Viajar é um desejo comum, entretanto, é pouco realizado por motivos como falta de tempo, de orçamento e até de companhia. Porém, todas essas situações são fáceis de serem contornadas. Por exemplo, todo trabalhador tem um período para viajar: as férias.

O orçamento pode ser definido de acordo com as necessidades. Com isso, companhia é o que não vai faltar, basta chamar alguém querido ou mesmo viajar sozinho. Animou? Então continue a leitura e descubra como programar uma viagem de férias barata!

1. Escolha o destino

Geralmente essa é a primeira escolha da viagem. O destino é o norte para os demais itens: localização, hospedagem, roteiro, passeios, atrações turísticas, clima e muito mais.

Engana-se quem pensa que locais com grande procura turística não rendem uma viagem de férias barata, mas existem muitos mecanismos capazes de tornar o destino mais barato. Porém, se você deseja um lugar conhecido por ter atrativos de baixo custo, verifique listas dos destinos mais baratos para viajar.

2. Viaje na baixa estação

Cada destino tem seus períodos de alta e baixa estação. É importante conhecer essas épocas para planejar a viagem na data que há menor procura de turistas. Como os hotéis, restaurantes, atrações turísticas, comércio e meios de transporte não têm muito público, eles costumam oferecer tarifas menores e até promoções.

Portanto, programe-se para viajar na baixa estação e consulte quais as vantagens para o turista nessa época.

3. Defina o número de viajantes

Há muita diferença entre viajar sozinho e acompanhado. Quando se está só, o viajante é o único afetado com as decisões. Por exemplo, se você se contenta com um lanche simples para o jantar, poderá fazê-lo sem impedimento. Mas quando a viagem acontece em grupo ou em família, normalmente busca-se um consenso, então as decisões podem demorar um pouco ou terão que ser adaptadas.

Se esse for o caso, defina o número exato de pessoas e organize todos os itens de acordo com a quantidade de viajantes: hospedagem, passeios, vagas no transporte, tempo de visita, etc. Por exemplo, se for uma viagem em casal, veja chalés e pousadas com preços mais atrativos.

Já para grupos de até 5 pessoas o ideal é alugar uma casa ou apartamento. Mas se a quantidade for superior a 5, considere uma hospedagem em albergue ou hostel, pois a diária tem baixo custo e o ambiente é propício para fazer novas amizades.

Passeios em grupos são interessantes para conseguir ingressos mais baratos nas atrações turísticas. Informe-se antes e comunique o dia, horário e quantidade de pessoas que pretende levar para negociar um preço melhor para todos.

Já para a locomoção na cidade, vale alugar um carro, contratar uma van, ônibus ou até utilizar o transporte público local.

A única preocupação nesse caso é o tempo de visita, que costuma ser um pouco maior do que quando se viaja em casal ou com um grupo menor. Portanto, faça uma programação que envolva o maior número de atividades levando em consideração o tempo reduzido, para que todos possam desfrutar melhor o destino.

4. Escolha o meio de transporte

Depois de escolher o destino, o período e a quantidade de pessoas que vai viajar com você é hora de pensar em como chegar no lugar. Para isso, use um mapa e pesquise a distância e as formas de chegar na cidade. Em seguida, confira quais as formas mais econômicas e viáveis para alcançar seu objetivo: uma viagem de férias barata.

Lembrando que os acompanhantes devem participar das decisões e dar sugestões. Para facilitar a escolha, veja as vantagens de cada meio de transporte.

Avião

Essa é a opção mais confortável. Viajar de avião diminui o tempo de trajeto e permite que o passageiro descanse, utilize as tecnologias disponíveis para entretenimento e tenha uma vista privilegiada no caminho. Os assentos estão cada vez mais confortáveis, personalizáveis de acordo com as preferências e há preços acessíveis até para viajar de primeira classe.

Conhecer um destino do alto permite que o viajante tenha uma visão panorâmica da cidade. Ver o nascer e o pôr do sol acima das nuvens é uma experiência inesquecível! E até quem viaja em datas comemorativas, como o réveillon, é privilegiado com a paisagem da janela do avião.

Para encontrar passagens que cooperam com seu objetivo de ter uma viagem de férias barata, basta pesquisar no site das companhias aéreas, buscadores online ou recorrer a uma agência de turismo. A tecnologia é uma grande aliada nesse objetivo, pois existem sites e aplicativos capazes de encontrar boas opções de voos, com preços atrativos e filtros para facilitar a sua escolha. Os mais comuns são:

  • Skyscanner;
  • Google Flights;
  • Infraero voos online.

Carro

O meio terrestre também costuma atrair muitos viajantes. A paisagem e a possibilidade de parar para conhecer cidades diferentes até a chegada no destino são as principais razões de quem prefere o carro.

Mas existem outras complementares: escolher a trilha sonora, partir e chegar no horário que desejar, levar bagagem sem restrições e até dividir os custos com a quantidade de pessoas no veículo. E por falar em economia, caso você não tenha carro, pode pedir carona em aplicativos como o Blablacar.

Se o objetivo é explorar destinos pelo meio terrestre, que tal programar uma road trip? No Brasil e no exterior existem estradas adequadas para essa aventura. Esse tipo de viagem rende boas histórias e boas fotos.

Ônibus

Para quem não quer ter o trabalho de dirigir ou mesmo tem medo de voar, o ônibus é a melhor opção. As poltronas são confortáveis e é possível viajar dormindo, caso a empresa ofereça a categoria leito.

Em viagens longas, em que a saída acontece à noite e a chegada é no dia seguinte, a viagem pode servir como pernoite e economizar a diária de uma hospedagem. Verifique os horários disponíveis e viaje com tranquilidade.

Cruzeiro

Outra opção de usar o meio de transporte como parte da viagem são os cruzeiros. Eles têm a hospedagem inclusa e uma gama de serviços para o entretenimento. Mas como a maioria dos cruzeiros trabalha com o dólar, essa opção pode não ser tão econômica. Pese os prós e os contras e compare as demais opções antes de decidir.

Transfer

Quando o destino não é muito distante e o viajante preza pelo conforto, vale a pena contratar um transfer. O serviço é exclusivo, personalizado e válido tanto para casais quanto para quem viaja em grupo. O valor do transporte dividido entre as pessoas que vão utilizar o serviço costuma ser mais barato.

5. Limite os dias da viagem de férias

Dependendo do trabalho do viajante, as férias podem ter 30 dias ou mais. Desse período, você precisa limitar a quantidade de dias para a viagem. Essa decisão é extremamente importante porque é a partir dela que será feito o orçamento: diárias de hospedagem, passeios, despesas e muito mais. Passagens de avião e de ônibus, por exemplo, saem mais baratas quando são compradas ida e volta.

Lembre-se de que passar poucos dias viajando não significa que você esteja desperdiçando as férias. Você pode programar o período com viagens curtas e longas para usufruir de diferentes experiências.

É possível, por exemplo, ficar 3 dias no destino dos seus sonhos, mas que apresenta custo elevado, e 7 dias em uma cidade próxima da que você mora, mas que tem preços mais acessíveis. Pense estrategicamente para aproveitar ao máximo os seus dias de descanso.

6. Encontre a hospedagem mais barata

Uma das maiores preocupações de um viajante é a estadia. Ao contrário do que muitos pensam, a hospedagem não precisa necessariamente ser a maior despesa da viagem. A economia colaborativa tem facilitado muito a vida dos viajantes, apresentando opções menos tradicionais com baixo custo, o que atrai tanto mochileiros quanto casais e grupos que prezam pelo conforto, privacidade e controle de gastos. Veja algumas opções.

Hostel

Quando se fala em hospedagem com um orçamento que atende seu planejamento de viagem de férias barata, o hostel é a primeira opção que vem à mente. Ele é caracterizado por ter dormitórios e espaços compartilhados, incentivando ao consumo colaborativo e novas amizades. Atualmente, os hostels também apresentam dormitórios e banheiros individuais, com tarifas bem menores que as de hotéis e pousadas. Se você nunca teve essa vivência, experimente.

Como escolher

Verifique se o estabelecimento faz parte do HostelWorld e como ele está avaliado em sites como o TripAdvisor. Veja a localização e serviços oferecidos: café da manhã, bar, aulas e atividades. Na dúvida, solicite recomendações a amigos e conhecidos.

Flat e Airbnb

Se a privacidade for uma grande preocupação, o ideal é alugar um espaço. Os flats têm estrutura de hotel, mas deixam o hóspede mais à vontade no quarto, que geralmente possui uma minicozinha e sala de estar. Os serviços de portaria, garagem e muitas vezes café da manhã completam a experiência.

Já o Airbnb disponibiliza uma casa ou apartamento completo, com móveis e equipamentos para que o hóspede se sinta um verdadeiro morador local. As decorações são bem variadas e você pode escolher entre ser recebido por um anfitrião ou ter a hospedagem apenas para você e seus acompanhantes.

Nessas duas opções, você terá uma cozinha equipada para preparar as próprias refeições e vai economizar com cafés, restaurantes e lanchonetes. Além disso, terá a tranquilidade de ir e voltar no horário que desejar, com a segurança do local à disposição para recebê-lo.

Couchsurfing

Uma das hospedagens mais econômicas é o couchsurfing, uma plataforma que une anfitriões e viajantes. Para participar, você precisa disponibilizar o seu espaço para receber hóspedes e estar disposto a se conectar com anfitriões que oferecem suas casas para receber viajantes. É um sistema que beneficia as duas partes e sua principal vantagem é o intercâmbio cultural.

Worldpackers

E se a sua hospedagem fosse gratuita? Sim, isso é possível! O aplicativo Worldpackers, criado por dois brasileiros conecta viajantes e instituições que necessitam de ajuda com algum serviço: hostels, famílias, ONGs e projetos ecológicos.

É uma ótima opção para quem busca um ano sabático em um destino diferente, realizando atividades de intercâmbio cultural e de impacto social. Tudo isso com hospedagem gratuita e algumas horas de dedicação ao projeto.

Além de conhecer o destino com a ajuda de um morador local, você pode prolongar a sua estadia para dividir-se entre o trabalho e as atividades de lazer. O serviço prestado tem horário reduzido para que o hóspede possa explorar a cidade no tempo livre.

Com a plataforma, que funciona no Brasil e no exterior, é possível conhecer pessoas no mundo todo e viajar para países que você sempre sonhou reduzindo os custos.

7. Procure opções mais econômicas para a alimentação

Diariamente temos, pelo menos, três refeições. Em casa temos o nosso orçamento, mas quando viajamos precisamos controlar os gastos com a alimentação pois frequentar restaurantes e lanchonetes diariamente pode extrapolar o orçamento de uma viagem de férias barata. Então, quando estiver preparando o seu planejamento financeiro, leve isso em consideração e procure opções mais econômicas para as refeições.

Se a hospedagem oferecer café da manhã incluso na tarifa da diária, você pode deixar a cota para o almoço e jantar mais flexível. Mesmo assim, escolha os dias que pretende passear e conhecer a gastronomia local em bons restaurantes e deixe as opções mais econômicas para os outros dias. Com equilíbrio é possível fazer as duas coisas e ter uma boa experiência com a culinária local.

8. Crie o seu próprio planejamento financeiro

Planejamento e viagem caminham lado a lado. Portanto, pesquise, compare e programe-se de acordo com a sua disponibilidade financeira. Defina um teto para cada item da viagem e acompanhe os gastos diariamente para não fugir do planejado.

Outra boa ferramenta é criar uma cota diária: ela não precisa ter um valor fixo para todos os dias mas deve respeitar o seu orçamento. Para acompanhar essas informações, conte com a ajuda de aplicativos de economia financeira, como o Minhas Despesas. Registre todas as compras, pagamentos e reservas para ter acesso ao planejamento na palma da mão.

9. Faça um check-list da viagem de férias

Com tantas informações sobre economia de viagem é difícil dar conta de tudo se não houver organização. Então, após criar o seu planejamento, faça um check-list e confira se todo os itens estão contemplados e se são necessárias alterações.

Com esses cuidados, o sonho de ter uma viagem de férias barata está muito mais próximo da sua realidade. Basta seguir com disciplina e rigor cada passo apresentado e vivenciar vários momentos inesquecíveis.

Não perca tempo e desenvolva seus conhecimentos em formas de alcançar seus objetivos. Saiba como conseguir passagens aéreas promocionais para embarcar em uma aventura!