Você é daqueles que acham que a capital carioca é sinônimo de praia? Sim, concordamos plenamente, mas há muito mais o que fazer no Rio de Janeiro do que mergulhar e tomar sol em Copacabana, Ipanema ou qualquer outra das suas belas praias.

Na verdade, a cidade oferece uma variedade enorme de atrações que atendem a diversos gostos. História, artes, ciências, paisagismo, atividades ao ar livre, vida marinha… qualquer que seja o seu interesse, sempre haverá um novo lugar a descobrir e desfrutar.

Então, se está planejando uma viagem ao Rio de Janeiro, aceite o nosso convite para descobrir outras atrações, que vão muito além da praia. Depois de ler o nosso artigo, você vai concluir que precisa de férias mais longas para conhecer tudo!

A Floresta da Tijuca

Uma das maiores florestas urbanas do mundo, a Floresta da Tijuca deslumbra os turistas que gostam de passeios ao ar livre, em meio à natureza exuberante da mata tropical. A floresta sofreu desmatamentos no passado, mas foi recuperada durante o reinado do imperador D. Pedro II para preservar sua riqueza.

O lugar conta com trilhas, lagos, cascatas e fontes, e abriga mais de 200 espécimes típicos da fauna brasileira, como o sagui, o macaco-prego, o quati, a cutia e pássaros como beija-flores, sabiás, arapongas, juritis, gaviões etc.

Além das caminhadas, é um ótimo lugar para ciclismo, rapel, escaladas, observação de pássaros, skate e outras atividades ao ar livre. Oferece restaurantes e estrutura para piqueniques e churrascos.

O Corcovado e o Cristo Redentor

Dentro da enorme extensão da Floresta da Tijuca, está uma das maiores atrações do Rio de Janeiro: o Morro do Corcovado com a impressionante estátua do Cristo Redentor. Apontado como uma das sete maravilhas do mundo moderno, o monumento mede 38 metros e foi inaugurado em 1931.

De braços abertos sobre a paisagem, o Cristo atrai milhares de visitantes ao Morro do Corcovado. O turista pode tomar o trenzinho em Cosme Velho e subir pela centenária estrada de ferro até o topo, para se deslumbrar com a cidade maravilhosa vista de cima.

O Parque Lage

A enorme área verde bem-cuidada que constitui o Parque Lage também faz parte da Floresta da Tijuca. É outra ótima opção para quem curte a natureza e os passeios ao ar livre, mas também agrada aos fãs de arquitetura, paisagismo e atividades culturais.

O palacete em estilo romano com seus grandes gramados frontais, a densa vegetação dos jardins laterais, os lagos, as pequenas ilhas, chafarizes e um aquário compõem o parque. E, como se fosse pouco, o turista ainda desfruta de uma bela vista para o Corcovado e o Cristo Redentor.

Com uma longa tradição ligada às artes e à cultura, o Parque Lage é palco de manifestações artísticas diversas e serviu de locação para clássicos do cinema brasileiro, como “Terra em Transe” (Glauber Rocha) e “Macunaíma” (Joaquim Pedro de Carvalho).

O palacete no centro do parque abriga a Escola de Artes Visuais (EAV), que tem programação de cursos e atividades culturais.

O Aquário Marinho

Este é um lugar que agrada a toda a família, principalmente as crianças. É o maior aquário da América do Sul e está situado no Bairro da Gamboa, fazendo parte do projeto de revitalização da zona portuária da cidade.

São 26.000 m² de área construída, onde se distribuem dezenas de tanques com mais de 350 espécies marinhas em exibição. No tanque principal, há um túnel que os visitantes atravessam para apreciar os animais marinhos de um ângulo privilegiado.

Entre as atrações, o lugar oferece o Aquário Virtual, o Museu da Ciência e o Museu do Surf. As atividades são bem variadas e incluem a possibilidade de ver os bastidores do aquário (só para maiores de 12 anos), celebrar aniversários e dormir dentro do túnel do tanque de peixes. O aquário promete que, em breve, também será possível nadar no tanque oceânico.

O Museu do Amanhã

Há muito mais o que fazer no Rio de Janeiro, ainda na zona portuária. É possível, por exemplo, se admirar com uma das atrações recentes da cidade: o Museu do Amanhã. É imperdível para quem gosta de ciência, cultura e ecologia, e para todos que se preocupam com o futuro do planeta.

Instalado em um impressionante edifício de estilo futurista, o museu aborda temas como cosmos, o planeta Terra e projeções para o Amanhã. Além da exposição principal permanente, há várias outras que são temporárias.

Na terça-feira a entrada é gratuita para todos. Nos outros dias, o acesso é livre para estudantes e professores da rede pública, menores de 5 anos e maiores de 60, guias de turismo e alguns outros casos, mediante comprovação. O prédio fecha para manutenção nas segundas-feiras.

O centro histórico

Quem ama história e quer se sentir caminhando no passado não pode perder a visita ao centro histórico do Rio de Janeiro. São inúmeros prédios antigos, muitos deles datados do começo do século XX, que atraem a admiração dos turistas. Não deixe de ver:

  • a Praça Floriano Peixoto, conhecida como Cinelândia;
  • o Cine Odeon, o único dos antigos cinemas ainda em funcionamento;
  • o Teatro Municipal e o monumento a Floriano Peixoto;
  • a Biblioteca Nacional, construída em 1910;
  • o Palácio Pedro Ernesto, que abriga a Câmara dos Vereadores;
  • o Museu Nacional de Belas Artes;
  • o Convento de Santo Antônio e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, no Largo da Carioca;
  • o Palácio Tiradentes, onde o inconfidente ficou preso;
  • o Paço Imperial, onde a família real portuguesa morou;
  • a tradicional Confeitaria Colombo.

E ainda há muitas coisas interessantes para ver. Se você gosta de história e busca o que fazer no Rio de Janeiro além de ir à praia, não tenha dúvida: o centro histórico é imperdível.

O Palácio do Catete e o Museu da República

Outra atração que o turista apreciador de história não pode perder é o Palácio do Catete, onde está instalado o Museu da República. O edifício foi construído pelo Barão de Nova Friburgo, por volta de 1860, e adquirido pelo governo federal em 1896, quando se tornou sede da Presidência da República.

Testemunho de importantes acontecimentos políticos e sociais da época, o palácio exibe um imponente hall de entrada e vários salões de recepção e de banquete, além da capela e de outros ambientes bem-decorados.

No terceiro andar, que era reservado para residência da família presidencial, o visitante conhece o quarto que foi palco de uma das tragédias da história recente do Brasil: o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954.

O Real Gabinete Português de Leitura

Os amantes dos livros vão se deliciar com o Real Gabinete Português de Leitura, localizado na Rua Luís de Camões, no centro do Rio de Janeiro.

Inaugurado oficialmente em 1888, o prédio em estilo neomanuelino abriga um impressionante acervo que inclui obras raras, como uma edição de “Os Lusíadas” datada de 1572 e manuscritos de Machado de Assis. A biblioteca e todo o interior do edifício são magníficos.

O Real Gabinete foi declarado “depósito legal” pelo governo português e, por isso, recebe um exemplar de cada obra publicada em Portugal. Como é uma biblioteca pública, qualquer pessoa pode ter acesso ao seu acervo de mais de 350 mil obras.

O Forte de Copacabana

Ótimo destino turístico para quem gosta de história militar e também de paisagens deslumbrantes, o Forte de Copacabana está situado no Posto 6, no final da praia de mesmo nome. A construção foi iniciada em 1908, sob responsabilidade do Marechal Hermes da Fonseca, e concluída em 1914.

A famosa fortificação foi projetada para proteger a entrada da Baía de Guanabara, fazendo parte do reaparelhamento do Exército brasileiro. Testemunhou acontecimentos marcantes da nossa história, como o episódio do Levante dos 18 do Forte, durante o Movimento Tenentista em 1922. Na Revolução de 1930, o presidente deposto Washington Luís foi aprisionado lá, e em 1964, foi local de reunião para o comando dos militares que tomaram o poder.

Hoje, o Forte hospeda o Museu Histórico do Exército. A tradicional Confeitaria Colombo também abriu uma filial lá. O ideal é à tardinha, depois da praia, para se deslumbrar com o pôr do sol e ver a iluminação de Copacabana se acender, formando uma corrente de luzes refletidas no mar.

O Parque das Ruínas e a Chácara do Céu

Localizados em Santa Teresa, outra região imperdível do Rio de Janeiro, o Parque das Ruínas e a Chácara do Céu são vizinhos e interligados por uma passarela de ferro. A visita vai agradar a quem quer apreciar belas vistas da cidade por um ângulo diferente, além de conhecer mais um pouco da história da sociedade carioca do início e meados do século XX.

O palacete que pertenceu a Laurinda Santos Lobo, incentivadora das artes e da cultura de seu tempo, era ponto de encontro dos artistas modernistas. A anfitriã oferecia saraus frequentados por grandes nomes da arte, como Villa-Lobos, Tarsila do Amaral e até a bailarina Isadora Duncan. As ruínas do palacete se transformaram em um Centro Cultural patrocinado pela prefeitura e dedicado às artes em geral.

A vizinha Chácara do Céu é constituída por uma casa modernista integrada aos jardins bem-cuidados, que pertenceu à família Castro Maya. No interior da residência de três andares, o visitante encontra coleções de livros raros, objetos decorativos e mobiliário antigo. Os ambientes são decorados no estilo original.

A lagoa Rodrigo de Freitas

A lagoa na zona sul do Rio oferece a oportunidade de praticar vários esportes aquáticos, como a canoagem. Quem não quiser remar, pode passear de pedalinho, caminhar ou pedalar pela orla de 8km de extensão, apreciando a paisagem.

Muitas pessoas procuram a orla à tardinha e aproveitam para fazer um piquenique ou tomar água de coco enquanto apreciam a bela vista da lagoa, das montanhas e do Cristo Redentor. É mais uma ótima sugestão para ver o pôr do sol.

A pista Cláudio Coutinho

Que o Morro da Urca e o Pão de Açúcar estão entre as principais atrações do Rio de Janeiro, você provavelmente já sabe. O que muitos não sabem é que é possível caminhar contornando o Morro da Urca para admirar o Pão de Açúcar de um ângulo diferente.

É só ir até a Praia Vermelha e encontrar o início da pista Cláudio Coutinho, que segue entre o paredão do Morro da Urca e o mar. É o lugar ideal para quem gosta de caminhar em meio à natureza, ouvindo o barulho das ondas em um cenário de muita tranquilidade.

A pista também é um ótimo lugar para os que gostam de escalada. Se você não tem muita prática, não se preocupe: há paredões menores. E tudo isso com total segurança, já que a pista fica dentro de uma área militar e tem a entrada controlada. O acesso é permitido das 6h às 18h.

O sítio Burle Marx

Essa atração fica distante do centro, em Barra de Guaratiba, e é preciso agendar a visita com antecedência. Mas vale a pena conhecer, em especial para quem se interessa por botânica e paisagismo. O sítio foi residência do artista plástico e paisagista Roberto Burle Marx até 1994, ano de seu falecimento.

Desde então, seguindo a vontade de Burle Marx, o local se tornou um centro de estudos botânicos, paisagismo e preservação da natureza. A propriedade, que foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) no ano 2000, exibe cerca de 3.500 espécies, principalmente de plantas tropicais. A coleção é uma das mais importantes do planeta, segundo informa o site Museus do Rio.

Na antiga sede da fazenda, restaurada por Burle Marx, o visitante pode admirar coleções de arte de autoria do antigo dono e de outros artistas, incluindo cerâmica, vitrais, pinturas e azulejos, além do mobiliário bem-preservado.

O Maracanã

Para os fãs de futebol, uma boa notícia: desde junho de 2017, as visitas ao interior do estádio Mário Filho voltaram a ser permitidas, depois de ficarem suspensas por um tempo.

É possível conhecer ambientes internos como os vestiários, a sala de aquecimento dos jogadores, a sala de imprensa, os gramados etc. É permitido até se assentar em um dos bancos dos reservas. O acervo do estádio reúne camisas e objetos ligados à história de grandes ídolos do futebol, como Pelé, Garrincha e Zico. As visitas guiadas duram cerca de 40 minutos.

Como você viu, há muito o que fazer no Rio de Janeiro além das praias. Então, não perca tempo. Arrume logo as malas e embarque para desfrutar de toda a variedade de atrações que a cidade oferece.

Aproveite também para seguir nossas redes sociais e não perder nenhuma novidade sobre viagens! Estamos no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e Google+.