Quer conhecer uma cidade que tem muitas semelhanças com Veneza sem sair do Brasil? Prepare-se para se maravilhar com os melhores pontos turísticos e atrações de Recife.

Um pouco de história

Conhecida como a Veneza brasileira, Recife foi fundada em 1537 e mistura o antigo com o moderno, tendo a exuberância da natureza como pano de fundo.

Com uma população de mais de 1,6 milhão de habitantes, a cidade teve início com alguns poucos pescadores e homens do mar que se instalaram na porção de terra que vinha de Olinda e se alargava em direção ao sul. As águas calmas serviam de abrigo às embarcações que seguiam viagem.

A pequena colônia de pescadores, bem situada entre os arrecifes, chamou atenção dos colonizadores portugueses que fundaram um porto no local. Toda a produção de açúcar da Capitania de Pernambuco passou a ser escoada por esse porto.

Com um grande volume de exportações, as atividades portuárias aceleraram o crescimento do povoado, chamado à época de Povoações dos Arrecifes. Essa prosperidade provocou a invasão holandesa, fazendo com que a cidade iniciasse uma nova fase de seu desenvolvimento.

A capital pernambucana recebeu o apelido carinhoso de Veneza Brasileira porque sua paisagem, um emaranhado de terra e água, é cortada pelos rios Capibaribe e Beberibe, dezenas de canais e várias pontes.

Com cenários maravilhosos, praias marcantes e uma vasta vida cultural, viajar para Recife é garantir a felicidade e a diversão de toda a família. Veja o que fazer em Recife.

As praias

A orla de Recife transmite boas energias com suas águas esverdeadas e muitos coqueiros que proporcionam uma vista belíssima. São duas as principais e mais procuradas praias de sua costa: Boa Viagem e Praia do Pina.

Praia de Boa Viagem

A praia de Boa Viagem é, sem dúvidas, a mais conhecida e frequentada por turistas do Brasil e de todo o mundo.

Ponto de encontro de pessoas de várias idades, classes e tribos, sua extensão de 7 km oferece uma ótima infraestrutura, com quiosques, pista para caminhadas, chuveiros, equipamentos para musculação, vários restaurantes e hotéis.

Boa viagem conta também com a comodidade dos vendedores ambulantes na areia, que procuram oferecer de tudo um pouco: petiscos de frutos do mar, como espetinho de camarão, ostras, caldos, bebidas refrescantes, lembrancinhas de viagens, artesanatos locais, até protetor solar.

A praia, que já serviu de inspiração para artistas como Alceu Valença, que narrou sua beleza na música “La Belle de Jour”, tem águas mornas, levemente agitadas e, quando está na maré baixa, formam piscinas naturais.

Mas cuidado! Nem pense em mergulhar além dos arrecifes. É que as águas de Boa Viagem são habitat natural de tubarões e, por isso, a prática de mergulhos e de surf são proibidas depois da formação rochosa.

A noite na Praia de Boa Viagem é marcada por shows ao vivo e por famosos luais. Mas é a parte central da praia que concentra o maior movimento de turistas e opções de lazer! Por lá você encontrará muitos quiosques, lanchonetes e restaurantes.

E quando o cansaço chegar, você poderá optar por um dos vários hotéis próximos à praia. É possível encontrar acomodações de nível internacional na orla ou pousadas e hotéis que agradam a todos os bolsos na região.

Praia do Pina

A praia do Pina é contígua à praia de Boa Viagem. É urbana e movimentada, oferece infraestrutura parecida com a de sua vizinha. Lá, sua família poderá desfrutar de bebidas geladas, petiscos e muita diversão.

A praia é bastante conhecida pela quantidade de coqueiros, tem uma considerável faixa de areia dourada e é muito frequentada por turistas e moradores locais.

O Carnaval

Uma das principais datas do calendário festivo de Pernambuco é o carnaval. Responsável por arrastar mais de 1,5 milhão de pessoas às ruas de Recife, durante seis dias, a festa tem peculiaridades que a torna uma das mais populares do país.

O carnaval na capital do estado tem um estilo próprio muito influenciado por povos africanos e indígenas. Na cidade, os foliões podem experimentar toda a vibração carnavalesca.

O Galo da Madrugada, conhecido por ser o maior bloco de rua do planeta, é responsável por abrir a festa com dezenas de trios elétricos. O desfile acontece no sábado de carnaval e conta com a apresentação de cantores consagrados.

Já o frevo, outra peculiaridade pernambucana, é parte importante dessa festa. As fantasias e os guarda-chuvas, o som instrumental e o ritmo acelerado embalam quem está nas ruas.

As pontes

As pontes de Recife são com as veias para um corpo, sem elas seria inimaginável a vida moderna e a circulação de veículos na cidade.

São 8 pontes que cruzam os rios Capibaribe e Beberibe e ligam as ilhas por onde a população se estende. Os caminhos sobre as águas é o principal cartão-postal da cidade.

Conhecer as pontes de Recife é conhecer também a história de formação da cidade. Cada uma delas conta um pouco sobre o momento e a vida de povo recifense no passado. Além de ser também um belo conjunto arquitetônico.

Ponte Maurício de Nassau

A ponte Maurício de Nassau foi a primeira da América Latina, construída em 1643, era chamada de Ponte do Recife. A primeira foi feita de madeira, depois substituída por aço e, finalmente, por concreto. À época de sua inauguração era preciso pagar pedágio para passar pela ponte.

No dia da abertura da Ponte de Recife, para atrair o maior número de pessoas para pagar pedágio, Maurício de Nassau prometeu que um boi voaria. Foi então, que ele fez uma espécie de boneco de boi e o fizera voar por cordas. A brincadeira logo foi sacada, mas a invenção foi um sucesso.

Ponte Buarque de Macedo

Antes de chegar ao mar, os dois rios de Recife se encontram e seguem pela ponte Buarque de Macedo, a mais extensa do centro da cidade, com 290 metros de comprimento. Construída inicialmente de madeira, entre 1882 e 1890, era chamada de Ponte Provisória. Ela liga a Avenida Rio Branco à Praça da República. Seu nome é em homenagem ao ministro que autorizou sua construção.

Ponte da Boa Vista

A ponte da Boa vista continua exatamente como era no passado. No começo do século XX os bondes circulavam sobre ela. Construída em 1876, sua estrutura é de ferro e tem origem europeia. Nas pilastras é possível ver o brasão imperial referente à história do Brasil.

Ponte Giratória

A Ponte Giratória, construída em 1923, foi a única ponte do Brasil que se deslocava para dar passagem às embarcações do porto. Caiu em desuso e foi substituída pela ponte de concreto, em 1971. Passou a ser chamada de Antiga Ponte Giratória. No local, é possível ver as ruínas da construção velha.

A cultura

A Veneza brasileira também é um importante berço cultural do Brasil. Terra do historiador Gilberto Freyre, autor de Casa Grande e Senzala e também do movimento cultural manguebeat, que teve seu auge na década de 1990.

Se sua família gosta de programas culturais não vai faltar o que fazer em Recife. A cidade conta com vários museus, espaços culturais, centro histórico e teatros.

Instituto Ricardo Brennand

Fundado em 2002, o Instituto Ricardo Brennand é uma espécie de museu de artes plásticas a céu aberto. Muito requisitado por turistas e amantes de arte, o instituto localizado no bairro da Várzea tem estilo arquitetônico medieval e um vasto parque.

Entre as peças e as atrações desse museu você poderá apreciar a obra O Pensador, de Rodin, as espadas do rei egípcio Farouk I, laminadas em ouro, os fuzis de D. Pedro I e D. Pedro II, quadros do pintor neerlandês Frans Post. A maior coleção de armas brancas do mundo também se encontra no Instituto, entre outras centenas de peças fascinantes.

O local funciona de terça a domingo. Toda última terça-feira de cada mês a entrada é gratuita (exceto nos meses de janeiro, julho e dezembro).

Museu Cais do Sertão

Apesar de muito novo, fundado em 2014, o Museu Cais do Sertão é um dos grandes pontos turísticos de Recife. Guarda em seu acervo uma rica história do povo nordestino e nos remete ao Rei do Baião, Luiz Gonzaga, que permeia todos os espaços do museu.

Recebeu o nome de Cais do Sertão por estar localizado na beira da água, junto ao Marco Zero, onde nasceu a cidade de Recife.

Praça do Marco Zero

Se você procura um passeio histórico e cultural, o Marco Zero, na Praça Rio Branco, é a pedida certa. O local é considerado o ponto de partida da criação de Recife. É uma região com forte movimento de turistas durante o carnaval. É desse ponto que são feitas as medidas oficiais de distâncias rodoviárias.

Ao redor da Praça Rio Branco você poderá apreciar a arquitetura dos edifícios históricos e visitar vários centros culturais, como o Centro de Artesanato de Pernambuco, considerado o maior do segmento no Brasil.

Igrejas e catedrais

Para quem gosta daquelas igrejas antigas que remontam nossa colonização, Recife também não fica para trás. Aliás, são 481 anos de história!

Algumas das opções são:

  • Igreja da Madre Deus;
  • Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos;
  • Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia;
  • Catedral de São Pedro dos Clérigos;
  • Igreja de Santa Teresa D’Ávila;
  • Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares;
  • Igreja Matriz da Boa Vista.

Os parques

Recife é a cidade ideal para quem gosta de atividades ao ar livre. São sete parques com infraestrutura que incentivam a prática de esportes, ideais para piqueniques e momentos de lazer “bem família”.

Parque da Jaqueira

É um dos parques mais preferidos da cidade, com um belo jardim do paisagista Burle Max. É a maior área verde em perímetro urbano de Recife. Conta com pista de cooper, ciclovia e pista de patinação.

Parque Dois Irmãos

O Parque Estadual Dois Irmãos é uma reserva ambiental onde funciona também o zoológico da cidade. A área de Mata Atlântica tem mais de 1150 hectares e proporciona ao seu visitante conhecer a fauna e a flora local, como preguiças, saguis, capivara e uma enorme variedade de pássaro.

É possível fazer trilhas ecológicas mediante agendamento no parque.

Parque das Esculturas

O Parque das Esculturas Francisco Brennand está localizado em frente ao Marco Zero e foi criado no ano 2000, em comemoração aos 500 anos da chegada dos portugueses por aqui. Lá você encontrará 90 esculturas, sendo a principal obra a Coluna de Cristal, com 32 metros de altura.

É possível chegar no parque de carro ou pelas embarcações que sai do Marco Zero.

Bons negócios

Se você não perde uma oportunidade de fazer boas compras, vai ter mais um motivo para gostar de Recife.

A cidade conta com vários shoppings, com destaque para o Paço Alfândega, que além das opções de compra e alimentação, oferece uma arquitetura lindíssima. No local já funcionou a Santa Casa de Misericórdia de Recife, que deu lugar ao shopping após uma grande reforma.

Em Recife você também encontrará muitas lojas de artesanatos com mimos a preço baixo, como o já citado Centro de Artesanato de Pernambuco.

Tem a feirinha de Boa Viagem com roupas, lembrancinhas e comidas típicas. O Mercado da Boa Vista é um local simples, mas bem aconchegante, ideal para uma pausa no fim da tarde.

Recife não é mesmo uma cidade incrível? Com tantas atrações e pontos turísticos, é quase impossível não incluir a capital pernambucana no seu próximo destino de viagem.

Programa-se antecipadamente, reserve seu hotel e compre sua passagem e prepara-se para um dos melhores passeios de sua vida.

Lembre-se, Recife é uma cidade litorânea de clima tropical. Na maioria dos meses, o clima é quente, porém agradável, variando entre 27 ºC e 30 ºC. A água de suas praias também é bastante agradável, com temperaturas entre 26 ºCe 28 ºC.

Com alguns dias nesse paraíso você renovará suas energias e voltará para casa cheio de ânimo e boas lembranças. Uma boa ideia, também, é reunir amigos e pessoas próximas para um superpasseio em grupo.

Compartilhe com mais pessoas as nossas sugestões e aproveite o máximo que o Recife tem para oferecer.