Quando pensamos em viajar, normalmente, desejamos destinos no exterior, com suas diferentes culturas, climas e línguas. No entanto, vivemos em um país com dimensões continentais — de imensa riqueza —, e temos o privilégio de conviver com diferentes povos em um mesmo local.

Em apenas algumas horas, você pode explorar essa diversidade no próprio estado ou em uma região próxima. Pesquisando bem você vai ver que o Brasil tem muito a oferecer por meio do turismo regional. Veja como funciona!

O que é o turismo regional e qual sua importância?

Todos nós sabemos da grandiosidade do Brasil, mas nem sempre falamos sobre os seus diferentes povos e culturas. Em geral, conhecemos alguns estereótipos de algumas regiões, confundimos localizações e até usamos expressões preconceituosas, como chamar qualquer nordestino de “Bahia” ou “Paraíba”. 

Nós precisamos adquirir conhecimento sobre a nossa terra pelo simples fato de pertencermos a ela. A história, a gastronomia e as características do nosso país são praticamente inesgotáveis. Quanto mais você conhece e se aprofunda, mais quer mergulhar nesse universo.

Um bom ponto de partida para aprimorar esse conhecimento é o turismo regional. Ele consiste em dialogar com comunidades locais sob a perspectiva turística, isto é, uma verdadeira imersão cultural, com todos os passeios, acomodações, culinária e atrativos oferecidos em prol e pela ótica de um morador local.

Além disso, existem outras vantagens, como a oportunidade de conhecer lugares incríveis com a otimização do tempo de viagem e com a economia a seu favor. Imperdível!

Quais benefícios o turismo regional traz para as comunidades?

Uma das principais mudanças positivas que o turismo regional proporciona são as melhorias de infraestrutura. Quanto mais o local recebe turistas, maior será a necessidade de adaptação e de adequação às normas vigentes, bem como de investimentos em inovação.

Ou seja, você e os moradores do lugar ganham. Confira alguns exemplos de benefícios levados para as comunidades por meio do turismo regional.

Criação de novos meios de hospedagem e de entretenimento

O turismo regional precisa atender à demanda, não se tratando apenas de ampliar o número de acomodações, mas também, de melhorar a estrutura já existente. Com isso, criar meios de hospedagem, bem como manter equipamentos que preservem a cultura local.

Por exemplo, em Alter do Chão, no Pará, o uso de redes é muito comum. Logo, o turista facilmente encontrará redários para pernoitar ou terá que adquirir a sua própria rede para encarar as longas viagens de barco, que podem durar até cinco dias. Essa é uma forma de o turista experimentar um costume local por preços até mais atrativos.

No entanto, existem hóspedes dos mais variados gostos, classes e estilos. Portanto, o lugar não pode oferecer apenas um meio de hospedagem, embora seja o mais comum. É preciso pensar em todos os públicos e, se possível, disponibilizar estadias em hotéis, pousadas, hostels, camping, turismo comunitário, couchsurfing e muito mais.

O mesmo se dá com as opções de entretenimento. É válido investir em atrações que cativem tanto o mochileiro quanto o turista mais exigente. Quanto mais, melhor.

Claro que existem fatores a serem considerados para não gerar prejuízos financeiros, como a sazonalidade. Mas estudos econômicos e investimentos na divulgação do destino ajudam a manter o funcionamento e a renda do trade turístico.

Imagine só visitar um lugar que tenha estrutura razoável e, depois de cinco ou 10 anos, encontrar outra cidade, com mais infraestrutura, facilidade de acesso, melhor atendimento e diversidade de opções turísticas. Você pode não associar de imediato, mas a sua visita no passado auxiliou o lugar a se desenvolver e a oferecer melhores serviços para os seus visitantes.

Exemplos positivos

Um grande exemplo desse desenvolvimento é Jericoacoara, no Ceará, que ficou famosa durante os anos 90 devido à repercussão internacional de suas belas dunas, praias, lagoas e piscinas naturais. Há 30 anos, o lugar não tinha sequer energia elétrica.

Hoje, já conta com hotéis de luxo, vários serviços de transporte, restaurantes com culinária nacional e internacional, além da conhecida receptividade do povo cearense. Já lugares como Atins, na região dos Lençóis Maranhenses, estão no início do seu processo de desenvolvimento, em situação semelhante ao que ocorreu com Jericoacoara.

Contudo, a repercussão positiva e até algumas queixas dos turistas que visitam o lugar motivam melhorias e, certamente, são acolhidas para proporcionar um destino ainda mais completo futuramente.

Melhoria em meios de transporte e vias de acesso

Já imaginou encarar mais de seis horas de estrada com pouca estrutura para chegar em um destino, depois de desembarcar de um voo para o aeroporto mais próximo? Você praticamente perderia todo o dia de ida e o dia de volta, diminuindo o tempo de estadia no local.

Além disso, o cansaço dos dois transportes — ou até mais, sem contar com o transfer até o aeroporto — já seria o suficiente para tornar a viagem desagradável. Até alguns anos atrás, era isso o que a maioria dos turistas enfrentava quando decidia ir à Chapada Diamantina.

Mas graças à criação do Aeroporto Horácio de Matos, isso não é mais necessário. O equipamento está localizado na BR-242, a aproximadamente 20 quilômetros de distância do centro de Lençóis, principal cidade sede da Chapada.

Dessa forma, o turista pode voar direto de Confins (MG), São Paulo (SP) e Salvador (BA) para o destino, em voos operados pela Azul Linhas Aéreas. Essa evolução foi possível graças ao empenho do município e das empresas do trade turístico interessadas em investir e oferecer melhorias para os visitantes.

Mas é claro que isso leva tempo e requer longas negociações. Por isso, ainda existem regiões que carecem do serviço. No entanto, essa barreira já foi vencida em muitos lugares devido ao intenso turismo regional e corporativo.

O interior de São Paulo, do Paraná, do Rio de Janeiro e da região amazônica, por exemplo, contam com ampla variedade de aeroportos e voos de uma ou mais companhias aéreas.

Estradas cênicas

As estradas também ganham com a movimentação turística: algumas são abertas e outras ampliadas. Não pensem que elas são apenas o meio de chegar ao destino: muitas delas são o principal atrativo da própria viagem. Veja alguns exemplos:

  • Rodovia Rio-Santos (BR-101);
  • Serra do Rio do Rastro (SC-438);
  • Rodovia Transpantaneira (MT-060);
  • Estrada Real (Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo);
  • Via-Serrana/ Rota Romântica (BR-116 e RS-235);
  • Linha Verde/ Estrada do Coco (BA-099);
  • Maceió-Maragogi (AL-101);
  • Estrada Parque (BA-001);
  • Rota do Sol (RN-063).

Transporte público e privado

Com exceção dos turistas que viajam de carro, todos precisam de um transporte local, público ou privado. A movimentação gerada pelo turismo pressiona a modernização dos veículos já existentes e a criação de novos modais.

Além de acomodar melhor o turista, essa mudança beneficia diretamente os moradores, trazendo mais bem-estar para o dia a dia. Em algumas regiões, só é permitida a circulação de veículos locais autorizados, como Jericoacoara — serviço que respeita o meio ambiente e sustenta muitas famílias locais.

Em outros, o serviço com guia é obrigatório e oferece mais segurança aos turistas. Além disso, há o conforto de conversar com um nativo, que conhece toda a história local, sabe indicar os pontos turísticos e dá orientações de melhores caminhos e horários para a visitação.

Nas metrópoles e algumas cidades, o visitante já conta com trens, ônibus, metrô e VLT modernos e climatizados. Alguns até oferecem internet wi-fi e entradas USB para carregar celulares. As novas tecnologias desenvolvem serviços de economia compartilhada, como Uber, bicicletas, patinetes e até carros elétricos — oferecido em Fortaleza, por exemplo.

Expansão de empreendimentos e serviços alimentares

Sabe aquele produto ou negócio local que precisa de mais visibilidade? Ele pode decolar no mercado se conseguir cativar os turistas que passam pela sua região.

Estes, ao retornar para as suas cidades, podem procurar serviços semelhantes e até abrir uma nova demanda. Então, cabe ao empreendimento realizar pesquisas de mercado e possíveis investimentos para expandir sua marca.

Um bom exemplo disso é o açaí. O fruto típico do Pará conquistou todo o Brasil e algumas cidades no exterior.

Melhorias na saúde pública

Alguns destinos são bastante conhecidos devido a distância e a dificuldade para chegar ao local, sendo chamados até de “paraíso”. No entanto, esses mesmos lugares carecem de serviços comuns na cidade grande, como hospitais e prontos-socorros, e podem se tornar um “pesadelo”.

Já imaginou estar em uma ilha e, em uma necessidade, não ter acesso a serviços médicos como ambulatório, internamento ou emergência? Ou mesmo precisar de um transporte para chegar até a cidade mais próxima, que dispõe de postos de saúde ou hospitais?

Pois saiba que muitos destinos, como Fernando de Noronha e Jericoacoara, receberam unidades de saúde depois de muitas queixas dos turistas e da população. Ou seja, embora o lugar ainda não esteja equipado da forma ideal, a movimentação turística é muito importante para dar visibilidade ao problema e pressionar os governantes para trazer melhorias na saúde pública.

Geração de novos empregos na comunidade

Todos os serviços que movimentam a economia precisam de funcionários. Dessa forma se criam novas oportunidades de empregos para a comunidade. Alguns destinos são tão cativantes, que existem turistas que decidem morar no local.

Para isso, podem criar o seu próprio negócio ou oferecer o seu talento para alguma empresa que atue na região. De toda forma, o turismo regional faz a economia circular e todos ganham.

Quais os benefícios que ele traz para o turista?

Até aqui, você viu como o turismo regional desenvolve a vida das suas comunidades. Mas e o turista? Quais as vantagens de escolher um destino com essas características? Quais os diferenciais desse tipo de viagem? Como é feito o planejamento e que lembranças ele trará dessa experiência? Confira!

Oportunidade de conhecer destinos nacionais

Faça um experimento. Imagine que está conversando com algum estrangeiro e ele pergunta sobre o Brasil, os costumes, as particularidades e as tradições do país. O que você conseguirá responder? Seu repertório vai durar alguns minutos ou você poderá passar horas falando com propriedade do lugar onde vive?

Conhecer as diferenças regionais do Brasil é uma das melhores escolhas do turista consciente. Afinal de contas, de que adianta conhecer as particularidades dos outros países e desconhecer o próprio ambiente onde vive?

Você sabia que muitas pessoas viajam para o Brasil para conhecer a Amazônia, enquanto muitos brasileiros sequer pisaram lá? Que tal mudar essa história? Faça agora mesmo uma lista de lugares que você deseja conhecer no Brasil!

Destinos de viagem mais baratos

Você sabia que existem destinos nacionais baratos e com atrativos fantásticos, dignos de tornar qualquer viagem inesquecível? Isso mesmo!

Além de usar a mesma moeda (Real), você terá mais chances de negociação, oportunidades de parcelamentos e até economia em pagamentos à vista. Tudo isso, aliado às belezas naturais e riqueza cultural de um país cuja principal marca é a diversidade.

Reduz o estresse do dia a dia

O turismo regional também é capaz de dar uma pausa na vida acelerada, tão comum nas grandes cidades. Mudar de ambiente, conhecer pessoas e vivenciar outros costumes é uma ótima alternativa para diminuir o estresse do dia a dia. Portanto, faça um detox de trânsito e tecnologia e se permita conhecer novos ambientes, mergulhando em outras culturas.

Otimização de tempo

Há quem pense que só é possível viajar uma única vez ao ano, durante as férias. No entanto, se você pesquisar, vai encontrar destinos charmosos e agradáveis no próprio estado ou em uma região próxima.

Dessa forma, feriados prolongados e finais de semana se tornam oportunidades de viagens inesquecíveis. Portanto, use a localização e a economia do destino a seu favor e viaje várias vezes por ano!

Onde visitar em seu turismo regional?

Entre os destinos mais procurados por brasileiros estão cidades do campo, metrópoles, cidades litorâneas e a região serrana. Veja alguns exemplos.

Campos do Jordão (SP)

Localizado na Serra da Mantiqueira, a 184 quilômetros da capital, o município tem clima agradável e belas paisagens. A arquitetura de estilo suíço e as atrações de ecoturismo são ideais para casais e famílias.

Porto de Galinhas (PE)

O litoral sul de Pernambuco tem uma das praias mais famosas do Brasil devido às suas águas claras e mornas, localizada entre corais, mangues e coqueirais. Ela fica no município de Ipojuca, a 50 quilômetros de distância de Recife, e reserva calor, culinária saborosa e visual de tirar o fôlego!

Fortaleza (CE)

Parece estranho ver uma capital nessa lista, mas o fato é que a Região Metropolitana de Fortaleza tem diversas praias apaixonantes, como a Praia das Fontes (Beberibe) e o Cumbuco (Caucaia). Em uma única viagem você pode conhecer todas elas ou se aventurar em outras mais distantes, como Canoa Quebrada, Icapuí e Icaraizinho de Amontada.

Alter do Chão (PA)

Que tal conhecer uma praia de água doce? A vila de Alter do Chão fica em Santarém, no oeste do Pará. O local tem muitos atrativos naturais em meio à sabedoria indígena, à riqueza da gastronomia paraense e à manifestações culturais como o Carimbó e o Çairé. É praticamente um novo mundo a se conhecer!

Serra do Caparaó (MG)

Se você gosta de montanhas, cachoeiras, poços, trilhas e café de qualidade, vai adorar descobrir as riquezas de Alto Caparaó (mais de 900 metros de altitude). A região conta com inúmeros atrativos naturais, mas o mais marcante é o Parque Nacional do Caparaó, onde você pode acampar e fazer travessias emocionantes.

Como você viu, o turismo regional é muito importante para a economia e para a cultura das comunidades. Quando feito de forma consciente, respeitando os costumes e o meio ambiente, ele beneficia o turista e os moradores da região. Não perca essa oportunidade de crescimento individual, com novas amizades e experiências, além de contribuir para o desenvolvimento local.

Gostou do texto? Então comece a programar sua próxima viagem, escolha o destino e as datas e compre as passagens!

Qual a viagem ideal para sua famíliaPowered by Rock Convert