A pandemia gerou diversas mudanças na sociedade, apresentando uma nova realidade para muitos setores, inclusive o turismo. Quem tinha viagens agendadas e teve que cancelar, com certeza está cheio de perguntas como: quando poderei fazer minhas malas? Para onde poderei ir? Que cuidados terei que tomar? O turismo após o coronavírus é uma incógnita.

Toda essa apreensão e agitação é normal, afinal, estamos vivendo em um cenário incerto e nunca vivido antes. Por isso, o primeiro passo é tentar manter a calma, tomar todos os cuidados cabíveis, pensar na segurança da família e tentar se adiantar ao que está por vir nos próximos meses.

Quer se informar sobre o assunto e saber o que esperar para o turismo após o coronavírus? Então, confira este conteúdo agora mesmo!

Quando será seguro viajar?

Basicamente, só será seguro viajar novamente quando alguns órgãos nacionais e internacionais determinarem que é. Isso depende da aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos responsáveis de cada país pela liberação.

Provavelmente, antes disso acontecer, diversos outros passos deverão ser dados para que as pessoas, especialmente os turistas, se sintam confortáveis e seguras em transitar novamente pelos locais. Isso significa:

  • o fim da necessidade de reclusão social;
  • a redução significativa dos casos de infectados;
  • a organização cautelosa da reabertura dos pontos e atrações turísticas.

Apesar de não haver uma data específica a ser apontada, a tendência é de que, com o achatamento da curva de infectados, as sociedades possam voltar, aos poucos, ao seu comportamento normal. As agências de viagem já demonstram sua intenção de reativar os voos a partir de julho, com muito zelo e cuidados que garantam a segurança dos passageiros.

Quando haverá a abertura das fronteiras internacionais?

As opiniões e posicionamentos sobre a reabertura das fronteiras internacionais são bastante divididos em todo o mundo. Na Itália, Alemanha e Espanha, por exemplo, as viagens ao exterior e a recepção de estrangeiros devem estar liberadas até o final de junho, desde que os viajantes adotem alguns cuidados para viajar. Já em outros países, as medidas são mais restritivas e sem previsão de relaxamento, como:

  • África do Sul;
  • Argentina;
  • Bolívia;
  • Canadá;
  • Chile;
  • China;
  • Colômbia;
  • Peru;
  • Uruguai.

No Brasil, algumas empresas já começaram a transitar passageiros de forma limitada entre países, prezando sempre pela segurança dos usuários. De forma geral, a previsão é que a intensificação da abertura das fronteiras ocorra entre junho e novembro. Algumas empresas Norueguesas suspenderam os seus voos até o Brasil, considerados de longa distância, até abril de 2021.

Como lidar com a aglomeração em pontos turísticos?

As opções para diminuir a concentração de pessoas em um mesmo local giram em torno das determinações que serão adotadas por cada município e país. Alguns locais podem simplesmente controlar a quantidade de pessoas que acessam um determinado ponto turístico, outros podem disseminar informações sobre a conscientização de cada um sobre não permanecer em lugares superlotados.

O ideal é que cada um se responsabilize pela sua própria segurança e pela dos demais, utilizando o bom senso para avaliar quando é ou não uma boa ideia visitar determinado destino. Em especial nos primeiros meses após a pandemia, é interessante evitar os maiores focos do turismo, procurando conhecer lugares e rotas diferentes, locais mais afastados e calmos.

Quais serão as preferências de viagem?

Justamente pelos cuidados que as pessoas deverão ter durante um longo tempo para não contrair ou transmitir o vírus, a tendência é de que os primeiros destinos procurados sejam dentro do país. Talvez muitos turistas optem até mesmo por cancelar passagens internacionais por enquanto.

Como o objetivo é evitar aglomerações e lugares excessivamente movimentados, pode haver uma distribuição entre os locais procurados para viajar. Isso vai favorecer a recuperação econômica de muitas regiões e também contribuir para a exploração turística de lugares “desconhecidos”, por exemplo.

Com a crise financeira, essa é uma vantagem para todo o setor turístico, desde hotéis e pousadas até os comércios locais. Além disso, também é uma maneira das pessoas conseguirem viajar sem gastar tanto em um primeiro momento.

Como se preparar para as viagens e mudanças?

As companhias de turismo deverão adotar medidas para aquecer novamente o mercado. Por isso, prepare-se para um período de preços bastante atrativos, tanto nos trechos quanto nas acomodações de destino. Outro ponto positivo é que as políticas das empresas poderão ficar mais flexíveis, permitindo que você reagende seus voos e reservas para quando se sentir mais seguro.

Sendo assim, não tenha medo de planejar a sua próxima viagem e já antecipar as suas compras para garantir bons preços.

Mesmo após a pandemia, os cuidados e procedimentos de higiene deverão permanecer por muito tempo como hábito não só entre os turistas. Por isso, pode ser exigido o uso de álcool gel, máscaras e controle do número máximo de pessoas em vários locais, tanto no avião, quanto nos aeroportos e outros lugares fechados.

Com o objetivo de evitar novos picos da doença provocada pelo coronavírus, as cidades poderão tentar controlar o número de turistas, além de supervisionar o fluxo de pessoas em alta temporada ou naqueles lugares que tendem a ter mais aglomerações. Infelizmente, os resquícios da pandemia nos acompanharão por longa data.

Obviamente, essas são apenas algumas previsões com base no cenário em que nós vivemos hoje, o que significa que elas podem mudar. Mas, em geral, é esperado que as pessoas se tornem mais conscientes, tanto no que diz respeito ao risco de transmissão de doenças dos mais diversos tipos durante suas viagens, quanto sobre a importância de diversificar seus destinos para explorar novos locais e desafogar os grandes pontos turísticos.

As empresas também têm um papel importante nesse cenário: o de realizar uma gestão mais humanizada e voltada para os seus usuários, o que tornará o relacionamento com essas companhias muito mais fácil e flexível.

Por enquanto, o mais indicado para retomar o turismo após o coronavírus é planejar viagens nacionais. Então, que tal começar a procurar seu próximo destino? Conheça o turismo regional, uma modalidade que ajuda as comunidades locais!