Qual é a cor do mar que lhe agrada mais: azul ou verde? Não importa. Se você é um amante das praias cheias de nuances e clima tropical, Maceió é o seu lugar

Enquanto você lê esta matéria, quem está em Maceió provavelmente desfruta de uma de uma paisagem exuberante em uma temperatura entre 25º a 29º C. Mas não é só. A capital do estado do Alagoas reserva aos seus visitantes um belíssimo litoral, comidas típicas e um povo extremamente hospitaleiro.

A população de pouco mais de um milhão de habitantes triplica na alta temporada. E não é pra menos. São inúmeras praias com piscinas naturais, manguezais, restingas e coqueiros garantindo boas fotos e recordações para quem busca sossego ou aventura.

Entre as atividades estão a prática de wind surfwakeboardjet-skibanana boat, stand up paddlesup, mergulho de observação e de naufrágio, pesca de arremesso e até o cicloturismo. A diversão também se completa nos municípios vizinhos, que há poucos minutos, estendem os bons momentos para quem viaja só, a dois ou em família.

Para quem quer conhecer as tradições alagoanas não pode deixar de ir ao Museu Théo Brandão – considerado a maior referência da cultura popular da região. Localizado no centro de Maceió, o lugar é uma homenagem ao professor e folclorista Theotônio Brandão Vilela, cuja sua coleção de arte popular foi doada ao espaço. O museu destaca fotografias, folhetos de cordel, livros, arquivos em audiovisual, objetos da cultura brasileira, sobretudo de peças nordestinas, como as moringas antropomorfas do artista Júlio Rufino e a cerâmica dos artistas Vitalino e Nô Caboclo. Todas as quintas, às 19h, acontece o “Engenho de Folguedos”, um encontro de grupos folclóricos do estado.

Maceió

Ainda na capital, vá às praias urbanas de Ponta Verde e Garça Torta. O bairro de Ponta Verde é uma área com ótima infraestrutura. A concentração de restaurantes, bares e hotéis oferecem o conforto e diversão para quem quer curtir o horizonte à beira-mar. O local já abrigou o Gogó da Ema – um coqueiro torto que foi ponto de encontro dos namorados até a década de 1960, quando o avanço do mar o derrubou. Mas ainda é nesta divisão, entre as praias de Ponta Verde e Sete Coqueiros, que é possível apreciar o mesmo luar que fez daqui um espaço peculiar.

Sentido norte, a cerca de 9 km de Maceió, fica a Praia da Garça Torta. Lá, o visitante dificilmente resistirá à oportunidade de curtir um sereno banho de mar, caminhar na areia fina e relaxar entre os recifes de corais imersos em água verde- esmeralda.

Para o viajante que busca um ambiente mais deserto e rústico, a mais ou menos 37 km ao norte de Maceió, fica o município de Barra de Santo Antônio. Lá está a Praia de Carro Quebrado. A distância é compensada pela beleza. A chegada para praia é feita de balsa, por meio do Rio Santo Antonio, até a Ilha da Crôa. A região é simples, formada por pescadores, mas encantadora por seu cenário.

E como ninguém é de ferro, a gastronomia alagoana traz o melhor dos pratos nordestinos, com raízes indígenas e africanas. Os preços dos restaurantes são acessíveis e existem muitas opções em toda a orla. Experimente o curioso “chiclete de camarão”. É comer para crer. Ou os combinados de frutos do mar com arroz e macaxeira (também chamado de mandioca ou aipim, dependendo da região do Brasil), ou ainda, arroz com fritas e carne de sol.

Não deixe de provar também um cuscuz de milho caseiro, ou ainda porções de batata doce ou de inhame cozidos, além das deliciosas tapiocas recheadas – receitas estas que podem ser preparadas e servidas tanto pela manhã como no final da tarde. A culinária em Maceió é um desafio e tanto para quem está de dieta!

Maceió

De volta ao turismo litorâneo, em direção oposta, já no sul de Maceió (região de Marechal Deodoro), está localizada a famosa Praia do Francês, uma das preferidas dos surfistas pela agitação prefeita das ondas. Gente jovem, bares e comércio movimentados fazem do lugar o point para quem quer paquerar.

Antes de seguir mais ao sul, uma parada é obrigatória para as fotos: o Mirante Alto de Santana, que proporciona uma vista para a extensa sequência de coqueiros, pontal de areia clara e o encontro das águas doces (de um lago) com o oceano.

Aos que buscam um ambiente com opções para adultos e crianças, a Praia do Gunga tem muito a oferecer. Piscinas naturais, lazer (como o aluguel de equipamentos náuticos), além de bares e restaurantes que oferecem drinks com frutas da região e petiscos. Do lado onde predomina o mar, o visitante deve ter cuidado com o declínio, que às vezes não dá pé. Mas a diversão fica garantida com a opção de travessias em barco ou lancha para a Praia da Barra de São Miguel (valores a consultar). Se a preferência for pelas jangadas (para famílias ou grupos maiores, com até sete pessoas), há um passeio de uma hora, com parada para banho de mar entre os bancos de areia, com custo médio de R$ 25 por pessoa. Na área protegida pelos recifes, forma-se uma enorme piscina natural segura para banho, ótima para as crianças. Para os jovens aventureiros há também a oportunidade de se divertir com banana boat, em média por R$ 15 por pessoa, ou até mesmo com os voos em ultraleve.

Ao finalizar o tour, faça uma visita à feira de artesanato no bairro da Pajuçara, próximo à orla. O espaço coberto reúne muitas lojas com lembranças temáticas para todos os gostos e bolsos, como artigos de decoração, esculturas, roupas, acessórios, bebidas artesanais e também peças de “filé” – uma técnica regional de trançado de fios, cheias de cores e formas que revelam bem o que é Maceió.

A Azul Viagens, operadora de viagens da Azul, oferece pacotes pra Maceió. Acesse o site da Azul Viagens.