O Espírito Santo é conhecido por suas lindas praias, atrativos naturais e variações de relevo (praia e serra).

Mas uma das características mais apreciadas pelos visitantes é a culinária capixaba. O visual torna-se ainda mais encantador quando acompanhado dos pratos típicos e sobremesas locais. Já está com água na boca para conhecer quais são? Então continue a leitura.

Influências culturais e gastronômicas

A principal característica da culinária do Espírito Santo é a tradição pesqueira, herdada da cultura indígena e negra. As principais influências gastronômicas vêm da mistura dos costumes dos habitantes locais com os estrangeiros: portugueses, africanos e povos do norte da Europa.

Com isso, além das comidas já existentes, foram descobertas novos ingredientes e novas formas de preparo.

Pratos estrangeiros também foram acrescentados à cozinha capixaba, enriquecendo ainda mais a sua gastronomia. Uma das influências europeias mais forte é a Italiana, que trouxe o agnolini, a sopa pavese, o tortei, o risoto e a polenta.

Os alemães contribuíram com a sua culinária à base de batatas e carne de porco. Já os portugueses incrementaram o paladar capixaba com seus tradicionais pratos à base de bacalhau, azeite e doces feitos com ovos.

A proximidade com os estados de Minas Gerais e Bahia também trouxe mais sabor para o estado com seus pratos típicos: vatapá e péla-égua (canjiquinha com costeleta de porco).

E o item mais característico da cozinha capixaba são as panelas de barro, feitas artesanalmente, dando um charme a mais na hora de servir a refeição.

Pesca

A etapa mais importante da produção gastronômica é a pesca. A técnica usada atualmente é a mesma dos indígenas, que procuravam peixes e outros animais marinhos para se alimentarem.

O caranguejo, por exemplo, é pegue no mangue. É preciso entrar na lama até os joelhos e caçar os caranguejo no tato e no jeito. Com cuidado para que os dedos não sejam aferroados pelas puãs.

Já o siri, que é semelhante ao caranguejo, é pescado com instrumentos: jereré ou puçá. São parecidos com uma rede de caçar borboletas, mas com isca. Também é possível pescar sem isca, mas nesse caso a atividade é noturna, à luz de lampiões.

A mistura da herança cultural com a tradição pesqueira gerou pratos que só são encontrados no Espírito Santo e outros que são levados para regiões diferentes do Brasil.

Mas para experimentar o real sabor da comida capixaba, é preciso vir até o estado e saborear os pratos feitos pelo seu próprio povo. Antes disso, vamos descobrir quais são os pratos típicos da culinária capixaba, suas particularidades e formas de preparo.

Moqueca capixaba

A expressão popular “moqueca é a capixaba, o resto é peixada” traduz o sentimento dos capixabas pelo prato mais típico do estado. Apesar de ser muito comum no norte e no nordeste, é no Espírito Santo que a moqueca mostra a sua força. O nome “moqueca” indica que o alimento é preparado no cozimento sem água. Em vez disso, são utilizados apenas vegetais e frutos do mar.

A disputa do prato com a moqueca baiana existe, mas de uma forma bem-humorada. Porém, a moqueca capixaba não leva azeite de dendê e leite de coco. E outra diferença é que a sua preparação é feita apenas nas panelas de barro, criadas artesanalmente pelas paneleiras de Goiabeiras.

Ingredientes

Como é um prato que demanda mais atenção, o ideal é prepará-lo para 6 pessoas. Por isso, é necessário utilizar 1,5 kg de peixe fresco, que pode ser badejo, robalo, papa-terra ou namorado.

Se desejar, também pode acrescentar camarão. Para temperar, leva coentro, cebolinha verde, cebola branca, azeite de oliva e sementes de urucum. Para complementar, acrescente tomates, limões, sal fino, óleo de soja ou algodão e pimenta-malagueta (opcional).

Modo de preparo

Primeiro, limpa-se bem o peixe. Depois você pode cortá-lo em postas de 5 centímetros de largura e lave-o com limão. Deixe descansar em uma vasilha com uma solução fraca de alho e sal. Separe a cabeça do animal para o preparo do pirão.

Enquanto isso, pegue a panela de barro e acrescente um pouco de óleo de soja ou de algodão e azeite de oliva. A massa obtida no socador deve ir para o fundo do recipiente. Em seguida, vire as postas de um lado para o outro, para que não fiquem umas por cimas das outras e tampe a panela.

Corte os ingredientes do tempero (coentro, tomate e cebola) e coloque-o por cima das postas de peixe que estão na panela. Acrescente azeite e suco de limão para o caldo ficar mais encorpado. Quando começar a ferver, verifique o paladar do sal e do limão. O prato precisa cozinhar por 20 a 25 minutos. De vez em quando balance a panela para que as postas do peixe não grudem no fundo.

Depois de cozido, salpique coentro picadinho e leve a refeição à mesa. O acompanhamento deve ser feito com arroz branco, pirão e molho.

Torta capixaba

Esse prato é o prato oficial da Semana Santa no Espírito Santo. A origem dele ultrapassa 400 anos e envolve as tradições das comunidades litorâneas e vilas de pescadores. Esses povos viviam à beira das praias e dos manguezais.

Além de se alimentarem de peixes e frutos do mar durante a maior parte do ano, esse era o cardápio oficial da Quaresma — período de abstinência de carne vermelha. Essa tradição secular é mantida independentemente do credo religioso.

Ingredientes

O prato leva muitos frutos do mar desfiados e cozidos: siri, caranguejo, camarão, ostra, sururu, badejo e bacalhau. Para temperar, usa-se palmito, cebola, alho, pimenta, azeitona e limão.

Modo de preparo

Primeiro, fazem-se as moquecas de cada fruto do mar. Depois retira-se o caldo para ficar o mais seco possível.

Em uma panela, prepare um refogado com os temperos e o palmito natural. Quando a água desaparecer e o molho começar a ganhar resistência, junte os cozidos e mexa até a água desaparecer. Depois retire do fogo para esfriar um pouco.

Em outra panela, cozinhe 6 ovos. Eles servirão para a finalização e enfeite do prato, junto às azeitonas e às rodelas de cebola. Os ovos também serão acrescentados à receita em uma mistura de 6 claras de neve com as gemas.

Por último, insira o bacalhau para enxugar e dar liga à massa e leve o conteúdo a uma panela de barro. Coloque no forno e retire quando a espuma estiver bem coradinha.

Quibebe de abóbora

O quibebe de abóbora é um purê feito com a fruta e temperado com alho, cebola, salsa e cebolinha, além de óleo de girassol, sal e açúcar. O acompanhamento é com costelinha de porco ou torresmo. Esses sabores, quando se misturam, formam um prato exótico e de sabor único.

Apesar de ser um prato típico do Espírito Santo, ele também pode ser encontrado em outras regiões do Brasil.

No Rio Grande do Norte, o mesmo prato ganha o nome de caldo de carne engrossado com abóbora. Já no Maranhão recebe o nome de bobó de abóbora. O modo de preparo é igual, porém outros ingredientes podem ser aproveitados: maxixe, quiabo e vinagreira. E há quem prefira temperar e refogar com banha de porco.

Caranguejada

Devido à localização geográfica do estado, os crustáceos são ingredientes comuns na culinária. Os caranguejos, por exemplo, são muito procurados. O consumo, bem como a pesca do animal, são costumes dos primeiros povos que habitaram o Espírito Santo. Mas até hoje o prato faz sucesso entre os moradores e os visitantes.

Ingredientes

Selecione bem os caranguejos porque eles são o destaque da receita. Escolha os mais gordos, que servem melhor. Para temperar, use coentro fresco, cebola, alho, pimenta-malagueta, limão, tomate, óleo, azeite, sal e urucum.

Modo de Preparo

A limpeza do animal é uma das etapas mais importantes. Use uma escovinha fina para limpar e depois leve os caranguejos para uma panela com água e sal para aferventar. Após a fervura, retire a panela do fogo e coloque os caranguejos numa peneira até escorrer a água.

Pique o coentro, a cebola e os tomates. Em uma panela, faça o refogado com óleo, alho, sal, pimenta e a tintura de urucum. Acrescente os temperos picados e ponha suco de limão e azeite a gosto. Deixe a mistura ferver por 10 minutos. Depois, adicione meio litro de água e os caranguejos, deixando ferver novamente durante 15 minutos e está pronta a caranguejada,

Sirva o prato com farinha de roça e um molho feito com coentro picado, limão, pimenta socada, vinagre, azeite e cebola. Enfeite como desejar e deguste.

Casquinha de siri

A casquinha de siri é considerada como aperitivo, mas dependendo da preparação vale até como prato principal. É um prato muito pedido nos restaurantes e bares do Espírito Santo.

Ingredientes

Nos ingredientes principais, leva carne de siri e miolo de pão francês. Já para o tempero e preparação temos alho, tomate, cebola, limão comum (e suco), limão tahiti sal, leite integral, urucum, azeite de oliva, coentro, pimenta-do-reino preta moída e farinha de rosca.

Modo de preparo

Primeiro é preciso picar a cebola e o tomate em cubos pequenos e reservar. Depois é a vez de refogar o alho no azeite, junte a cebola, o urucum e o tomate. Em seguida, acrescente o siri e tempere com sal e suco de limão. O miolo do pão deve ser umedecido com o leite para acrescentar o siri. Cozinhe até ficar cremoso e depois acrescente o coentro, para cozinhar um pouco mais. Por fim, divida a mistura nas casquinhas do pão e salpique farinha de rosca. Sirva com bastantes legumes coloridos para o prato ficar mais atrativo e saboreie!

Camarão no coco

Um dos pratos mais exóticos e bonitos do Espírito Santo é o Camarão no coco. Ele leva água de coco e camarão como base, mas também tem salsa, leite de coco, sal e pimenta. É servido com batata palha artesanal e arroz branco. Mas além do prato ser delicioso, a apresentação é um espetáculo.

Pirão

O pirão é o acompanhamento perfeito para a moqueca e você pode usar os mesmo ingredientes e temperos.

Para prepará-lo, usa-se a cabeça do peixe ou uma das postas, previamente separada para esse fim. Adicione de três a quatro copos de água para cozinhar. Depois de pronto, basta escorrer e desfiar. Em seguida, o peixe volta ao caldo até ferver.

Ao alcançar o ponto máximo de fervura, a farinha de mandioca é acrescentada lentamente para não embolar. Para facilitar, mexa aos pouco com um garfo. Quando tudo estiver misturado igualitariamente, o pirão vai estar pronto. Corte o coentro e espalhe por cima do pirão antes de servir o prato.

Outros pratos típicos da culinária capixaba

A gastronomia do Espírito Santo é muito diversificada, capaz de agradar todos os gostos. Além dos pratos típicos que já foram citados, vale a pena experimentar:

  • arroz com camarão capixaba;
  • peixe ao molho verde;
  • muma de siri;
  • moqueca de garoupa salgada com banana-da-terra.

E para a sobremesa, experimente os doces capixabas, eles são irresistíveis. A Ambrosia é uma das mais pedidas.

Molho

O molho é o que vai dar mais sabor às receitas. Para isso, você vai precisar de seis pimentas malaguetas, limões, vinagre, cebola, cebolinha e azeite. A preparação é bem simples: amasse seis pimentas no suco de dois limões e acrescente três colheres de vinagre.

Enquanto a mistura ganha tempero na panela, corte a cebola, o coentro e as cebolinhas em fatias bem finas. Coloque na panela à medida que for regando com azeite. Se achar que ficou muito picante, acrescente um pouco de água. E está pronto o molho!

Panelas de barro

As panelas de barro não são apenas utensílios de cozinha, elas contam a história do povo capixaba. Com origem indígena, ela é uma das maiores expressões da cultura popular do Espírito Santo.

As principais receitas típicas são feitas com as panelas de barro, isso dá mais autenticidade aos pratos. Mas além disso, essas peças são confeccionadas artesanalmente, uma tradição que é passada de geração em geração.

Esse trabalho artesanal garantiu a sobrevivência econômica de muitas famílias e até hoje é fonte de renda.

O lugar mais tradicional para a produção das panelas de barro é a região norte da Ilha de Vitória, conhecida como Goiabeiras. No começo, elas eram feitas nos quintais das casas das paneleiras, mas hoje têm estrutura adequada.

As peças são adquiridas pela própria população e por turistas. São vendidas diretamente no galpão da Associação das Paneleiras e nas lojas de artesanato. Tanto as paneleiras de Goiabeiras como as Desfiadeiras de Siri da Ilha das Caieiras têm destaque na cultura popular de Vitória.

Entre todos os atrativos turísticos do Espírito Santo, a culinária capixaba é o que mais se destaca. Os sabores especiais da gastronomia local atrai visitantes de todo o país. Se você já conhece, sabe que esse é um dos principais motivos para voltar ao destino. E se ainda não conhece, já pode reservar a sua passagem.

Gostou do texto e das informações? Então compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!