Ninguém merece ter que esperar as férias para, apenas uma vez ao ano, viver a vida. Viagens de fim de semana ou em feriados podem ser uma ótima oportunidade de descansar e voltar com tudo na segunda-feira.

Mas para curtir ao máximo e passear bastante, vale a pena se planejar e seguir algumas recomendações para que essa viagem ocorra de modo tranquilo e sem estresse.

Como o horário pode ser apertado nesse tipo de “fugidinha”, um descuido no cronograma ou erro de planejamento pode estragar a diversão e transformar o sonho em pesadelo.

Pensando nisso, este artigo é um guia para curtir ao máximo suas viagens de fim de semana. Boa leitura!

Comece com uma boa pesquisa

O primeiro passo para um planejamento de uma viagem curta é pesquisar bastante sobre o destino. Para isso, utilize páginas como o TripAdvisor e blogs de viagens para conhecer opções de passeio e lugares para visitar, além do Google Maps, que permite entender melhor onde fica cada atração e como o deslocamento pode ser feito.

Também vale a pena pesquisar sobre como estará o tempo no destino na data da viagem e evitar que um fim de semana na praia se torne um fim de semana de chuva.

Estar bem informado sobre um destino é importante até mesmo para saber se realmente vale a pena realizar aquela viagem ou, em alguns casos, se é melhor deixar o passeio para as férias.

A recomendação é que todo o grupo que for viajar junto faça essa pesquisa e compartilhe os resultados e os pontos de interesse. Dessa forma, todos estarão na mesma página quando for a hora de embarcar.

Faça uma check-list de itens essenciais

Esquecer documentos importantes ou simplesmente não conferir a validade do passaporte são algumas das principais causas de viagens frustradas. E pode parecer uma besteira, mas muita gente só confere os itens essenciais para uma viagem quando já está na fila de check-in e é tarde demais para resolver o problema.

Para evitar que cartões de crédito, documentos, remédios e outros acabem com o passeio de fim de semana, elabore um check-list de itens essenciais e faça a conferência deles em um prazo aceitável.

Se durante a pesquisa sobre o destino o viajante descobrir que precisa do comprovante internacional de febre amarela para embarcar, é bom que isso seja resolvido com antecedência, já que leva tempo para obter o documento e, se for preciso encarar a agulha, é necessário esperar alguns dias antes de viajar.

E na hora de preparar as malas, faça uma conferência final para garantir que todos os documentos estejam presentes e nada será esquecido. No caso de remédios controlados, é bom levar uma receita extra para imprevistos e para evitar problemas com a alfândega, se a viagem for internacional.

Elabore um bom roteiro de viagem

O planejamento é o mais importante para o sucesso de uma viagem curta. E, por isso, é preciso elaborar um roteiro que leve em consideração todos os passeios e atrações que o grupo deseja conhecer, pausas para as refeições e os deslocamentos necessários para isso.

O roteiro também deve contar com informações essenciais como horários dos voos e aeroportos de partida e chegada no caso de viagens aéreas. Se for uma viagem de carro, vale a pena determinar não só a hora de sair de casa como também quais paradas serão realizadas.

E para quem viaja de ônibus, as recomendações são semelhantes às de quem vai voar: atenção com os horários da viação e os locais de embarque e desembarque.

Como qualquer planejamento, o roteiro não precisa ser seguido à risca no destino: se as coisas estiverem fluindo, é possível deixar um pouco do plano para trás e se divertir à vontade.

Mas com um bom cronograma a chance de que imprevistos comprometam o passeio é menor. E, além disso, um roteiro rico previamente estabelecido evita que os turistas fiquem sem saber o que fazer no destino e percam horas preciosas com o tédio.

Para algumas pessoas, elaborar o roteiro pode parecer um tipo de trabalho, mas a verdade é que ele faz parte da experiência de viajar e, quando feito com paixão, se torna parte da diversão.

Escolha bagagens práticas e confiáveis

Tenha uma atenção especial com as bagagens durante uma viagem de fim de semana. Mesmo quem não vai voar e não precisa se preocupar com malas despachadas deve se esforçar para viajar o mais leve possível.

Malas pesadas e grandes são como correntes com bolas de ferro na ponta, que precisam ser arrastadas pelos turistas e comprometem seriamente a sua mobilidade. Para um fim de semana na praia, uma mochila com três opções de roupas, toalhas, roupas de banho, itens de higiene pessoal, protetor solar e o carregador do telefone já basta.

Quanto menor e mais leve for a mala, mais livre para curtir estarão os turistas. Mas é preciso também evitar o erro de ir com uma bagagem inadequada que não cabe tudo ou que simplesmente não suporta o tranco do passeio.

Por isso, escolha com muito cuidado a mala de mão ou mochila que levará para sua viagem de fim de semana. Se a bagagem for de má qualidade, pode acabar cedendo durante os deslocamentos e, literalmente, deixar o turista na mão.

Avalie com cuidado todos os gastos da viagem

Uma viagem de fim de semana pode ter um preço variável e, assim como uma viagem de férias, geralmente não existe limite para o quão cara ela pode ser.

Quem encontra boas oportunidades de passagens e tem uma condição financeira favorável pode, por exemplo, passar um fim de semana no exterior, conhecendo os parques da Disney ou experimentando o famoso churrasco argentino.

Por outro lado, com muito pouco no bolso é possível passar um fim de semana em acampamento perto de uma cachoeira ou na praia.

Independentemente de qual seja o perfil da viagem, é crucial realizar um planejamento financeiro antes de começar a gastar. A recomendação é colocar todos os gastos previstos em uma planilha e, se possível, separar uma reserva para pequenos imprevistos.

Dessa forma, ninguém se arrepende do passeio e não corre o risco de fechar o mês no cheque especial. Se for uma viagem em grupo, faça a divisão justa dos gastos que serão compartilhados e divulgue com antecedência ao restante das pessoas, para garantir que todos estejam preparados para arcar com essas despesas.

Continue conectado — ou não!

Descubra como será sua comunicação no destino. Em viagens internacionais, por exemplo, pode ser preciso adquirir um chip de uma operadora local para continuar conectado.

E mesmo para quem não pretende cruzar fronteiras, é importante conhecer as regras de roaming do plano de celular para não ser surpreendido por uma conta alta. E se a comunicação for muito importante, pode ser preciso também conferir a cobertura na região, especialmente em viagens para parques, reservas ecológicas e outros locais ermos.

Para garantir que não vai faltar energia no aparelho, pode ser interessante levar um powerbank, que é uma bateria externa, além, é claro, dos cabos de alimentação do telefone.

Por outro lado, se o objetivo da viagem for se desconectar totalmente e curtir ao máximo, deixe o telefone desligado ou no modo avião e aproveite bastante. Não é recomendável deixá-lo em casa porque se uma emergência surgir, o telefone celular pode salvar vidas.

Mas esquecer as notificações, redes sociais e responsabilidades por alguns dias pode ser uma experiência muito saudável.

Defina como será o deslocamento no destino

Um detalhe fundamental de um planejamento para uma viagem de fim de semana é o deslocamento no destino. Quem viaja em um cronograma apertado não pode se dar ao luxo de perder tempo percorrendo longas distâncias a pé entre as atrações, salvo nas situações que a caminhada faz parte do passeio.

Portanto, é recomendável definir com antecedência como será feito o transporte entre os pontos turísticos e qual o tempo necessário para isso. Quem viaja de avião, precisa considerar o aluguel de um carro, de bicicletas ou entender o transporte público do destino.

Já quem viaja de carro também deve se planejar, pois nem sempre existirão vagas para estacionar e o trânsito local pode ser um problema. Mais uma vez, é preciso pesquisar bastante e elaborar um planejamento prévio que leve em consideração todos esses pontos.

Para quem vai se valer do transporte público, vale a pena se aprofundar nas regras e horários do destino. Normalmente a escala no fim de semana é diferente e o tempo de espera é maior. E em alguns destinos, é possível que não exista nem mesmo a opção de ônibus ou metrô.

Considere as crianças no planejamento

Quem já viajou com crianças sabe como é diferente um passeio com elas. Como ainda são dependentes dos adultos para muitas coisas e ficam entediadas com facilidade, elas merecem um lugar de destaque no planejamento e é preciso levá-las em consideração durante todo o roteiro.

Se uma família decide se hospedar em um hotel fazenda no fim de semana, por exemplo, é recomendável conferir as atividades para crianças e qual a idade recomendada em cada uma delas. Também vale a pena checar as acomodações e até detalhes menores como a presença de salva-vidas nas piscinas.

Em viagens de carro, o tédio pode ser péssimo para as crianças e pior ainda para os adultos que viajam com elas e terão que se desdobrar para distraí-las. Nesse caso, vale a pena pensar em passatempos e até mesmo paradas para que elas possam descansar.

Se a viagem for de avião, lembre-se que crianças mais novas são muito sensíveis à mudança de pressão e podem sentir dor nos ouvidos, portanto se prepare para acalmá-las na decolagem e aterrissagem.

Não embarque com a cabeça no trabalho

Não viaje com nenhum tipo de pendência para ser resolvida, especialmente aquelas relacionadas ao trabalho. Para cumprir com o objetivo principal da viagem de fim de semana é preciso relaxar e curtir o passeio. Passar sexta, sábado e domingo quebrando a cabeça com tarefas e relatórios que já deveriam ser entregues é um péssimo jeito de desperdiçar tempo e dinheiro.

Se possível, resolva todas as pendências antes de viajar e vá com a mente livre para e focada apenas no passeio. Deixe os problemas do trabalho no trabalho e preocupe-se apenas com os detalhes da viagem.

Além de ocupar a mente e impedir o descanso pleno, esse tipo de distração evita que a viagem seja aproveitada. Da mesma forma que o lazer pode ser uma distração para o trabalho, responsabilidades profissionais são dispersões da diversão.

Viaje apenas com boas companhias

O mais importante de uma viagem não é nem o destino, mas sim as pessoas com quem você está viajando. Quando planejar um passeio curto no fim de semana, faça questão de convidar apenas aqueles que compartilhem dos seus valores e do seu conceito de diversão.

Mais que isso: leve companhias que sejam compatíveis com o tipo de viagem que você realizará. Chamar amigos que só querem saber de festas para um retiro sossegado em um hotel fazenda pode ser um erro tão grande como levar crianças para uma viagem focada em passeios noturnos.

O grupo que realizará a viagem é a parte mais decisiva dela e isso deve ser levado em conta até mesmo quando a pessoa pensa em viajar apenas com a própria companhia. Por mais que seja interessante a liberdade de conhecer diversas atrações sem precisar de um consenso em grupo para isso, alguns passeios são melhores com os amigos, a família ou o namorado.

E o mais importante, corra das pessoas pessimistas que vão reclamar o tempo todo e estragar o prazer do passeio. Se o objetivo for descansar e curtir, convide apenas as boas companhias.

Não perca a paciência com pequenos imprevistos

Por fim, lembre-se que mesmo um planejamento de viagem perfeito não é imune ao acaso. Um pneu furado, um atraso no voo e um almoço ruim são contratempos que todos podem encarar.

Não deixe que essas pequenas adversidades estraguem a experiência completa e evite perder a paciência com qualquer tipo de imprevisto.

E agora que você já sabe como realizar viagens de fim de semana sem estresse, aproveite o embalo e aprenda a se organizar em viagens de bate e volta!