Muitas pessoas têm dúvidas sobre milhas aéreas e, por desconhecimento, deixam de aproveitar todos os benefícios que esse programa oferece.

Elas funcionam como uma moeda de recompensa para passageiros que viajam de avião e, dependendo da quantidade, podem ser utilizadas para viajar gratuitamente, receber upgrades de categoria e brindes exclusivos.

Algo que muitas pessoas não sabem é que comprar e vender milhas é legal e pode trazer muitas vantagens. Tem interesse no assunto e quer entender como isso funciona na prática? Então continue a leitura e descubra.

O que são milhas?

programa de milhas é uma estratégia das companhias aéreas para fidelizar o cliente e recompensá-lo pelo serviço utilizado. Funciona como uma moeda de viagem que beneficia tanto a empresa quanto o passageiro: a cada vez que o viajante comprar uma passagem aérea ou adquirir algum produto ou serviço vinculado ao programa, ele vai acumular pontos, que, popularmente, são chamados de milhas aéreas.

Elas podem ser utilizadas de inúmeras maneiras, trazendo mais economia e comodidade para o cliente. A vantagem mais conhecida é a emissão de passagens gratuitas, com o pagamento apenas da taxa de embarque, mas também é possível garantir descontos no bilhete; para isso, deve-se escolher o pagamento dividido em dinheiro e milhas.

Quais as vantagens de usar milhas?

Além de trazer recompensas pelo valor investido em uma passagem, as milhas aéreas podem levar o passageiro para outros destinos com muito mais conforto. Cada benefício é concedido de acordo com a quantidade de milhas acumuladas; por isso, quanto mais você tiver, mais poderá aproveitar.

As vantagens mais populares são o upgrade da classe de voo e de categoria de cliente e o desconto no valor do bilhete aéreo, mas as milhas também podem ser usadas de outras formas. Por exemplo, você pode garantir preterição de embarque, melhores horários em voos, assentos mais confortáveis, serviços exclusivos e brindes.

Vale lembrar que as companhias têm parcerias com outras empresas do trade turístico e oferecem esses serviços associados aos voos com um custo muito baixo ou igual a zero, como hospedagem, aluguel de carro, passeios e muito mais. As empresas sempre inovam as recompensas para agradar seus clientes.

Quais as formas de utilizar milhas?

Essas moedas de viagem são muito úteis para conhecer novos destinos e visitar os seu lugares preferidos, além de viajar com mais conforto e comodidade. Na prática, você vai conhecer os seus benefícios quando for comprar uma passagem aérea: cada companhia disponibiliza um simulador em sua plataforma para que o cliente veja quais são as suas possibilidades.

Por exemplo, para realizar voos domésticos, normalmente, a quantidade mínima é de 5 mil milhas. Já em voos internacionais, o valor fica acima de 10 mil milhas. No entanto, a quantidade de milhas cobrada varia bastante. Quando acontecem promoções, é possível viajar com menos milhas, e, na época de alta temporada, esse valor pode aumentar muito. Por isso, o uso do simulador é tão importante.

Também há casos em que você pode mesclar dois serviços, como a compra da passagem aérea dividida entre milhas e dinheiro. Para saber se esse serviço está disponível, é preciso ler o contrato de serviço com atenção e tirar todas as dúvidas sobre a sua utilização. Também deve-se ficar atento ao prazo de validade.

Ou seja, as milhas aéreas servem tanto para programar as férias quanto para uma viagem de rotina ou emergencial, e você confere as comodidades oferecidas aos passageiros com bom saldo de milhas aéreas no próprio site ou app da companhia.

Como conseguir milhas?

Agora que você já sabe o que é e quais os benefícios, chegou a hora de descobrir como acumular milhas.

O primeiro passo é escolher um programa de pontos para participar. Depois, você deve ficar atento a quatro informações quando for comprar uma passagem aérea: o valor da tarifa, a distância percorrida (escalas podem ser positivas), a forma do pagamento e a classe do voo. Esses são os principais itens que influenciam a sua bonificação.

No entanto, você pode aumentar o seu saldo de várias maneiras:

  • compra de passagens na companhia aérea em que você está cadastrado;
  • participar de um programa de pontos;
  • compras no cartão de crédito vinculado ao seu programa de pontos;
  • compras em lojas parceiras;
  • plataformas de compra e venda de milhas aéreas.

Além destas, existem outras formas de aumentar o saldo de milhas aéreas, pois as companhias estão sempre inovando no serviço. Cadastre-se na newsletter e acompanhe as redes sociais do seu programa de pontos para ficar informado sobre as novidades.

Afinal de contas, é permitido comprar e vender milhas?

Esse assunto sempre traz muitos questionamentos ao consumidor. Comprar e vender milhas é legal ou ilegal? Como eu posso fazer isso? Que problemas posso ter? Quais são as plataformas que trabalham com a compra e venda de milhas? O que é melhor, vender ou usar? Calma, vamos explicar tudo.

Primeiro, vamos falar sobre a dúvida mais comum: a compra e venda de milhas é considerada legal no Brasil? Quando se trata de negociação entre o consumidor e plataformas especializadas nessa área, sim, a operação é permitida.

No entanto, as companhias aéreas não transferem a pontuação de milhas entre os seus usuários. O que algumas empresas permitem é a emissão de passagens para outras pessoas a partir do saldo acumulado. Nesses casos, o consumidor pode economizar até 60% no valor de uma passagem.

Como esse mercado começou?

Essa estratégia de compra e venda surgiu para que o viajante possa aproveitar os pontos que ficam parados ou até aumentar a sua renda em caso de não utilização das milhas. No início, essa atividade causava incômodo às companhias aéreas, porque, antes, os pontos não utilizados simplesmente expiravam e, depois, passaram a ser negociados pelas empresas que operam compra e venda de milhas aéreas, afastando o consumidor dos serviços das companhias.

Por conta disso, veio o burburinho de que a movimentação financeira era proibida por lei. No entanto, a legislação brasileira não tem nenhuma lei ou regras específicas que regulam esse tipo de comércio, mas existe subsídio na constituição e jurisprudências favoráveis à negociação de milhas aéreas entre pessoas e empresas.

Quais são as opções atuais?

Com o tempo e a popularização do serviço, as próprias companhias aéreas passaram a engajar-se nesse mercado. Elas criaram parcerias com lojas de outros segmentos e diferentes tipos de recompensas para que o cliente tenha mais opções para a utilização de suas milhas.

Também foram realizadas alianças com cartões de crédito, que começaram a dar milhas a cada compra feita pelo usuário. Normalmente, as operadoras de cartão dão uma milha para cada dólar gasto, mas os usuários com cartões black podem ser contemplados com até 3 milhas para o mesmo dólar gasto.

O que são as plataformas de negociação?

Para facilitar a compra e venda de milhas aéreas, algumas empresas especializaram-se nisso e oferecem uma plataforma para que essa negociação aconteça. Após realizar o login e o preenchimento de alguns dados, o viajante vai encontrar formas de valorizar o seu saldo, comprar passagens mais baratas e até conseguir uma renda extra.

Ou seja, não são apenas os viajantes frequentes que podem usufruir dos benefícios das milhas aéreas. Com essas plataformas, qualquer pessoa pode utilizar o serviço. Por exemplo, você pode disponibilizar o seu saldo para que outras pessoas emitam passagens, sendo remunerado por isso, ou você mesmo pode realizar a compra da passagem com preços mais atrativos, remunerando outro usuário.

Trata-se de uma rede colaborativa para impedir o vencimento das milhas e possibilitar a utilização do serviço de forma mais vantajosa.

Como esse serviço funciona?

O processo de compra e venda muda de acordo com a plataforma utilizada, mas, normalmente, o usuário precisa realizar um cadastro com dados pessoais. Alguns sites pedem a senha do programa de fidelidade de que o usuário participa, outros realizam a emissão da passagem aérea em nome do comprador.

Para comercializar as milhas, procure por empresas conhecidas e confiáveis. Veja as avaliações em sites como o Reclame Aqui e os comentários nas redes sociais. Se possível, peça recomendações a amigos que já utilizaram o serviço.

Todo o processo ocorre pela internet, ou seja, você não precisa locomover-se para a sede das empresas, o que faz todo sentido, uma vez que a ideia é economizar e utilizar a renda como desejar. Apenas fique atento ao atendimento prestado pela companhia e certifique-se de ter todos os comprovantes da movimentação.

Vale a pena comprar e vender milhas?

Antes de comprar e vender milhas, você deve comparar as cotações da companhia aérea e das plataformas de negociação, pois um local pode ser mais vantajoso que outro. Analise bem o cenário antes de tomar uma decisão para não se arrepender, pois não há como voltar atrás.

Normalmente, é mais vantajoso resgatar os pontos do que vendê-los, assim como a compra de milhas pelas plataformas pode ser mais econômica do que comprando diretamente na companhia aérea, uma vez que os pontos utilizados na plataforma estão perto de vencer, e, por isso, as tarifas caem.

O viajante também deve levar em consideração a sua disponibilidade para utilizar o serviço. Por exemplo, se ele não tiver tempo hábil para resgatar os pontos e usufruir de suas vantagens, é melhor vendê-los do que vê-los expirar.

Mas vale lembrar que a compra e a venda são optativas, afinal, é o consumidor quem define qual a melhor forma de utilizar as suas milhas, que são fruto de um investimento pessoal.

O que é o programa Tudo Azul e como ele funciona?

Tudo Azul é um dos programas de fidelidade mais lembrados pelos viajantes, pois permite o resgate de passagens gratuitas ou com descontos expressivos e a aquisição de vários produtos em lojas parceiras. Com regras simples, ele começou a operar em junho de 2009, para que o usuário tenha total entendimento e possa desfrutar de todas as vantagens com facilidade.

O seu grande diferencial é que ele garante pontos proporcionais ao valor investido na compra da passagem. Essa é uma forma de garantir maior transparência entre a empresa e o consumidor, expondo, de forma clara, como funciona o acúmulo de pontos. Por exemplo, é possível acumular entre 2 e 4,5 pontos a cada R$ 1 investido na compra da passagem aérea. Essa margem depende da categoria do cliente, que pode ser:

  • inicial Tudo Azul;
  • Tudo Azul Topázio (clientes com mais de 4 mil pontos);
  • Tudo Azul Safira (clientes com mais de 8 mil pontos);
  • Tudo Azul Diamante (clientes com mais de 20 mil pontos).

Quais as recompensas e serviços parceiros?

Cada categoria dá direito a serviços exclusivos, como despacho gratuito de bagagem em voos nacionais e internacionais, desconto em estacionamento, mais comodidade com poltronas do Espaço Azul e acesso às salas VIP de aeroportos no Brasil e no exterior, além de premiações por pontos.

Entre os serviços relacionados, estão o cartão de crédito Tudo Azul Itaucard e o Clube Tudo Azul — compra de pontos. Além disso, você pode trocar os pontos por diárias em hotéis, entradas para shows, inscrições em corridas de rua e produtos de lojas parceiras disponíveis no Shopping Tudo Azul.

A Azul tem parceria com diversos hotéis e duas companhias aéreas internacionais: a Tap e a United. Ou seja, ao utilizar o serviço dessas empresas, você também soma pontos na sua conta. E o melhor: só por aderir ao programa, o cliente já ganha 500 pontos de boas-vindas.

Que cuidados devo adotar ao comprar e vender milhas?

Viu como comprar e vender milhas é mais simples do que você imaginava? E agora que você já sabe como esse serviço funciona, seus pontos serão mais bem aproveitados, e você vai viajar ainda mais.

Lembre-se de que quanto mais estratégias adotar, mais pontos você terá na sua conta. E, sempre que planejar uma viagem, não se esqueça de fazer uma simulação incluindo o uso das milhas, pois você pode garantir uma boa economia e usufruir de serviços exclusivos.

Se as informações que passamos neste texto foram úteis para você, o que acha de colocá-las em prática na sua próxima viagem? Estamos aguardando a sua visita! Até já!