Em busca de um destino que combine lazer, história e tranquilidade?

Considere então comprar passagem para Araxá, cidade mineira com pouco mais de 100 mil habitantes e famosa pelas suas termas, pela mítica personagem Dona Beja, pela exploração de Nióbio e muitos outros atrativos.

Neste artigo, selecionamos algumas atrações únicas da cidade que valem a pena a visita, onde ficar quando passar pela cidade e outras curiosidades sobre esse destino brasileiro com grande potencial turístico!

Terra de Dona Beja

Apesar de ter nascido em Formiga, Minas Gerais, Ana Jacinta de São José, a Dona Beja, é a personalidade mais icônica de Araxá.

Ela chegou na cidade aos cinco anos de idade, em 1905, e quando se tornou moça encantou a cidade com sua beleza.

Sua história pessoal foi repleta de dramas, incluindo a vida em cativeiro após ser raptada pelo ouvidor Joaquim Inácio Silveira da Motta, que fascinado por sua beleza assassinou o avô da então garota de 15 anos e a levou a força para Paracatu, onde ela viveu por dois anos.

A vida de Dona Beja inspirou a novela da Manchete Dona Beija, que fez sucesso em 1986 com Maitê Proença no papel da lendária personagem.

Em Araxá, existem diversos pontos turísticos que fazem referência a Dona Beja, sendo que o mais importante deles é a Fonte Dona Beja, que fica no mesmo local em que ela se banhava e é uma nascente de água radioativa e mineral.

Outro local interessante é o Museu Histórico de Araxá Dona Beja, que fica em um antigo casarão na parte antiga da cidade.

Banhos termais no Grande Hotel de Araxá

Para quem quer experimentar banhos termais famosos da região de Araxá, a recomendação é conhecer o Grande Hotel de Araxá, que foi inaugurado em 1944 pelo então presidente Getúlio Vargas e na época se destacou como um dos hotéis mais luxuosos do país.

Lá é possível tomar banhos em águas radioativas e sulfurosas, além de terapias com lamas medicinais e outros tipos de tratamentos relaxantes.

Não é preciso estar hospedado no hotel para desfrutar dos serviços das termas e essa é uma atração imperdível para quem vai passar pela cidade.

O passeio pelo Grande Hotel também vale a visita. Erguido como um complexo de lazer que além das termas inclui lojas, restaurantes e um cassino, o hotel localizado no Parque do Barreiro tem todo o projeto paisagístico de Burle Marx e projeto arquitetônico de Luiz Signorelli.

As misteriosas ruínas do Hotel Rádio

Próximo ao Grande Hotel de Araxá estão as ruínas de um outro hotel que marcou época na cidade: o Hotel Rádio, que foi um local glamoroso no passado e recebeu visitas ilustres como Santos Dumont e Getúlio Vargas.

Ele foi fundado em 1910 e supostamente sua decadência começou quando uma mulher se suicidou em um dos quartos.

Depois disso hóspedes e funcionários passaram a relatar sons estranhos e experiências paranormais no local, que ganhou a fama de assombrado e foi abandonado.

Hoje, suas ruínas foram tomadas pela mata e o local se tornou um ponto turístico, visitado por quem quer curtir trilhas, uma paisagem curiosa e uma bela vista.

Outros passeios que valem a pena em Araxá incluem a Árvore do Enforcado, que apesar de ter morrido e secado em 2011, ainda é um símbolo da cultura negra na cidade; e o Mirante do Cristo, uma réplica reduzida do Cristo Redentor com uma boa vista da cidade.

Tema de samba-enredo no Carnaval

O interesse pelo turismo em Araxá se reacendeu com a novela sobre Dona Beja. E ao longo dos anos, a cidade também foi homenageada em outras mídias culturais, com destaque para dois sambas-enredo no Carnaval.

Em 1986, a Salgueiro desfilou ao som de Dona Beja, a Feiticeira de Araxá, com uma letra que resumia a história da personagem.

Já em 1999 a Beija-Flor de Nilópolis foi vice-campeã do carnaval carioca com a canção Araxá – Lugar Alto Onde Primeiro Se Avista o Sol, que destaca a história da região.

E em 2016 a cidade mineira foi mais uma vez citada em um samba-enredo, desta vez da escola de samba paulista Acadêmicos do Tatuapé, que homenageou a Beija-Flor e citou um trecho do icônico samba de 1999.

Mineração de Nióbio

A mineração é a principal atividade econômica de Araxá e diversos tipos de minerais raros são explorados na região, em especial a de minérios fosfatados.

Mas além desses, se destaca também a presença do Nióbio, um minério muito utilizado para dar resistência em ligas metálicas, como na confecção de gasodutos.

Além disso, o Nióbio também é fundamental para a produção de motores na aviação, propulsão de foguetes e imãs supercondutores utilizados na ressonância magnética.

Poucos países contam com reservas conhecidas de Nióbio e na maior parte deles a produção é inexpressiva.

Apenas o Brasil e o Canadá se destacam nesse setor, sendo que a produção nacional é quase 10 vezes maior que a canadense e representa quase 90% da produção mundial.

A principal jazida de Nióbio do mundo fica em Araxá, de onde sai a maior parte do minério utilizado em todo o planeta.

Apenas outros 4 estados brasileiros também exploram o Nióbio: Amazonas, Bahia, Goiás e Rondônia.

Onde ficar em Araxá

Sem dúvida alguma que o Grande Hotel de Araxá é um dos locais mais interessantes para se hospedar em uma visita pela cidade. O local é carregado de história e por si só já representa um passeio.

O hotel é responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), que em 2010 promoveu uma concorrência pública para administração da propriedade, vencida pelo grupo hoteleiro Tauá, que rebatizou o local como Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá.

O lado negativo é que a diária no Grande Hotel não sai barata. Mas por uma fração do seu valor é possível se hospedar em outros locais como o Hotel Nacional Inn Previdência Araxá, que tem descontos para funcionários públicos do Estado de Minas Gerais; o Hotel Pousada Dona Beja e o Hotel Fazenda Portal do Sol.

E você, já está com passagem para Araxá comprada? Quer chegar de avião na cidade mineira? Pesquise por datas para voar com a Azul!