Você, com certeza, já ouviu falar de Santa Catarina por conta das belas praias e visual paradisíaco que encanta os turistas no verão, certo? Mas sabia que o estado também tem muito a oferecer em gastronomia, história e cultura? A prova disso é Joinville, maior cidade catarinense, que acumula os títulos de Cidade dos Príncipes e Cidade da Dança.

Charmosa, com arquitetura atrativa e diversas opções de passeios para fazer em família, a cidade tem tudo para ser um destino de férias completo, com possibilidade de ficar em meio à natureza, conhecer um pouco da cultura do Sul do país, experimentar sabores inspirados na cozinha alemã e relaxar com os filhos.

Se você já pensou em comprar sua passagem para Joinville, mas ainda está em dúvida, aqui vão alguns motivos para conhecer melhor esse cantinho!

Por que visitar Joinville?

A cidade (que é maior que a capital, Florianópolis) não costuma ser o primeiro destino dos turistas que viajam para Santa Catarina, certo? Então, por que comprar passagens para lá? A verdade é que Joinville tem muito a oferecer em termos de lazer, cultura e entretenimento.

As opções de passeios vão desde visitas a locais históricos, como os museus (que são muitos!), até espaços com áreas verdes ao ar livre, onde você pode programar um piquenique com as crianças, por exemplo. Além disso, é uma cidade segura e com temperaturas amenas.

De onde vem o nome Joinville?

O primeiro nome do município foi, na verdade, Colônia Dona Francisca. A princesa Francisca de Bragança (irmã de Pedro II) se casou com o príncipe francês Francisco Fernando de Orléans, que vinha de uma cidade francesa chamada Joinville. Quando Francisco recebeu as terras brasileiras que hoje formam o município catarinense, elas também foram batizadas de Joinville em homenagem ao príncipe.

Por isso, também é conhecida como “Cidade dos Príncipes”. Já o apelido “Cidade da Dança” vem da tradição que Joinville tem nessa área: recebe, todos os anos, o maior festival de dança do Brasil e é sede da única escola de balé Bolshoi fora da Rússia.

Como é o clima da cidade? O que levar na mala?

Apesar de estar localizada no Sul do país (que tem fama de ser frio), Joinville tem um verão quente, com temperaturas que podem chegar a 30° C. Se você está acostumado com o calor carioca, por exemplo, não vai sentir tanta diferença, mas quem vem de áreas mais frias pode se preparar para sentir calor. No inverno, a temperatura é mais amena, sendo que as baixas costumam chegar a, no máximo, 9° C.

Se viajar durante o verão, coloque na mala roupas frescas e separe um casaco, para a noite. Já no inverno, é recomendado levar mangas compridas, calças e blusas para aquecer. Ah, e sapatos confortáveis sempre, para fazer os passeios com tranquilidade!

Qual a melhor época do ano para visitar Joinville?

Do meio de abril ao fim de junho e do fim de julho ao fim de setembro, os dias costumam ser mais amenos. Mesmo estando no período de outono e inverno, você vai encontrar temperaturas agradáveis e pouca chance de chuvas. Melhor para fazer os passeios ao ar livre!

O que fazer em Joinville?

A vantagem de visitar esse destino é que as opções de entretenimento e lazer são muito variadas, algo ótimo especialmente para quem passeia em família, já que dá para agradar a todos os gostos. Confira a seleção de atrações que elencamos para você.

Pórtico e Moinho da XV

Logo na entrada da cidade, já dá para visualizar um pouco da charmosa arquitetura que você vai encontrar por lá. O pórtico, que dá as boas-vindas aos visitantes, é no estilo enxaimel, típico das regiões germânicas, trazido ao Brasil por imigrantes de países como Alemanha. Parada obrigatória para o registro de fotos, o Pórtico também funciona como um centro de apoio ao turista, onde você pode pedir informações.

Ao lado, está o Moinho da XV, onde funciona o bar da Cervejaria OPA, uma das mais famosas da cidade. Dá para sentar, curtir um chopinho e relaxar logo de cara.

Estrada Bonita

Um dos percursos mais famosos de Joinville, a Estrada Bonita integra uma das atividades do chamado turismo rural, isto é, um tipo de passeio em que os visitantes conhecem os sítios, granjas e plantações da cidade. O caminho da Estrada Bonita (que tem apenas 5 quilômetros asfaltados) começa no restaurante de pratos alemães Grün Wald.

Logo depois, você poderá visitar a propriedade da família Karsten, com um roteiro guiado pelos donos. Ali, eles mostram como funcionavam as atividades rurais antigamente e como são feitos os processos hoje em dia. Andar de trator e comprar e degustar os produtos coloniais ali vendidos complementam o passeio.

Mirante do Morro da Boa Vista

Inaugurado em 2016, o mirante do Morro da Boa Vista oferece uma possibilidade de passeio gratuita. Fica aberto das 7h às 19h, diariamente. Uma ótima oportunidade de fazer fotos incríveis com a família.

Vale ficar ligado apenas no deslocamento. Como não é permitido o acesso de carro, a melhor forma de ir até lá é por meio de uma linha de ônibus urbana que sai do terminal central da cidade. Fora isso, a vista a 250 metros de altitude é de tirar o fôlego e vale a visita.

Parque Zoobotânico

Áreas verdes, variedade de espécies animais e vegetais, tranquilidade e lazer. No Parque Zoobotânico (que é também um dos acessos ao Mirante do Morro da Boa Vista), você pode aproveitar para fazer um passeio ao ar livre. É ainda mais especial para quem vai com crianças, pois dá para fazer caminhadas e deixá-las brincar nas áreas verdes.

São mais de 200 espécies em cativeiro e outras soltas na floresta próxima. Boa pedida, também, para um piquenique ao ar livre.

Agrícola da Ilha

Um pouco distante do centro, a Agrícola da Ilha é um daqueles lugarezinhos escondidos e especiais que toda cidade tem. Quem está de olho buscando o que fazer descobre que a Agrícola é um dos melhores passeios de Joinville, apesar de não ser muito conhecida.

Tradicionalmente, foi construída como um espaço para visitação e compra de plantas do tipo hemerocallis, ou, mais popularmente, o lírio-de-um-dia, que desabrocha pela manhã, murcha à noite e no dia seguinte começa de novo. Mas, para além disso, virou um espaço calmo e tranquilo, muito procurado para meditação e lazer ao ar livre. O lago de carpas complementa o charme do local.

Rua das Palmeiras

Você sabia que Joinville tem um quê de Rio de Janeiro? A Rua das Palmeiras, outro cartão-postal da cidade catarinense, foi construída com mudas de plantas vindas do Jardim Botânico carioca. Hoje cercada pelas árvores características do Rio, a rua tornou-se local de passeio e lazer. Também dá acesso ao Museu Nacional de Imigração e Colonização. Ótima pedida para um passeio duplo. Dá para planejar uma caminhada e, logo depois, visitar o museu.

Museu Nacional de Imigração e Colonização

Também conhecido como “Maison de Joinville“, o museu funciona em um casarão construído em 1870 e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Em seu acervo, conserva e mantém objetos de todo tipo relacionados ao processo de imigração no Sul do país.

Duas construções anexas deixam o passeio mais dinâmico. O Galpão de Transportes, que apresenta antigos meios de transporte usados na colônia, e o Galpão de Tecnologia Patrimonial, com peças dos antigos engenhos de erva-mate e farinha locais.

Museu de Arte de Joinville

Se você é fã de museus, vai ficar supercontente em Joinville. O mais bacana é que quase todos os museus têm, em seus arredores, áreas externas repletas de verde, o que acaba tornando o passeio muito mais agradável. O Museu de Arte de Joinville exemplifica bem isso. Localizado em um casarão antigo às margens de um lago, recebe exposições itinerantes e conta com obras fixas da casa.

Instituto Internacional Juarez Machado

Espaço cultural mais recente, é realização do próprio Juarez Machado, artista plástico de renome internacional. Juarez começou a carreira ainda nos anos 60, época em que se mudou para o Rio de Janeiro.

Com obras e performances em cenografia, mímica, desenhos e pinturas, sempre quis levar para a cidade natal um ambiente de arte. O Instituto conta com acervo e trajetória do artista no local e também oferece a possibilidade de visitação a exposições de artistas temporários.

Escola do Teatro Bolshoi

Conhecida como Cidade da Dança, Joinville tem tradição nesse setor. É a única cidade do mundo com uma unidade do Balé Bolshoi fora da Rússia. Você pode agendar visitas para conhecer as instalações. Ah, e se estiver passando pela cidade em julho, vale a pena conferir um dos espetáculos que integram o Festival Internacional de Dança de Joinville. É o maior do país e reúne mais de 10 mil dançarinos em performances diversas.

Passeio de barco a São Francisco do Sul

Vale a pena reservar um dia do seu roteiro para fazer o passeio no Barco Príncipe, que navega pela Baía da Babitonga até chegar à cidadezinha histórica de São Francisco do Sul. Aliás, você sabia que ela é uma das mais antigas do país? A arquitetura colonial do vilarejo, preservada também pelo Iphan, encanta já na chegada.

Nessa pequena viagem, você vai curtir tanto o tempo na embarcação quanto a visita a São Francisco. O almoço já está incluso no Barco Príncipe, mas bebidas e sobremesas são pagas à parte e só em dinheiro (por isso, fique ligado para levar algumas notas na carteira!).

Chegando a São Francisco do Sul, os visitantes podem andar pela cidade tranquilamente, posar para fotos, tomar sorvete e curtir o dia. A descida costuma durar mais ou menos 1 hora, antes da chamada de volta para o barco.

Joinville é considerado um destino adequado para levar crianças?

Sim. A cidade oferece passeios dos mais variados, com opções de lazer ao ar livre, visitação a museus, contato com a natureza, arte, cultura. Não vão faltar alternativas para entreter os pequenos durante a viagem. Afinal, a gente sabe que, de vez em quando, as crianças podem se sentir um pouco entediadas durante os passeios familiares, o que é normal. Por isso, essa variedade de ofertas de entretenimento deve ser considerada na hora de escolher o destino.

E Joinville cumpre bem esse requisito básico para quem quer curtir um tempo relaxante e ao mesmo tempo divertido com os filhos. Além disso, a cidade conta com uma estrutura gastronômica variada, com restaurantes de várias especialidades, inclusive com alternativas para os pequenos.

Que tipo de gastronomia vou encontrar por lá?

A gastronomia de Joinville nada deixa a desejar em relação a outras cidades maiores. Influenciada pela colonização europeia, tem toques da cozinha alemã, e você encontrará diversos restaurantes para experimentar iguarias como o apfelstrudel (torta folhada de maçã que, na verdade, tem origem na Áustria), linguiças e salsichas, cucas, tortas, bolos, pratos com porco e muito sabor.

Mas não se resume a isso. Como cidade turística, Joinville conta com uma infinidade de restaurantes que abarcam todo tipo de cozinha: italiana, mexicana, japonesa, chinesa… E quem não está a fim de variar tanto o cardápio também vai encontrar locais de comida caseira, buffets a quilo, hamburguerias, lanchonetes e pizzarias. A quantidade de possibilidades gastronômicas é um atributo importante da cidade, especialmente para quem viaja com crianças. Assim, você nunca fica sem opção.

Como chegar a Joinville?

Sem dúvida, de avião — a não ser que você more extremamente perto da cidade e possa viajar de carro até lá.

A verdade é que comprar passagens aéreas acaba sendo muito mais barato e torna a viagem mais rápida e menos cansativa. O aeroporto de Joinville fica na rota de diversos aeroportos brasileiros, como Curitiba, Manaus, Campinas, São Paulo, Maceió, Brasília, Campo Grande, Porto Velho, Recife, Salvador e Porto Seguro, para citar apenas alguns.

Parques, mirantes, museus que contam a história do país, passeios de barco, visita a cidades próximas, cultura, festivais, gastronomia farta e saborosa, tranquilidade e boas lembranças: é tudo isso que você vai levar na mala quando voltar dessa linda cidade! Gostou? Encontre aqui sua passagem para Joinville e viva todas essas experiências!