Macapá, a capital do estado do Amapá, no extremo norte do país, é ainda desconhecida por grande parte dos brasileiros, mas muito amada por quem já foi lá. E com toda a razão: a cidade é acolhedora e reserva boas surpresas para o visitante.

Quer ver como vale a pena reservar já sua passagem para Macapá e aterrissar em seu aeroporto internacional, a apenas 5 km do centro? Nosso artigo vai mostrar. Para começar, é bom ter algumas informações sobre a cidade e já chegar sabendo alguns dados importantes.

O que saber sobre a cidade

Vamos aprender um pouco mais sobre essa hospitaleira capital?

A população

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que, em 2018, a população da cidade já alcançava os 493.634 habitantes, apresentando uma densidade demográfica de 62,14 hab/km².

A localização

A capital amapaense situa-se na região sudeste do estado, a 330 km de Belém, PA, e a cerca de 1.080 km de Manaus, AM.

O acesso

Você precisa saber que Macapá não é alcançável por via terrestre partindo de outras capitais, pois não há rodovias para a ligação com a cidade. Assim, dependendo de onde você estiver, só chegará a Macapá por via aérea ou fluvial.

A latitude zero

Um dado curioso: a cidade é a única capital brasileira cortada pela linha do Equador, a linha imaginária que divide o planeta em dois. Isso significa que sua área metropolitana se estende entre o hemisfério sul e o hemisfério norte. Portanto, a latitude, que é o ângulo formado por um ponto e a linha do Equador, é igual a zero em Macapá.

O clima

Os verões são longos, quentes e úmidos, com céu parcialmente encoberto, enquanto os invernos são bem amenos. Na verdade, as temperaturas mínimas raramente ficam abaixo dos 23º C, enquanto as máximas ficam entre 33º C e 35º C.

Lembre-se de que a cidade está sobre a linha do Equador, então o calor e a umidade são constantes. O mês mais quente é setembro, enquanto janeiro é a época de temperaturas mais amenas. O período com menos chuva vai de agosto a novembro.

A história

Os portugueses se estabeleceram no lugar por volta de 1738, com um destacamento militar para a defesa da região. O povoado cresceu rapidamente, mas a área sofria com epidemias, como a de cólera, que aconteceu em 1752. Foi Mendonça Furtado, o então governador da capitania, que levou os medicamentos necessários para os habitantes e controlou a situação.

Em 1758, Mendonça Furtado elevou o lugar à condição de vila, com o nome de Vila de São José de Macapá. Em 1782, com a inauguração da Fortaleza de São José, a vila se desenvolveu a passos largos e veio a se transformar na cidade de Macapá.

Como chegar

Partindo das outras capitais brasileiras, só se chega a Macapá de avião ou barco, como já informamos. Por via fluvial, o ponto de partida mais próximo é Belém. Por via aérea, o melhor é voar com a Azul, que mantém voos frequentes para a capital do Amapá.

Uma passagem para Macapá rende muitas atrações

Há muito o que fazer nessa hospitaleira cidade do Amapá. Confira nossas sugestões:

1. Fortaleza de São José de Macapá

Às margens do rio Amazonas, a Fortaleza de São José de Macapá é imagem marcante da cidade. Em uma vista aérea, o traçado simétrico e estrelado do forte mostra logo que você está em Macapá, a atraente e ainda pouco conhecida capital do Amapá.

Em 1950, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) reconheceu a fortificação como patrimônio histórico do Brasil. A construção foi feita com pedras do Rio Pedreira e apresenta muralhas impressionantes de 10 metros de altura.

Seu propósito era defender a Amazônia de invasões estrangeiras, mas nunca precisou cumprir tal objetivo: seus canhões nunca dispararam sequer um tiro. Por outro lado, a imponente fortaleza deu início ao aglomerado urbano, que cresceu ao seu redor e originou a cidade. A fortaleza abriga um museu e auditório com sala de projeção.

Endereço: Rua Cândido Mendes, 1611 — Abre de terça a domingo e a visita é gratuita.

2. Monumento Marco Zero

Como já foi dito, Macapá é a única capital brasileira cortada pela linha do Equador, a reta imaginária que divide o planeta em dois hemisférios.

O Marco Zero é uma atração curiosa, pois foi projetado para identificar a linha divisória com perfeição. Em março e setembro, no equinócio do outono e da primavera, observa-se o sol se encaixar no grande círculo no alto do monumento e incidir exatamente sobre a linha do Equador.

Em tais datas, há uma programação cultural variada, com orquestra, corais, bandas de rock, teatro, shows de fogos de artifício e outras atrações para milhares de visitantes.

Entre as curiosidades do Marco Zero, os macapaenses mostram que é possível colocar um ovo equilibrado na linha do Equador. Na verdade, a ciência não comprova nenhuma relação entre o local e o equilíbrio do ovo, mas não custa tentar. Em sua passagem por Macapá, visitando o Marco Zero, leve um ovo e experimente!

Outra experiência curiosa é assistir a uma partida de futebol no estádio Milton de Souza Correia, o Zerão, para ver um time jogar no hemisfério norte e um no hemisfério sul. A linha divisória do campo coincide exatamente com a linha do Equador.

3. Trapiche Eliezer Levy

Outra marca registrada de Macapá, o trapiche é um imenso píer que adentra o rio Amazonas e permite ao visitante “caminhar” sobre as águas do maior rio em volume de água do planeta. A construção tem 400 metros de extensão, que podem ser percorridos a pé ou de bondinho, e oferece uma bela vista da cidade e do Amazonas, o imenso rio-mar.

O trapiche costuma ser fechado para manutenção e reparos, então é melhor obter informações atualizadas quando chegar à cidade. Caso não seja possível caminhar sobre ele, marque sua visita para um horário de maré baixa, pois é possível ir pela areia até a Pedra do Guindaste com a imagem de São José no topo, que fica bem perto do término da passarela.

4. Orla de Macapá

A orla à beira do rio Amazonas é bem urbanizada e um bom cenário para uma gostosa caminhada ou para andar de bicicleta. A vista do grande rio sempre impressiona. Afinal, é o rio com o maior volume de águas do mundo.

Então, caminhe sem pressa pelo calçadão da orla e depois faça uma parada e prove um sorvete de tapioca, para se refrescar. Ou uma cerveja bem gelada, acompanhada de camarão no bafo, uma gostosa iguaria típica da região que você precisa experimentar.

Fique pela orla até o fim da tarde, admire o belíssimo pôr do sol e tire lindas fotos para impressionar os amigos!

5. Praça Floriano Peixoto

Uma praça bonita e bem-cuidada, a Floriano Peixoto é destino ideal para um passeio de fim de tarde. A criançada adora se divertir nos pedalinhos do lago e nos brinquedos do parquinho. Ótimo local para caminhar, andar de bicicleta ou simplesmente relaxar com os amigos, além de ser um bonito cenário para fotos.

O endereço é Rua Raimundo Ozanan, 98. Aberta 24 horas.

6. Museu Sacaca

O museu recebeu este nome em 1999, para homenagear Raimundo dos Santos Souza, um grande conhecedor da flora amazônica e da cultura popular, que era mais conhecido como Sacaca.

A instituição é parte do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA) e dedica-se à pesquisa e à preservação do patrimônio histórico e cultural, sempre visando a valorização da sabedoria popular. No museu, o visitante conhece um pouco mais sobre a vida da população ribeirinha da região amazônica. Um exemplo é a colorida casinha das parteiras.

O Sacaca situa-se em uma imensa área verde no bairro Trem, o que torna o passeio muito agradável. Oferece variada programação para agradar a toda a família.

Fica na Avenida Feliciano Coelho, 1509.

7. Igreja de São José

A antiga igreja, datada do século XVIII, é a construção mais antiga de Macapá. O povo macapaense é muito religioso e comparece em peso às cerimônias e festas da igreja dedicada ao padroeiro da cidade.

A celebração mais importante é, justamente, em 19 de março, dia dedicado a São José. Além das missas e cultos católicos, há barraquinhas para venda de iguarias e os tradicionais leilões de prendas.

Para quem aprecia turismo religioso, marcar a passagem para Macapá no mês de março será uma boa oportunidade para aproveitar a animação da festa.

A igreja está na Rua São José, 1720.

8. Amapá Garden Shopping

Para um dia chuvoso, uma ida ao shopping para compras ou para um cineminha é uma boa ideia. O Amapá Garden oferece uma boa variedade de lojas e produtos, além de praça de alimentação com culinária variada, carrinhos de bebê gratuitos e estacionamento liberado das 10h às 14h.

As salas de cinema apresentam programação variada e exibição em 3D. Você pode até dançar no shopping: toda segunda-feira, há aula de dança de salão gratuita às 19h30.

O endereço é Rodovia Juscelino Kubitschek, km 2, no Bairro Universidade.

Até agora, falamos das atrações urbanas de Macapá, mas há muito mais o que fazer nos arredores da cidade. Quer ver? É só continuar conosco.

9. Área de Preservação Ambiental (APA) do Rio Curiaú

As vilas de Curiaú de Dentro e Curiaú de Fora, que compõem a APA do Curiaú, estão a 8 km de distância de Macapá. A área de preservação foi criada em 1992 para a proteção e conservação do meio ambiente e dos ecossistemas locais, além de beneficiar as comunidades que se originaram de um antigo quilombo. Cerca de 1.500 moradores vivem na região.

Dentro da APA, encontra-se o Balneário do Curiaú, que chega a atrair até cinco mil banhistas nos fins de semana das férias escolares para se divertir nas águas refrescantes do rio.

É possível chegar à Área de Preservação Ambiental do Curiaú pelas rodovias AP- 070, BR – 156 e BR – 210 ou, então, pelo rio Amazonas.

10. Balneário da praia da Fazendinha

Localizado a 7 km de Macapá, o balneário é mais um destino muito apreciado pelos macapaenses nos dias de folga. As águas do Amazonas são um convite para um mergulho refrescante para o corpo e para a alma. A cerveja gelada e o camarão no bafo ou um gostoso peixe frito não podem faltar no programa, claro. Há vários restaurantes no lugar.

A exótica gastronomia amazônica

Em sua passagem por Macapá, você vai desfrutar de mais uma atração incomparável: a gastronomia típica dos povos nativos da floresta amazônica.

Aproveite para provar novos sabores de frutas e pratos regionais com nomes exóticos que darão ainda mais vida à experiência. Veja alguns exemplos de frutas usadas no preparo de sucos, sorvetes e doces:

  • açaí;
  • araçá-boi;
  • araticum, ou fruta-do-conde;
  • bacuripari;
  • cupuaçu;
  • graviola;
  • tucumã;
  • umari e muitos outros.

A fartura de sabor e exotismo continua nos peixes:

  • jaraqui;
  • matrinxã;
  • pacu;
  • pirarucu;
  • surubim;
  • tambaqui;
  • tucunaré.

São fritos, grelhados ou ensopados em molhos de ingredientes como o jambu, uma erva que deixa a boca dormente, para você se lembrar da iguaria por um bom tempo.

Tucupi, tacacá, maniçoba e uma infinidade de sabores diferentes vão tornar sua experiência gastronômica inesquecível.

Macapá oferece ótimas opções de restaurantes de comida típica. Um dos mais frequentados é o Estaleiro, com um cardápio bem variado. Uma boa pedida é o peixe regional com camarão-rosa ao molho branco. Fica na Avenida Primeiro de Maio, 163 — Trem.

Podemos apostar que você chegou ao fim da leitura com água na boca e já pensando em comprar logo sua passagem para Macapá. Acertamos?

Então, mais uma notícia boa. Se, antes, a maioria dos voos era para Belém, agora o leque de opções aéreas é mais amplo: a Azul voa para o Aeroporto Internacional de Macapá, decolando de vários pontos do Brasil.

Ótimo saber disso, não é verdade? Agora só falta ir ao site da Azul, fazer sua reserva e descobrir todas as delícias da capital do Amapá. Macapá vai adorar a sua visita!