para os esportistas, ou desfrutando da visão privilegiada do Clube La Perla, que cobra o valor do ingresso.

3. Formula Rossa no Ferrari World — Abu Dhabi, Emirados Árabes

Se você gosta de automóveis, velocidade e frio na barriga, já pode comprar as passagens para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, e visitar o Ferrari World, o maior parque temático coberto do mundo.

O telhado vermelho com o famoso logotipo da marca italiana tem 65m de comprimento e cobre um espaço de 200 mil m². Para se ter uma noção, somente a área acessível ao público tem 86 mil m², o equivalente a 7 campos de futebol.

O parque tem 20 brinquedos e uma exposição de carros antigos da Ferrari. Mas a atração mais famosa, sem dúvidas, é a Formula Rossa, a montanha-russa mais rápida do mundo. O brinquedo atinge 250km por hora em menos de 5 segundos. A segunda montanha-russa mais rápida atinge 206km por hora e fica no parque Six Flags de New Jersey, nos Estados Unidos.

Nos primeiros 2 segundos, a velocidade da Formula Rossa muda de zero para 100km/h. O susto e a adrenalina são inevitáveis. O objetivo é proporcionar ao visitante a emoção que sentiria dentro de um carro de Fórmula 1.

E a sensação é bem parecida mesmo. A prova disso é a necessidade de usar óculos especiais para proteger os olhos do impacto. O percurso também simula o trajeto de um carro de corrida, com subidas e descidas, mas sem loopings. A duração total é de 90 segundos.

O parque está localizado na ilha de Yas, onde também acontece o circuito de Fórmula 1. Ou seja, um ótimo destino para viagens de aventura. A região conta com vários hotéis de luxo, um parque aquático e um clube de golfe. Outro espaço interessante é a Galeria Ferrari, que desde o ano de 1947 abriga uma exposição de carros antigos, todos pertencentes ao mesmo colecionador. O complexo foi construído em apenas 3 anos e inaugurado em outubro de 2010.

4. The Claw em Dreamworld Coomera — Queensland, Austrália

Que tal aventurar-se no pêndulo mais poderoso do planeta? Se você não tem medo de altura, precisa conhecer o Coomera Sports Park. Ele fica no estado de Queensland, na região nordeste da Austrália, onde estão as praias mais belas do país.

The Claw é o nome do brinquedo que leva os viajantes a quase 30m do solo, girando em 360° a uma velocidade de 80km/h. A subida e o giro acontecem ao mesmo tempo, o que torna a atração mais emocionante. A duração é de 1 minuto e 30 segundos.

Achou insano? Pois saiba que o brinquedo atrai turistas de todo o mundo desde a sua inauguração, em 2004. Tem coragem?

5. Grand Canyon Skywalk — Arizona, Estados Unidos

O Grand Canyon é um dos lugares mais bonitos e impressionantes do mundo, e contempla os estados de Nevada e Arizona. Além de toda a magnitude natural, uma das experiências mais populares do local é a Skywalk, uma passarela de vidro suspensa por onde é possível caminhar e ter a incrível sensação de flutuar sobre o Grand Canyon.

Para chegar até lá, é possível pegar um ônibus de turismo, um helicóptero ou alugar um carro e ir por conta própria. Além da passarela, há um complexo com outras atrações: centro de visitantes (com 3 andares), museu, cinema, sala VIP, restaurantes, bares e lojas. A Skywalk é gerida pela tribo Hualapai e oferece uma vista de 270°.

Skywalk

A plataforma de vidro, que se estende por 21m à frente do topo do Canyon, é sustentada por uma armação de aço suspensa a 1,2 mil metros de altura, sem colunas. Só podem acessar o espaço 120 visitantes por vez. A estrutura em formato de “U” sobre o abismo é considerada uma das mais inovadoras da engenharia moderna.

Como a base e as laterais são de vidro, a transparência faz você se sentir praticamente dentro do Canyon. Dá frio na barriga de verdade, mas é uma experiência surreal. Pode ter certeza de que a vontade de ficar parado contemplando aquela imensidão é maior do que qualquer medo.

Como o uso de câmeras e celulares é proibido, a única opção para registrar o momento é comprando uma foto ou um CD com várias imagens, que pode ter custo elevado. Então, aproveite cada segundo para admirar a magnífica paisagem.

6. Chapada dos Veadeiros — Goiás, Brasil

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros fica no coração do Brasil, no estado de Goiás. A natureza exuberante e a vida selvagem são as principais atrações da região. Formações rochosas, cachoeiras, rios cristalinos, trilhas, vales, canyons e piscinas naturais tornam o lugar único e especial. Fica difícil mencionar uma única opção, pois a Chapada reserva muitas atividades para os aventureiros. Confira alguns exemplos:

  • Vale da Lua;
  • Cachoeira Loquinhas;
  • Cachoeira Santa Bárbara;
  • Janela do Abismo;
  • Cachoeira Almécegas I e II;
  • Catarata dos Couros;
  • Poço Encantado;
  • Mirante da Janela;
  • Poço Esmeralda.

7. Insano no Beach Park — Ceará, Brasil

Que tal uma aventura aquática? O Acqua Park do Beach Park tem 18 brinquedos para todos os gostos e idades. Mas um deles se destaca: o Insano. Em queda livre, o visitante desce o toboágua de 41m de altura em apenas 5 segundos, a 105km/h! O nome faz jus à realidade: é realmente insano!

Para se aventurar no brinquedo, é preciso ter disposição para subir as escadas, pois a altura do toboágua é equivalente a um prédio de 14 andares. Em compensação, o cenário do topo é espetacular: é possível ver a própria cidade de Aquiraz, onde fica o Beach Park, e avistar a praia.

Gostou das nossas sugestões de lugares para se aventurar pelo mundo? Tem opções nacionais e internacionais, para todos os gostos. Escolha um ou mais destinos para acrescentar à sua lista de viagens de aventura e viva experiências inesquecíveis! Não perca tempo e comece a planejar a sua próxima trip!