Uma tendência cada vez mais forte, especialmente nos últimos anos, o network é indispensável para todos os profissionais, independentemente da profissão. Estabelecer uma rede de contatos pode garantir benefícios aos dois lados e fortalecer parcerias entre empresas. Mas, afinal, qual é a definição do termo?

Network profissional se refere à ação de criar e manter relações corporativas com diversas finalidades, entre elas: benchmarking de boas práticas entre companhias, indicação a novos postos de trabalho, trocar experiências relevantes, aumentar a visibilidade da empresa (e do próprio profissional) etc.

É possível formar essa rede em diversos ambientes e um deles é em meio a viagens de negócios. Inclusive, é um dos caminhos mais propícios, visto que, nessas ocasiões, geralmente, se lida com uma infinidade de profissionais, da mesma área ou não, e disso, é possível gerar relacionamentos estratégicos.

Se deseja aprender como aplicar o conceito e potencializar seu network nas próximas viagens, continue a leitura.

Estude o destino (ou o evento)

Cada ocasião exige uma estratégia e um planejamento adequado. Por exemplo, se você está indo a um treinamento em São Paulo ou no Rio de Janeiro, é importante estudar sobre quem será o responsável pelo curso, o perfil do público e, se possível, antecipar-se quanto ao conteúdo, pois, no local, vai haver colegas da área com o mesmo foco que você.

Durante o intervalo, em uma roda de conversas, certamente vai haver assunto para discutir e quanto mais informações você souber, mais chances de se destacar entre os presentes, causar uma boa impressão e fortalecer o network profissional.

Então, enquanto estiver pesquisando passagens aéreas e hospedagem, lembre-se também de pesquisar sobre o destino e o evento em si para estar atento a qualquer possível oportunidade.

Acerte até na hora de escolher o hotel

Falando em hospedagem, essa também é uma ótima hora para ficar atento. Alguns eventos de negócios acontecem em salas de convenções, dentro de hotéis, então, se puder escolher, fique no local onde será realizado. Assim, além de garantir mais tempo — vai poder dormir melhor, comer o café da manhã com calma, ser mais pontual —, ainda, evita o gasto com deslocamento de um lugar para outro.

Geralmente, os hotéis são escolhidos, inclusive, por sua localização, então, será mais fácil encontrar restaurantes, shoppings e opções de lazer nas proximidades. Quanto ao network, torna-se mais fácil manter uma relação com os demais participantes do grupo, que, eventualmente, também estejam hospedados. Dá para agendar um almoço ou um jantar, trocar e-mails ou telefone e estender o relacionamento além do motivo da viagem.

Use a personalidade a seu favor

Em uma viagem corporativa, nem sempre a sensação é de conforto. Às vezes, por estar em um ambiente incomum, rodeado de desconhecidos, a pessoa se sente desconfortável em se aproximar e iniciar uma conversa. Nesse momento, características como a timidez e a insegurança devem ser colocadas de lado a fim de que você possa cumprir o seu objetivo.

Não é um bicho de sete cabeças e tampouco existe segredo: é desnecessário fingir outra personalidade para se sobressair ou conseguir se relacionar, pelo contrário. Use seus pontos fortes a seu favor, seja verdadeiro e ético. Nesse primeiro momento, quando geralmente as pessoas estão ainda mais atentas, é fundamental investir em uma boa imagem profissional, que transmita integridade e segurança.

Mostre que as pessoas podem contar com você

Alguns descredibilizam o network profissional por achar que é uma relação falsa, por simples conveniência. No entanto, uma análise mais profunda evidenciaria que não é bem assim, até porque, se há uma via de mão dupla, na qual há troca e vantagens para todos, por que não se beneficiar?

Por isso, procure se mostrar disponível para seus futuros contatos. Demonstre interesse quando estiver conversando, se há um pedido de ajuda e você pode fazê-lo, não demore a se oferecer. Proatividade é uma das qualidades mais bem-vistas no mercado e, acredite, você está sendo visto. Por que não se aproveitar disso e garantir que seja pelo olhar certo?

Então, preste atenção nas oportunidades de parceria que podem nascer desses encontros. Nesse contexto, não só seu lado profissional sai ganhando, o pessoal também, pois é possível aprimorar suas técnicas de relacionamento interpessoal. Conhecer mais pessoas também é a chance de lidar melhor com as diferenças e estimular sua empatia.

Seja acessível

Você é uma pessoa acessível? É fácil de as pessoas te encontrarem ou elas estão sempre reclamando por você não atender o celular ou responder as mensagens? A acessibilidade é um item indispensável para quem leva o network a sério. Naturalmente, se está aberto a criar e manter novas relações, conhecer gente nova, elas vão querer entrar em contato eventualmente.

É nesse momento que você precisa estar disponível. O “estar disponível” não se refere a forçar uma amizade ou aceitar convites que não quer aceitar — essa análise é particular —, mas mostrar-se acessível (e, de fato, ser) faz toda a diferença.

Se a sua empresa disponibiliza cartão de visita para os colaboradores, leve os seus (não sem antes considerar o porte do evento e uma média de quantas pessoas vai encontrar lá). Se é empreendedor, faça os seus, certificando-se de incluir (e destacar) seu nome, seus meios de contato (telefone, e-mail, Whatsapp etc.) e a logotipo do seu negócio.

Esse último detalhe é fundamental, pois os contatos que fizer durante o evento podem se tornar seus futuros clientes ou podem indicar sua companhia para outras pessoas. Percebe a importância de causar uma boa impressão? É a possibilidade de fechar novos negócios, conhecer mais fornecedores e estabelecer parcerias com eles (ou estreitar um relacionamento já existente), e gerar mais crescimento e receita para sua firma.

A prática do cartão também vale para os que forem recebidos: guarde-os em um local de fácil acesso para, caso precise, possa recorrer a eles. Lembre-se que o network profissional se fortalece quando os dois se ajudam e as vantagens são mútuas.

Seja visto, seja lembrado

Quem não conhece a frase “quem não é visto não é lembrado”? Essa é uma regra de ouro para o network profissional. É preciso ser visto, fazer-se notado, facilitar para que as pessoas se lembrem de você. E para isso, é preciso gerar uma impressão relevante, além do mais ou mesmo. Uma das formas de fazer isso é não permitindo que o contato esfrie após o primeiro momento.

Supondo que você more em Manaus, participou de um evento em Florianópolis e fechou algumas parcerias na cidade. Semanas depois, descobre que vai acontecer em breve um congresso sobre a mesma temática, com palestrantes diferentes, mesa de debates e algumas participações ilustres. Não é uma boa ideia convidar o colega de Santa Catarina?

A relação que fica após o contato inicial é o que realmente se configura como network, porque, em muitos casos, depois dele, não há mais interação, os integrantes do grupo do Whatsapp saem, o assunto acaba e a ligação se perde. Ou o retorno acontece apenas quando um precisa do outro, o que nem sempre funciona, pois network tem a ver com ajuda mútua, não o contrário.

Invista no Linkedin

Já conhece o LinkedIn? Se não, é provável que esteja perdendo boas oportunidades. Trata-se da maior rede social corporativa do mundo, com mais de 300 milhões de usuários, e os números no Brasil são bem expressivos. A rede está crescendo e conquistando cada vez mais adeptos. Nela, “networking” é uma palavra-chave e uma atividade diária.

É uma espécie de Facebook, adaptada para o mundo dos negócios. O perfil inclui informações, como as empresas por onde passou (o período e as atividades que fazia lá), formação acadêmica, idiomas, cursos etc. E mais: é possível escrever artigos e compartilhar com seus contatos. Lá, também é possível ser recomendado e recomendar pessoas, além de indicar profissionais (e solicitar indicações).

Os benefícios não param por aí: por seu teor corporativo, o LinkedIn viabiliza a troca de experiências e informações com profissionais da sua área (e outras também), além de vagas de trabalho — as empresas têm perfis e recrutam por meio deles, com ferramentas mais efetivas, o que dá indícios que o tempo do currículo impresso pode estar chegando. Até entrevistas são agendadas e realizadas por meio da rede. Por essas e outras não vale a pena ficar fora dela, tampouco descartá-la como uma forma de contato.

Se não sabia, aproveite para se cadastrar. Provavelmente a maioria dos profissionais que vai conhecer no próximo evento já está lá. É uma forma a mais de manter contato e garantir que a relação não esfrie, pelo contrário. O LinkedIn vai ajudar você a conhecer melhor os novos colegas e estreitar o relacionamento com eles. Uma pesquisa da Jobvite, uma empresa americana de software de recrutamento e seleção, constatou que 79% dos recrutadores usam a plataforma para procurar candidatos.

Isso significa que, possivelmente, algumas ofertas de trabalho nem estejam mais sendo divulgadas: ao analisar os perfis dos potenciais candidatos, o profissional de Recursos Humanos cria um time e alivia parte do processo. Sem contar que, através da rede, também é possível avaliar certas particulares comportamentais que um simples currículo não evidencia.

Portanto, como já foi mencionado, é essencial ter um objetivo definido e claro em mente. Se a viagem a negócios também tinha como propósito conquistar um novo emprego, o network profissional e o LinkedIn são ferramentas imprescindíveis para alcançar os melhores resultados.

Evite assuntos polêmicos

É o último dia de viagem, estão todos na confraternização de encerramento do evento. Você está com alguns colegas de quem se aproximou nos últimos dias. Até que um assunto polêmico surge e, em poucos minutos, o clima de coleguismo se esvai e o de tensão o substitui. Como se comportar em uma situação como essa? A regra cabe não só a esse tipo de cenário, mas a todos que, de alguma forma, têm teor profissional: fuja de assuntos polêmicos.

Esses tópicos nem sempre são interessantes para debater em um encontro de negócios. Por vezes, o debate evolui para uma discussão mais acalorada, na qual todos ficam desconfortáveis, e as consequências podem ser irreversíveis. Por isso, evite alguns temas — a não ser que a temática seja necessária durante o evento.

Outra questão que deve ser evitada é falar mal de empresas ou experiências pelas quais passou. Geralmente, todo profissional tem uma história negativa para contar, ou certamente conhece alguém que já passou por maus bocados em uma relação de conflito com o chefe ou saiu desgostoso de uma companhia. Em todo caso, não é o tipo de conto que se deve contar nessas circunstâncias.

Lembre-se: você está sendo visto e analisado, por isso, deve prezar pela boa postura e ética, evitando difamar a imagem de uma empresa, mesmo que, em sua opinião, seja necessário. Mesmo que a roda esteja conversando sobre o assunto, reserve sua opinião para si ou para uma conversa entre amigos, se achar conveniente. O network profissional serve, sim, para troca de experiências, mas deve-se tomar cuidado ao abordar certos temas — use o bom senso.

Tire proveito das circunstâncias

Se quer aumentar e fortalecer sua rede de contatos corporativos, ela não deve se limitar ao local onde você está, isto é, se esse for um dos objetivos da sua viagem, tire proveito. Não se restrinja ao público do evento, a quem está hospedado no mesmo hotel ou frequenta o mesmo restaurante. Caso tenha mais tempo na cidade, visite empresas do mesmo ramo que a sua (ou a que você trabalha), pesquise e busque conhecer como funciona o mercado na cidade e converse com as pessoas.

Essa prática, certamente, vai ampliar sua visão sobre o lugar e sobre seus conhecimentos. Cada oportunidade pode ser única, então, aproveite-a a seu favor, garantindo que está extraindo o máximo da experiência.

Fazer network profissional é uma técnica cada vez mais comum e obrigatória para se destacar no meio corporativo. Viajar é uma maneira de incrementar, conhecer uma nova cultura e novas pessoas que possam agregar e facilitar melhores experiências de trabalho. Por isso, não hesite em aplicar as sugestões acima e potencializar suas relações de negócio.

Gostou do conteúdo? Siga a Azul no Facebook para ficar por dentro de assuntos como este!