Está com a sua passagem para Belém comprada, mas ainda não definiu seu roteiro pela cidade? Calma, tem muita coisa para ver na capital paraense. Para quem vai curtir uma viagem em família, as atrações são diversas, com opções para agradar a todo mundo.

O mais bacana desse destino é que as opções de entretenimento e gastronomia que você vai visitar são um retrato da cultura e da história da cidade.

Quer saber o que visitar na sua viagem a Belém? Confira um pouco mais da história da cidade e veja as opções.

História de Belém

As origens de Belém remontam à mistura da cultura indígena com os costumes dos colonizadores portugueses e imigrantes de outras partes do mundo que ali chegaram. Por isso, é rica em história, arquitetura e gastronomia.

Fundada em 1616 por Francisco Caldeira Castelo Branco, tinha um objetivo muito específico: povoar o interior do Brasil (aquelas regiões mais distantes do litoral) e barrar a invasão de outros povos europeus como holandeses, ingleses e franceses. Belém seria uma espécie de “barreira” da Amazônia, e foi fundada às margens do Rio Guarujá.

Ciclo da Borracha

A cidade foi se expandindo, e no fim do século XIX, viu seu crescimento e progresso acontecer de forma rápida devido às riquezas provenientes do Ciclo da Borracha. Nessa época, a extração de látex das árvores seringueiras, material para fabricar a borracha, rendeu ao Brasil muita riqueza às custas do trabalho de milhares de homens nos seringais.

O porto de Belém se tornou o principal ponto escoador do látex, o que trouxe para a cidade grande circulação de dinheiro e, em consequência, desenvolvimento. Esse momento de riqueza e prosperidade deixou grandes marcas na cidade, especialmente na arquitetura e no urbanismo, como o Theatro da Paz, que até hoje conserva a imponência da época.

Clima

Com clima quente e bastante úmido, típico das regiões próximas à linha do equador, Belém também sofre influência da floresta amazônica, por isso as chuvas são frequentes. Leve na mala roupas frescas para andar no dia a dia, roupas de banho (caso faça algum passeio com banhos de rio, por exemplo) e casaquinhos para a noite. Nos períodos de seca, as temperaturas podem ultrapassar os 35ºC. Muito protetor solar para toda a família!

Atrações em Belém

Mercado Ver-o-peso

Com certeza um dos ícones da cidade, o Mercado Ver-o-peso é um dos mais antigos do país. Inaugurado ainda pelos portugueses no século XVII, na década de 1600, servia de ponto de apoio para pesagem dos produtos extraídos na região amazônica: era a casa de Haver o Peso, entreposto comercial de onde partiam mercadorias brasileiras e chegavam as estrangeiras. O primeiro prédio, mais antigo, foi demolido em 1847.

A construção que você encontrará hoje começou a tomar forma em 1899 e foi inaugurada em 1901. São vendidos peixes, camarões, açaí, tucupi, frutas típicas da Amazônia, artesanato indígena, entre outros. Um dos maiores atrativos é o setor de ervas e “cheiros”, famosos por serem ingredientes de poções e banhos que podem atrair amor e prosperidade.

Feira do Açaí

Todos os dias, na proximidade do Ver-o-peso, acontece a Feira do Açaí. Ela não é exatamente uma atração destinada aos turistas, mas vale a pena acordar um pouco mais cedo para viver essa experiência local em Belém.

Carregamentos de açaí (o fruto mesmo, natural) chegam pelo rio e são descarregados por trabalhadores locais. A quantidade de fruta que chega impressiona, dá para imaginar um pouco, já que o açaí tem papel fundamental na economia da cidade, mas só vivendo a experiência para entender a importância da Feira.

Estação das Docas

Sem dúvida, um dos principais pontos turísticos de Belém, a Estação das Docas está localizada em um complexo cultural, de gastronomia e lazer, localizados em três antigos armazéns do século XIX. Fica bem ao lado do Mercado Público, junto à baía do Guarujá.

Bem, mas e o que você vai encontrar por lá? Cada armazém tem um foco distinto: um abriga lojas de roupas e artesanato regional, outro feiras e exposições, e o terceiro, gastronomia. A sugestão que damos para esse passeio é curtir um fim de tarde no armazém da gastronomia, e apreciar o pôr do sol. Simplesmente imperdível!

Theatro da Paz

De arquitetura neoclássica impressionante, o Theatro da Paz é um daqueles passeios para encher os olhos. Fundado em 1818, ainda hoje recebe apresentações de espetáculos eruditos e também oferece visitas guiadas.

Logo no hall de entrada, você se depara com materiais decorativos importados da Europa no século XIX. Mas o que impressiona mesmo é o salão principal, com suas pinturas grandiosas e que fazem referência a deuses da mitologia grega, como Apolo.

Confira os horários das visitas guiadas:

  • Terça a sexta, das 9h às 17h (com intervalo das 13h às 14h);
  • Sábados: das 9h às 12h;
  • Domingos: das 9h às 11h.

A taxa de visitação é de R$6,00 com meia entrada para estudantes. A visita é gratuita nas quartas-feiras.

Forte do Presépio

Também conhecido por Forte do Castelo, localiza-se no complexo Feliz Lusitânia, que marca o núcleo de início da cidade de Belém. Só por curiosidade, o nome Feliz Lusitânia vem de um apelido que os colonizadores portugueses teriam dado àquela região de início da povoação de Belém.

Por que vale a pena conhecê-lo? No topo da muralha, você terá acesso a uma vista para o Rio Guamá, para o local onde acontece a Feira do Açaí e também para o Ver-o-Peso, um pouco mais adiante. Já dentro do complexo do forte, você encontrará o Museu do Forte do Castelo de São Jorge, com uma exposição permanente com peças de cerâmica dos índios Tapajós.

Casa das Onze Janelas

Ao lado do Forte do Presépio, abriga o Museu de Arte Moderna e Contemporânea do Pará, onde podem ser vistas exposições temporárias de artistas e também acervos de exposições físicas de pintores antigos importantes, como a renomada Tarsila do Amaral.

A Casa — também chamada de Palacete das Onze Janelas — foi projetada pelo arquiteto Antônio José Landi no século XVIII, um dos principais arquitetos de Belém, responsável por edifícios famosos na capital paraense.

Mangal das Garças

Parque ecológico em pleno centro da cidade, fica às margens do Rio Guamá e conta com um dos melhores restaurantes de Belém, o Major das Garças. Ou seja: perfeito para passar o dia, especialmente se estiver com crianças. O Mangal reúne num mesmo espaço espécies de plantas e animais da região Amazônica.

Também conta com um farol de 47 metros de altura, de onde é possível ter uma vista ampla da cidade. Um dos pontos altos do passeio é a alimentação das garças, quando você pode se deslumbrar com esse espetáculo da natureza.

Passeio de barco pela orla

Ótima pedida para quem gosta de curtir shows musicais e conhecer um pouco mais da música regional. Todos os dias, por volta de 17h30min, sai da Estação das Docas o passeio fluvial Orla ao Entardecer, outra das atrações imperdíveis de Belém do Pará, da Valeverde Turismo, uma das companhias de turismo locais.

É uma atração com pegada bastante turística, dificilmente moradores fazem o trajeto. É também uma ótima oportunidade de apreciar os shows e curtir seu fim de tarde em meio às águas da baía do Guajará. Ah, e de brinde, você ainda ganha o espetáculo do pôr do sol! Vale a pena se programar para curtir esse passeio.

Basílica da Nossa Senhora de Nazaré

Uma das mais belas e importantes igrejas de Belém, é a última a receber o Círio de Nazaré durante as procissões que ocorrem em outubro e levam mais de 2 milhões de pessoas à cidade. Encanta pela sua arquitetura, e é ali que fica a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Visitar igrejas pode não ser a sua praia, mas vale a pena colocar este local no seu roteiro, afinal ele é também um dos pontos turísticos mais impressionantes da cidade.

Catedral Metropolitana de Belém

Não tão imponente quanto a Basílica, mas, com certeza, também um passeio imperdível para quem gosta de visitar as igrejas locais e conhecer um pouco mais da cultura de Belém. A Catedral Metropolitana fica próxima à Casa das Onze Janelas, e é um dos pontos de passagem do Círio de Nazaré, festa típica e conhecida como uma das maiores procissões religiosas do Ocidente.

Mercado Municipal

O Mercado Municipal não é tão famoso quanto o Ver-o-Peso, mas vale dar uma passada por ali. Também chamado de “mercado das carnes”, reúne bancas e restaurantes de todo tipo. Impressiona também pela arquitetura, típica das construções de início do século XIX. Você vai encontrar boxes vendendo carnes, refeições — café da manhã e almoço —, artesanatos e bebidas.

Gastronomia

Não dá para passar por Belém sem aproveitar os sabores da culinária local. Cheiros, temperos, ingredientes únicos, mas nada disso vai faltar nas suas férias, se você provar estes três pratos principais, que são símbolos da cidade, e estas duas opções de lugares para conhecer e provar algumas delícias. Confira!

Tacacá

Preparado a partir do caldo de tucupi — espécie de suco amarelo que sai da raiz da mandioca quando descascada, ralada e espremida —, o tacacá é uma das iguarias típicas da região amazônica. Leva também camarão, folhas de jambu — que tem uma ardência leve — e goma de tapioca.

A goma é despejada sobre o caldo de tucupi já temperado, até que se forma uma espécie de mingau grosso, parecido com uma sopa. Em seguida, são colocados os camarões e as folhas de jambu — é um prato bem temperado, de sabor bem marcante.

Pato no tucupi

Como deu pra perceber, o tucupi é bastante utilizado em diversas receitas na região. Dessa vez, entra como um molho ao lado do pato. O caldo é temperado e fervido junto à carne já assada. Nas formas mais tradicionais desse preparo, também são acrescentadas folhas de jambu cozidas em água e sal.

Maniçoba

Maniçoba não é feita com Tucupi, mas também tem na sua base a mandioca, esse alimento pra lá de versátil. O prato é originário dos povos africanos que foram trazidos ao Brasil durante o período da escravidão. Nessa receita, você vai provar um delicioso ensopado de folhas de mandioca que são moídas no pilão e refogadas com carne de porco ou de boi. Os acompanhamentos do prato são arroz, pimenta e farinha de mandioca.

Bar Meu Garoto

Sabe aquele bar que é símbolo da cidade, que qualquer um que visita o local tem que dar uma passadinha? Pois esse é o caso do Meu Garoto. Lá, eles servem a famosa cachaça de jambu, outra iguaria paraense a ser degustada.

Mas vá com calma! A planta costuma dar um efeito de dormência nos lábios, então, melhor provar de pouco em pouco. Se você se apaixonar, não precisa ficar com saudades! O Meu Garoto vende garrafas da cachaça para quem quiser levar um pouco desse sabor para casa.

Sorveteria Cairu

A tradicional sorveteria Cairu tem mais de 50 anos de existência e já foi considerada a melhor do país. Serve sabores pouco tradicionais para quem vem de outras regiões do país, a maioria de frutas locais, como cupuaçu, graviola, o próprio açaí e bacuri, além de tapioca e castanha do pará.

Existem vários endereços espalhados pela cidade, mas sugerimos o que fica na estação das docas. Assim, você curte o passeio duplo: aproveita o ambiente e ainda se refresca com um sorvete saboroso.

Passagem para Belém

Quer saber como chegar até Belém? Embora muita gente se aventure nos passeios de barco que levam até a capital paraense, a forma mais segura e confortável de viajar ainda é de avião. O Aeroporto Internacional de Belém, também chamado de Aeroporto Val-de-Cans, recebe voos diários de várias regiões do país, como Brasília, Natal, Foz do Iguaçu e muitas outras.

Com todas essas atrações, Belém é um destino turístico imperdível, inclusive para quem quer passar as férias em família. Já comprou sua passagem para Belém e quer saber mais sobre outros destinos do Norte do país? Saiba por que conhecer a Amazônia é uma experiência única!