Cancelar ou remarcar uma passagem pode ser viável para o caso de um imprevisto ou problema com a data planejada, evitando que você perca o seu voo. Porém, durante a pandemia de COVID-19, esses procedimentos se tornaram ainda mais importantes, uma vez que o recomendado é que você não viaje sem necessidade, de forma a evitar a disseminação do vírus.

Mas você sabe como funcionam esses processos? Entende quais são as vantagens e desvantagens de cada um? Sabe qual é a melhor opção para você? Se não, está na hora de descobrir!

Continue a leitura e descubra como cancelar ou remarcar a passagem e qual a melhor alternativa para você nesse momento!

Como funciona o cancelamento de passagem

Você pode cancelar a sua passagem até 3 horas antes do voo. Contudo, o valor de reembolso e as tarifas cobradas pela companhia nesses casos dependem do tipo de passagem comprada, data da viagem e tempo decorrido desde a compra.

Se você se arrepender da passagem em até 24 horas do momento da compra, pode solicitar o cancelamento e não será cobrado por isso. O seu dinheiro será reembolsado em até 7 dias úteis.

Porém, caso você já tenha excedido as 24 horas, outros procedimentos devem ser adotados. Cada companhia aérea determina a taxa que será cobrada por passagem cancelada, o que significa que você não consegue o reembolso total da sua compra. Além disso, caso o valor da passagem seja inferior ao valor da taxa aplicada, você pode não receber nenhum tipo de reembolso.

É importante lembrar que essas taxas variam de acordo com a companhia aérea e elas também podem mudar de acordo com o tipo de passagem comprada. Vale lembrar ainda que as companhias aéreas estão tomando cuidado com essa questão durante a pandemia de COVID-19. Algumas permitem que o cancelamento seja feito sem cobrança de taxas, dependendo da data da viagem e do destino.

Como funciona a remarcação de passagem

Uma outra opção para um imprevisto ou problema na viagem é a remarcação. Ou seja, é possível mudar a data e, inclusive, o destino da viagem, de acordo com as políticas da companhia.

Para isso, basta acessar o site ou entrar em contato com a companhia aérea, informando o número da sua passagem e a data na qual você deseja realizar a viagem. É importante lembrar que nesse processo há a cobrança de taxas, determinadas pela companhia aérea e tipo de passagem adquirida.

Porém, durante a pandemia de COVID-19, ainda houve alterações nas políticas de remarcação. Algumas companhias permitem que você remarque sua viagem uma vez, sem cobrança de taxas, para até um ano após a compra da passagem. Mas há algumas isenções para essa exceção, e é essencial que você entre em contato com a companhia para conferir cada uma delas.

Cancelar ou remarcar: qual a melhor opção

Isso varia de caso para caso. Contudo, você pode observar alguns elementos relacionados ao cancelamento e à remarcação de passagem na hora de tomar a decisão.

Cancelar uma passagem aérea é vantajoso quando, por exemplo, você desiste de ir à determinado destino ou percebe que há um impedimento a longo prazo, ou seja, você não poderá se ausentar nos próximos meses. Mas sempre haverá perda financeira, a não ser que você desista em até 24 horas da compra. Dessa maneira, caso deseje realizar a viagem em uma outra data, remarcar pode ser a melhor alternativa.

Já a remarcação pode ser a opção ideal quando ainda existe o desejo de visitar o destino, principalmente porque há novas opções para remarcar no cenário atual. Caso a sua viagem esteja inviabilizada devido à pandemia de COVID-19, você pode buscar uma data daqui a alguns meses, momento no qual o pico da pandemia, provavelmente, já terá passado, e escolher um novo voo.

Vale lembrar que você conta com algumas outras opções. É possível, por exemplo, transferir a passagem para outra pessoa, caso não possa comparecer à viagem. Para isso, também é necessário consultar as condições e taxas da companhia aérea.

O que analisar para tomar a decisão

Se você ainda está em dúvida entre cancelar ou remarcar a sua passagem aérea, descubra agora quais são os principais elementos que você deve analisar para tomar a melhor decisão!

Data da viagem

O Governo lançou, em março, um decreto que possibilita a remarcação ou cancelamento de viagens sem cobrança de taxas. Isso é válido para a maioria dos casos, com algumas exceções, e para viagens marcadas até o dia 30 de junho de 2020.

Assim, um dos principais elementos a serem observados é a data da sua viagem para entender qual das alternativas é mais vantajosa.

Tipo de passagem

Existem passagens que não apresentam taxa para remarcação. Geralmente, elas são um pouco mais caras na hora da compra, mas, caso você precise mudar a data, não há nenhum custo adicional.

Portanto, observe o tipo de passagem que você comprou e identifique quais são as taxas de cancelamento e remarcação nessa situação. Esse valor pode ajudar você a tomar uma decisão financeiramente benéfica.

Viabilidade de remarcação

Algumas condições podem fazer com que a sua viagem fique totalmente inviável. Isso porque, mesmo que decida remarcar, há um prazo de validade para que isso aconteça e, na maioria dos casos, você pode escolher uma nova data em um período de um ano desde a emissão do bilhete.

Porém, pode ser que você não tenha nenhuma brecha para viajar no próximo ano, o que tornaria a remarcação inviável. Portanto, consultar essas condições também é importante na hora de tomar tal decisão.

Diante da pandemia de COVID-19, muitas pessoas que tinham viagens marcadas tiveram que considerar o cancelamento ou remarcação da passagem aérea. Mas, para tomar essa decisão, é importante entender muito bem cada um desses processos e o que deve ser levado em consideração nesse momento de modo a garantir que escolherá a melhor opção para você e sua família. Com o artigo, você entendeu um pouco mais sobre esses dois processos e vai conseguir decidir se deve cancelar ou remarcar a sua passagem!

Gostou do conteúdo? Então aproveite para ler e descobrir dicas para planejar a sua próxima viagem de turismo regional!